Roteiro a pé pelo Centro Histórico de Recife

O nome de Recife teve origem a partir dos arrecifes de suas praias, formações naturais que hoje não só dão origem às piscinas de Boa Viagem como também protegem os banhistas de ataques de tubarões.

A capital pernambucana é uma das cidades mais importantes da história do Brasil. Não é à toa que uma visita ao Centro Histórico de Recife é uma viagem ao passado. Quem conhece o também chamado “Recife Antigo” volta aos tempos da colonização portuguesa, que começou no século XVI, e percebe a influência dos anos sob domínio holandês (de 1630 a 1654). Durante o dia, a região ainda vibra com o movimento do comércio, mas é excelente para ser percorrida a pé. À noite, as ruas com prédios bem preservados lotam de mesinhas de bares e restaurantes, ao som dos mais diversos ritmos.

Comece pelo Marco Zero, palco principal das manifestações culturais e populares da cidade, entre eles do famoso Carnaval recifense.

Marco Zero, Centro Histórico de Recife (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Apresentação de Maracatu no Centro Histórico de Recife (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Ali também fica o Centro de Artesanato de Pernambuco, com uma grande loja, espaço gastronômico e galeria de arte.

Centro de Artesanato no Centro Histórico de Recife (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Aproveite para conhecer os novíssimos Armazéns do Porto, um espaço com muitos bares e restaurantes.

Seguindo pela Av. Marquês de Olinda, chegamos à Igreja Madre de Deus, imponente construção em estilo barroco.

Igreja Madre de Deus no Centro Histórico de Recife (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Ao lado fica o shopping Paço da Alfândega, adaptado em um lindo prédio onde funcionava a alfândega de Recife. Um terraço panorâmico, que infelizmente estava em manutenção, promete uma linda vista do Centro Histórico.

Centro Histórico de Recife (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Siga

A partir da parte de trás do Paço,  já avistamos o Rio Capibaribe e suas pontes, que deram fama à cidade de Veneza Brasileira. Passeios de catamarã (a partir de R$50 – consulte preços no site) percorrem o rio e as três ilhas que formam o Recife Antigo, além de contar histórias sob uma perspectiva diferente.

Centro Histórico de Recife (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Centro Histórico de Recife (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Se decidir cruzar a Ponte Maurício de Nassau, encontrará do outro lado um centro mais movimentado, com comércio popular, típico das grandes cidades brasileiras.

Centro Histórico de Recife (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Centro Histórico de Recife (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Centro Histórico de Recife (Foto: Esse Mundo É Nosso)Nessa região ficam o Teatro Santa Isabel, o lindo prédio do Tribunal de Justiça e a Brasília de Nossa Senhora do Carmo, que data do século XVII.

Não muito distante dali fica a Casa da Cultura, uma antiga prisão onde funciona um grande centro de artesanato. É muito interessante ver que as lojas funcionam em celas preservadas. Ótima opção para quem quer comprar lembrancinhas.

Casa da Cultura, Centro Histórico de Recife (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Casa da Cultura, Centro Histórico de Recife (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Pegamos um táxi de volta à região do Marco Zero, que com o cair da noite ficou ainda mais animado. Destaque para os bares da Rua da Moeda, próximo ao Paço da Alfândega.

A primeira sinagoga das Américas, a Kahal Zur Israel, fica pertinho dali, na linda Rua do Bom Jesus. Ainda no Centro Histórico de Recife, vale visitar o Teatro Apolo (o primeiro da cidade) e o Palácio do Governo. O Paço do Frevo é um novo espaço dedicado ao ritmo pernambucano. Um centro cultural de primeira!

 

CENTRO HISTÓRICO DE RECIFE

COMO CHEGAR
É possível ir de ônibus a partir de Boa Viagem e outras praias (consulte o site). O metrô chega até a Estação Recife, próxima à Casa da Cultura. Um táxi a partir de Boa Viagem custa entre R$15 e R$20.

 + Confira mais dicas de Recife

Booking.com

Rafael Carvalho

Mineiro fã de frango com quiabo e de uma boa cerveja, mora atualmente em São Paulo. É formado em Rádio e TV , pós-graduado em Jornalismo em Comunicação Hipermídia e trabalha há mais de 10 anos com Conteúdo Digital. Apaixonado por viagens, fundou o Esse Mundo É Nosso e roda o Brasil e o mundo o ano todo sempre em busca de dicas para serem compartilhadas.

6 Comments

  1. Márcia Maria Bastos disse:

    Estou querendo ir pra Recife por volta da última última de março , começo de abril , será que ja é época de chuva por lá ? Ou dá pra aproveitar bastante?

    • Oi Márcia, tudo bem?
      Em Recife faz sol o ano todo, mas a época de maior volume de chuvas é entre junho e julho. Então acho que você irá conseguir aproveitar sim, mesmo que pegue uma chuvinha ou outra.

      Abraços

  2. Nazaré Rocha disse:

    Olá Rafael. Sou recifense, adorei o seu post. Parabéns. Não sei se vc conheceu a Capela Dourada(se não, inclua na sua próxima visita ao Recife) que fica próxima ao Palácio da Justiça, na Rua que vai sair em frente ao Palácio do Campo das princesas(Palácio do Governo) que tem visitas guiadas( e vale muito à pena) e o Teatro de Santa Isabel(arquitetura fenomenal). Podem e devem facilmente serem incluídos nesse roteiro.

    Obrigada pelo belo post.

  3. Josean Morais disse:

    Recife é um lugar exótico, colorido e muito divertido.
    Excelente opção de viagem e diversão.

  4. Boia disse:

    Oi, Rafa. Tudo bem? 🙂

    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Natalie – Boia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *