Todo mundo que viaja muito fala de free shop pra lá, free shop pra cá. Vira e mexe a imprensa também menciona as cotas permitidas de compras nessas lojas. Quer dizer que esse é um paraíso dos preços baixos? Nem sempre!

POR QUE O FREE SHOP PODE DECEPCIONAR?

Antes de fazer minha primeira viagem internacional, estava super ansioso pelo duty free, como os free shop’s são chamados em outros países. Seria aquela a chance de fazer grandes compras? Logo separei alguns dólares só para gastar no aeroporto. Mas não foi assim que as coisas aconteceram.

Free shop no porto de Bodrum, Turquia (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Pra quem não está acostumado e acha que vai encontrar grandes pechinchas pode se decepcionar. Claro que os preços isentos de impostos costumam ser mais baixos que no Brasil, mas eu só não esperava que os produtos ali vendidos mesmo assim eram caros.

Os free shops vendem poucos itens, não são uma grande loja de departamento. Já estive em duty free’ s de vários países e todos se resumem a praticamente venda de perfumes, bebidas, chocolates, cosméticos, uma restrita variedade de eletrônicos e cigarros. Claro que os itens variam de lugar para lugar, mas normalmente são os mesmos produtos de marcas famosas. E essas marcas, bem caras por aqui, não saem “de graça” num free shop. Nos aeroportos brasileiros você pode consultar alguns preços pelo site do Duty Free Dufry.

Um casal de amigos fez recentemente sua primeira viagem internacional e, mal chegaram ao aeroporto, já me ligaram: “O free shop é isso aqui?”. Eles também tinham ido animados, com dólares na mão e acabaram se decepcionando. Produtos de marcas famosas têm seu custo e não é diferente nesses locais.

Portanto, se você nunca esteve num free shop antes, não espere encontrar os preços todos a poucos dólares ou tão baixos como nas lojas americanas (com exceções, claro). Quem viaja aos Estados Unidos, por exemplo, enche as malas de compras no comércio do país e não nesses locais. O mesmo acontece em vários outros países, como Panamá.

Nunca fui grande consumidor de duty free justamente por isso. Claro que compro meu perfume que no Brasil custa R$200 e lá sai por US$55. Mas esse valor tem seu peso, ainda mais com o dólar tão alto, não é?

Sobre o Autor
Rafael Carvalho
Mineiro fã de frango com quiabo e de uma boa cerveja, mora atualmente em São Paulo. É formado em Rádio e TV, pós-graduado em Jornalismo e trabalha há mais de 12 anos com Conteúdo Digital. Já passou por empresas como SBT e Jovem Pan FM. Apaixonado por viagens, fundou o Esse Mundo É Nosso e roda o Brasil e o mundo o ano todo sempre em busca de dicas para serem compartilhadas.
0 resposta
  1. Rafael boa noite. Vamos a Bogotá em 12 de junho, de lá queremos ir para Cartagena. Deixamos pra comprar
    a passagem lá? Ou vc aconselha comprarmos aqui no Brasil. Qual outra forma de irmos e antes passarmos
    por Medelin. Obrigada.

    1. Oi Maria, tudo bem? Obrigado pela visita!
      Com certeza você deve comprar antes pela internet. A Avianca é uma ótima empresa. Se você deixar pra lá, pagará muito caro. Se quiser parar em Medelin, pode fazer o trecho de ônibus, com uma parada lá.
      Abraços

  2. Aqui no Peru as grandes lojas de departamento tem os preços bem melhores que no Duty Free do Brasil, recentemente fui a Orlando e não achei grande diferença também, me falaram que com o numero de pessoas visitando Orlando para compras os preços de 5 anos para cá , quase que dobraram.

    Conclusão : Prefiro comprar aqui em Lima e que estiver viajando para Machu Picchu uma boa pedida é passar em Lima para as compras, aqui você encontra a Falabella e a Ripley que são grandes lojas de departamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Reserve seu hotel aqui
Melhor preço para Seguro Viagem

Sobre Nós
Rafael Carvalho

Somos Adolfo Nomelini e Rafael Carvalho, dois jornalistas que trabalham com conteúdo digital há mais de 10 anos. Aqui você encontra nossas dicas de viagens pelo Brasil e o mundo.