A menos que você não precise se preocupar com o balanço financeiro da sua conta, sabe, assim como nós, que viajar tem seu preço (embora no fim das contas acabe tendo mesmo é valor).

Mais que uma quantia paupável, viajar muitas vezes é colocar em prática a realização de sonhos. Quantas vezes já esperei meses ou até anos pra conhecer um certo destino?

E nesse mundo digital em que todo mundo pode dar opinião de tudo, muitas vezes nos sentimos acoados em fazer certas coisas, como ser clichê numa viagem. Mas qual o problema disso?

Foto clichê numa viagem [Foto: Marty Portier (CC BY-NC-ND 2.0)][Marty Portier (CC BY-NC-ND 2.0)]

Qual o problema de tirar aquela foto em que você está empurrando ou apoiado na Torre de Pisa, com os braços abertos aos pés do Cristo Redentor ou segurando a pontinha da pirâmide do Louvre em Paris?

Foto clichê numa viagem (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Não sei se só eu penso assim. Mas muitas vezes aquela é a sua viagem, é a realização de um sonho e, se deu vontade, por que não?

A gente acaba muitas vezes ficando acanhado com o que dirão ali no momento ou mesmo depois, se alguém vir a tal foto. Postar então, já dá até nervoso ao pensar nos comentários. Acho pura bobagem…

Você investiu tempo, dinheiro e sonhos nesse momento. Ele é todo seu. Por que não se empolgar e gritar ao ver a neve pela primeira vez? Por que não provar se a água do mar é mesmo salgada? Por quê?

Foto clichê numa viagem (Foto: Esse Mundo É Nosso)

 

SER CLICHÊ NUMA VIAGEM… PODE!

Em 2013, o blog Matraqueando sugeriu uma blogagem coletiva super legal que a Sílvia chamava de Foto Jacu. Muita gente participou. E o espírito era justamente esse. Qual o problema em ser jacu ou clichê?

Embora nós viajemos muito, ainda tiramos foto dentro do avião, nos empolgamos na janelinha, ficamos ansiosos pro lanchinho, saímos correndo sorrindo logo que desembarcamos num destino… e assim a vida segue. E assim gente é feliz!

E você, concorda?

 

+ Curta nossa página no Facebook
+ Siga o @essemundoenosso no Instagram
+ Também estamos no Twitter

Sobre o Autor
Rafael Carvalho
Mineiro fã de frango com quiabo e de uma boa cerveja, mora atualmente em São Paulo. É formado em Rádio e TV, pós-graduado em Jornalismo e trabalha há mais de 12 anos com Conteúdo Digital. Já passou por empresas como SBT e Jovem Pan FM. Apaixonado por viagens, fundou o Esse Mundo É Nosso e roda o Brasil e o mundo o ano todo sempre em busca de dicas para serem compartilhadas.
21 respostas
  1. Adorei a forma como descreve fatos e sentimentos em relação a viagens, me identifiquei, e concordo plenamente com você. Mas apenas quem viaja por paixão conseguirá entender o valor de uma viajem, não o seu custo.

    Beijos….adorei.

    Rosana Pinson

  2. Adoreiii o post… vivemos num mundo onde as pessoas são muito críticas, o tempo todo! Muito mimimi pra tudo. O negócio é ser feliz mesmo. Se conseguir realizar um sonho me deu vontade de chorar, gritar ou correr, eu mesma faria tb hehehe.. Super apoiado!

  3. Sabe, escolhi viver e ser feliz, portanto, não me importo com o que os outros acham, mas com o que eu quero! Choro de emoção quando conheço um lugar com o qual sonhava, o mais recente foi Machu Picchu e não tô nem aí com que acha ‘jacu’. Bora viajar!

  4. Já corri em aeroporto tb hahahahha
    em Orlando, a primeira vez, tirei foto abraçando o ursinho Pooh e meu olho encheu de lágrima, só de lembrar começa de novo kkkkkkk
    Tenho foto jacu de todas as minhas viagens e vou continuar tirando porque a minha felicidade é o que importa hahaha
    as duas vezes que fui no Cristo tirei foto de braços abertos hahha.. em Natal tirei foto com aquelas latinhas e miniaturas de bichos hauahau.. uma loucura só rs.. amo e amo!

  5. Uauuu amei seus comentarios ,é assim que faço e é assim que me sinto feliz,ja chorei na Times Square ,ja chorei e eu mesma me filmei fotografei nas praias de Miami Beach, atravessar a ponte de Brookyn meu Deus que sonho,ja gritei e pulei de alegria no aeroporto qdo pisei pela 1º vez nos EUA ja corri pelas alamedas do Central Park sorrindo e pedindo para qualquer americano que encontrasse pelo caminho para me fazer uma foto,sem me importar em ser jacu ou clichê,e td isto sozinha nestas viagens encantadoras, para mim o importante é curtir meu sonho e me permitir td que tem direito no sonhar e realizar,quero que todos que conseguem realizar seus sonhos os desfrutem com toda intensidade,abraços Rafael e que Deus te ilumine sempre bjão.

  6. Yes!!!!!! Pela liberdade de ser livre e jacú.

    A viagem é minha e eu aproveito como posso e quero!

    Se servir de consolo : Martinha – Since 2006 tirando fotos jacús em Parrí (e ainda obrigo quem está comigo a tirar também!)

    1. Ei Martinha, tudo bem? Adorei, o que importa é ser feliz, seja jacu, clichê, do jeito que for. E adorei a história de Paris. Me aguarde que vou aí também pra você tirar comigo 😀
      Abraços

  7. Apoiado, existem os que viajam e são felizes (cada um do seu modo: viajantes, turistas, fazendo fotos jacu, rs) e os que ficam controlando e/ou criticando o que os outros fazem. Prefiro fazer parte do primeiro time!

  8. Concordo D-E-M-A-I-S! 😀 /
    Oxente, isso é besteira da nossa cabeça!
    É como você disse: a viagem é nossa! Então pronto! O negócio é curtir a viagem da forma que der vontade! 😀
    Abraço,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Melhor preço para Seguro Viagem

Sobre Nós
Rafael Carvalho

Somos Adolfo Nomelini e Rafael Carvalho, dois jornalistas que trabalham com conteúdo digital há mais de 10 anos. Aqui você encontra nossas dicas de viagens pelo Brasil e o mundo.