Às margens do Rio de La Plata, a capital do Uruguai tem uma orla linda e um centro histórico delicioso

Montevideo, no Uruguai, é uma daquelas cidades que surpreendem e assustam ao mesmo tempo! Aqueles que não abrem mão do agito dos grandes centros podem estranhar ao encontrar ruas desertas durante o dia em plena capital de um país. Mas talvez aí comece o charme da cidade e as boas vindas para explorar tudo o que ela tem a oferecer.

Montevideo

Localizada às margens do Rio de La Plata, a capital do Uruguai tem uma orla linda, praias de água doce, um centro histórico delicioso de se conhecer a pé e muita cultura. As surpresas que Montevideo (ou Montevidéu) reserva começam logo no Aeroporto de Carrasco, localizado a cerca de 20Km do centro. Foi neste moderníssimo terminal, que deixa qualquer brasileiro morrendo de inveja, que eu e meu amigo Adolf desembarcamos no feriado de 21 de abril e Semana Santa; eu pela segunda vez, já tinha passado por ali na volta de um mochilão pelo Peru, Bolívia e Argentina em 2007.

Aeroporto de Carrasco

Nos hospedamos em Pocitos, um bairro cheio de bares e restaurantes, a dez minutos de táxi da região histórica, com praia e uma “carinha” de Leblon ou Ipanema subtropical.

Potal da Ciudad Vieja

Ficamos no Hostel Pocitos (US$20 por pessoa em quarto compartilhado), simples, num casarão antigo, caro como quase tudo no Uruguai, mas que cumpre bem seu papel.

CIUDAD VIEJA

Um dia é suficiente para curtir a cidade. A dica é começar pela Ciudad Vieja– o centro histórico – e tentar encontrar um lugar para tomar um belo café da manhã. Como lá também era feriado (Semana do Turismo), muitas coisas estavam fechadas, o que também deve acontecer nos finais de semana. Se perder naquelas ruelas, admirar seus prédios históricos, se sentar em um dos restaurantes com mesas na calçada, tomar uma cerveja uruguaia e esperar a hora do almoço também faz parte do roteiro.

Ciudad Vieja

Ciudad Vieja

Por que a hora do almoço? Porque esse sim é um dos pontos mais altos da visita a Montevideo. É praticamente proibido pensar em não visitar o Mercado del Puerto para almoçar em um de seus diversos restaurantes. Como a tradição ali é se sentar em um dos balcões para apreciar a “parrillada” – o churrasco uruguaio –, todos os estabelecimentos investem no mesmo menu.

Mercado del Puerto

O mais tradicional é o El Palenque. Sente-se ali e prepare-se para passar umas boas horas admirando as carnes numa espécie de “vitrine”, comendo um queijo ou um presunto cru e, claro, tomando um medio y medio (US$5 a taça), outra atração do lugar. A bebida é um vinho feito com a mescla de espumante e vinho branco seco. Ganhou fama ali no mercado mesmo, em 1888, no restaurante Roldós.

Parrillada no Mercado del Puerto

Chegada a hora da “parrillada”, não faltarão opções de todas as carnes imagináveis. Do entrecôt ao bife de chorizo, passando por cortes suínos até chegar ao carré. Os preços são equivalentes à altura do prato, cerca de US$30 por pessoa, mas que pode ser dividido tranquilamente para duas.

Parrillada no Mercado del Puerto

Ao deixar o mercado, ainda sentindo o cheiro da “parrillada” que deixa enfumaçados vários quarteirões da Ciudad Vieja, é difícil resistir a um alfajor ou qualquer outra sobremesa que leve o famoso dulce de leche uruguaio – muito melhor que o argentino, na minha opinião.

REGIÃO DA PLAZA INDEPENDENCIA
Cumprida a visita à principal atração da cidade, agora é caminhar sem rumo, visitar a Plaza Independencia, a principal da cidade e sede do governo, o lindíssimo Teatro Solis, entre muitos outros atrativos que estão ali ao lado. Perto dali também está a grandona Avenida 18 de Julio, onde fica a grande parte do comércio da cidade, com lojas comuns, fast foods e restaurantes frequentados pelos moradores durante a semana. Nada demais.

Plaza Independencia e Teatro Solis

A RAMBLA
Rambla é o nome dado às avenidas que ficam na orla do Rio de La Plata em muitas cidades do Uruguai. Em Montevideo ela começa ainda na Ciudad Vieja, passa por Pocitos e vai embora a se perder de vista. É ali que os moradores praticam esportes, saem para tomar seu mate (primo do chimarrão) e se sentam para ver o pôr-do-sol imperdível! Uma caminhada por ela, sem rumo, não tem preço.

A Rambla

A Rambla

Praia de Pocitos

NOITE
Como disse, Montevideo não é uma das cidades mais animadas, pelo contrário, apesar de seus quase 2 milhões de habitantes, tem cara de interior. Por isso não espere muito agito. A região da Plaza de La Independência e Pocitos – principalmente Av. 21 de Septiembre – reúnem a melhor vida noturna, com bares e restaurantes. Mas é preciso preparar o bolso, porque os preços são mais altos que no Brasil, como quase tudo ali. No Bar 21, por exemplo, uma cerveja sai por US$6, enquanto o médio y médio custa US$8 a garrafa (pelo menos alguma coisa barata).

Medio y medio no Bar 21

TRANSPORTE
É muito fácil andar de táxi (que não é caro) e ônibus coletivo na cidade. Por isso, chegar aos pontos turísticos não vai ser problema. Do Aeroporto de Carrasco até a cidade, um táxi sai por cerca de US$45. Mas logo no desembarque você pode negociar, dividir o táxi com outras pessoas ou até mesmo contratar um serviço de van, dependendo do tamanho do grupo. E o melhor, nada de taxímetro. Você já paga ali no saguão mesmo, em dinheiro ou cartão. De Pocitos para o Terminal Rodoviário 3 Cruces, pouco mais de US$5 de táxi.

De Montevideo, partimos para Colonia del Sacramento

[slideshow]

Sobre o Autor
Rafael Carvalho
Mineiro fã de frango com quiabo e de uma boa cerveja, mora atualmente em São Paulo. É formado em Rádio e TV, pós-graduado em Jornalismo e trabalha há mais de 12 anos com Conteúdo Digital. Já passou por empresas como SBT e Jovem Pan FM. Apaixonado por viagens, fundou o Esse Mundo É Nosso e roda o Brasil e o mundo o ano todo sempre em busca de dicas para serem compartilhadas.
0 resposta
  1. Rafa, meu amor, estou aqui quase sem me conter em conhecer mais uma de suas aventuras… Aproveite mesmo, meu filho, suas oportunidades são fenomenais… Te amo…

  2. Olá! gostei muito deste blog!
    Sou estudante de arquitetura e estou fazendo minha monografia sobre albergues da juventude. Minha proposta inicial é desenvolver um projeto de hostel para Belo Horizonte. Gostaria de uma ajuda dos mochileiros para defender melhor minha idéia.
    Quem tiver interesse em me ajudar favor me enviar um email:

    [email protected]

    Obrigada!!!

  3. Não sei como, comps! Mas nossas viagens conseguem se superar; sempre se tornam as melhores! O Uruguai também foi assim. A emoção começou no avião pequeno, na volta pra conhecer o ambiente, às 4h damanhã, e comer nossa primeira empanada, meio crua, confesso, na loja do posto de gasolina, e o pirmeiro Milka aerado! A quinta-feira começou fria e cinza, mas antes disso, a gente se divertiu ouvindo a rádio uruguaia. Lembro até a pergunta do dia "O que você gostaria de mudar no seu cotidiano?". E a maioria das respostas dos ouvintes: "acordar mais tarde". O dia fria e cinza nos deixou meio preocupados, mas nenhum de nós assumiu isso hahaha. As ruas totalmeente vazias, o café de manhã com empanada e, claro, o primeiro brinde com Pilsen em terras uruguais. Sensacional! E não é que foi só o tempo da cerveja para o outro tempo abrir? De repente o sol chegou e o céu ficou azul! O mercado conseguiu ser melhor do que a gente esperava! Acho que eu nunca comi uma carne tão boa. Sem falar do clima e da nossa melhor descoberta: o medio y medio! Acho também que a gente deve ter andado uns bons 10 km hahaha, com direito à parada na montanha russa mais doida do mundo. E o supermercado? Voltas e voltas atrás do dulce de leche mais tradicional. E no fim do dia? Mais medio y medio e muuuito croquete de batata hahaha! Sensacional, companheiro! Quero mais!

  4. Adorei a "Despensa Dona Tereza", pois adoro frutas e legumes… Meu Deus, o empanado, dá até água na boca!… E o pôr do sol em Rambla? Sem comentário… Aproveite mesmo, meu filho, você é uma pessoa privilegiada em ter oportunidade de conhecer tantos países. Te amo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Melhor preço para Seguro Viagem

Sobre Nós
Rafael Carvalho

Somos Adolfo Nomelini e Rafael Carvalho, dois jornalistas que trabalham com conteúdo digital há mais de 10 anos. Aqui você encontra nossas dicas de viagens pelo Brasil e o mundo.