Valle de la Luna e de la Muerte: O dia em que o Atacama me surpeendeu

Quando cheguei ao Atacama, no Chile, decidi que o segundo passeio que faria no meu primeiro dia seria o Valle de la Luna e de la Muerte, mas fui avisado que estava prevista uma ventania muito grande, o que atrapalharia o passeio. Acabei decidindo que faria no dia seguinte e entendi perfeitamente o motivo pelo adiamento.

Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte

O tour pelo “Valle de la Luna e Valle de la Muerte” era o passeio que me dava menos expectativas no Deserto do Atacama. Tinha menosprezado tanto que talvez por isso me surpreendi ao máximo. Foi tão inesquecível quanto os outros.

Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Saímos do hostel por volta das 16h. Como de costume, pagamos as entradas, que geralmente custam de 2 mil a 10 mil pesos e são cobradas fora do que já pagamos pelo tour.

No começo tudo estava bem tranquilo, o guia, que era meio louco, divertido e engraçado, explicava que aquilo já havia sido mar e que dava para sentir o sal nas pedras do Valle de la Luna. Mas o segundo passo me deixou meio tenso.

Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte (Foto: Esse Mundo é Nosso)

O guia nos avisou de que entraríamos em uma caverna e que para isso seria bom que quem tivesse um celular utilizasse a lanterna porque era escuro e apertado. Na hora, bateu aquele pânico e aquela claustrofobia. Nenhuma operadora avisa sobre esta parte do passeio. O guia perguntou se alguém queria desistir. Uma senhora preferiu esperar. Eu até pensei em ficar com ela, mas precisava vencer meu medo porque era quase uma chance única na vida.

Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Algumas partes eram realmente apertadas e bem escuras, precisávamos abaixar para passar e ter muito cuidado para não bater a cabeça nas pontas, mas deu tudo certo. E ao sairmos de lá fomos presenteados com uma vista de tirar o fôlego. Aliás, mais uma. E fazendo jus ao nome aquele lugar realmente parece com aquilo que achamos que é a superfície da lua.

Dunas

A segunda parada do tour também foi surpreendente. Eu não imaginava que naquele passeio teríamos dunas! Sim, antes de irmos para o Valle de la Muerte andamos por dunas imensas e lindas. Era muita areia. Foi aí que entendi o motivo de terem cancelado o passeio no dia anterior. Uma vista incrível. Era tudo muito bonito mesmo. Vulcões de fundo, montanhas e as dunas. Confesso que deu para cansar na parte em que ficamos andando pelas areias. É importante beber bastante água.

Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Valle de la Muerte

Depois de tantas emoções, era difícil acreditar que o Valle de la Muerte também poderia me surpreender. E isso aconteceu. Mais um tempo na van, que aliás estava animada com o motorista cantando clássicos da música brasileira, e de repente estávamos de cara com o Valle.

Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte (Foto: Esse Mundo é Nosso)

O guia explicou que diz a história que era para ter o nome de Valle de la Marte, mas na hora que foram registrá-lo, entenderam o nome errado e ficou de la Muerte. Marte porque dizem que é muito parecido com o Planeta Vermelho e que, inclusive, a Nasa faz experiências por lá. A outra parte da história revela que o nome (Muerte) é devido ao fato de o governo ter jogado muitas pessoas daquele precipício e tê-las levado à morte.

Ouvimos as histórias e tiramos muitas fotos. A última parada do tour foi na Pedra do Coyote, que realmente lembra a do desenho do Papa-Léguas. Que medo de ir bem canto da pedra para tirar fotos… Era muito alta! Foi lá mesmo que esperamos o dia acabar e tivemos mais um pôr-do-sol inesquecível.

Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Nem preciso dizer que o passeio foi muito melhor do que eu poderia imaginar. Por mais clichê que seja dizer isso. Mas a viagem ao Atacama é cheia de clichês nas observações. É tudo tão lindo que não tem como não usar aquelas frases e expressões de apaixonados. É um lugar para se apaixonar e acreditar em uma força superior para ter criado tudo aquilo. Seja Deus ou o que a sua crença permitir.

Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte (Foto: Esse Mundo é Nosso)Vale lembrar que como fechei um pacote com quatro passeios pela mesma empresa paguei por todos eles 60 mil pesos (110 dólares).

+ Veja todos os posts sobre o Atacama e os outros passeios
+ Lagunas Altiplãnicas
+ Geysers del Tatio
+ Tour Astronômico

+ Informações básicas e úteis para ir ao Atacama

Booking.com

Adolfo Nomelini

Jornalista formado pela PUC-SP e pós graduado em Comunicação em Mídias Digitais, é apaixonado por música, coxinha, televisão, seus óculos e internet. Trabalha há 8 anos com conteúdo online e passa boa parte do tempo "jogando o corpo no mundo, andando por todos os cantos e, pela lei natural dos encontros, deixando e recebendo um tanto".

Leave your comment

  1. Marcia Coelho disse:

    Olá Adolfo!

    Pretendo fazer uma viagem a Peru, Bolívia e Chile em abril de 2015. Atacama será um dos destinos e preciso de uma agência / empresa para fechar os passeios e pelo que vi sua experiência foi boa, pode me indicar a empresa utilizada e os passeios? Seria muito bom, pois vou sozinha e não quero arriscar.

    Obrigada!

  2. Saulo G. disse:

    Que lindas essas paisagens, mas acho que um problema tem aí hehehe, talvez a falta de sombra, mas um lugar bem legal para uma expedição controlada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *