Willemstad: A colorida capital de Curaçao, no Caribe

Talvez não exista cidade caribenha mais colorida que Willemstad. A capital de Curaçao, país caribenho autônomo do Reino dos Países Baixos, tem apenas 150 mil habitantes, mas charme de sobra. A colonização holandesa deixou fortes heranças, principalmente na arquitetura, aliada a influências portuguesas e espanholas.

As praias de Curaçao ficam fora da capital, que é mais portuária, mas nem por isso a cidade deixa de ser uma das grandes atrações dessa pequena ilha. Para nós, inclusive, é o melhor local para se hospedar durante a viagem. Ficando em Willemstad, você pode curtir os restaurantes, bares, lojas e cassinos depois de ziguezaguear o dia inteiro de praia em praia, inclusive a pé.

 

WILLEMSTAD

Willemstad, Curaçao (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Declarada Patrimônio Mundial pela Unesco, Willemstad pode ser dividida em duas partes principais: Punda e Otrobanda, separadas pela Queen Emma Bridge, ponte flutuante que é cartão-postal da cidade. Essa ponte é apenas para pedestres e, de uma hora para outra, pode ser “recolhida” para a passagem de algum iate ou navio.

Queen Emma Bridge - Willemstad, Curaçao (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Se você perceber que irá demorar, durante esse período barcos fazem a travessia entre os dois lados (serviço pago). No horizonte, a altíssima ponte Queen Juliana faz a ligação entre os bairros para os veículos.

 

 

» PARA ENTENDER WILLEMSTAD

 

PUNDA

Punda é o bairro mais turístico e mais amistoso para ser percorrido a pé. É onde estão as lojinhas mais bacanas, bons restaurantes, hotéis boutique e a vida noturna mais animada (para os padrões daqui, claro). É também onde fica o conjunto arquitetônico que virou símbolo de Curaçao, os predinhos coloridos lado a lado de frente para o canal que divide os dois bairros. Os barzinhos são ótimos para cutir o visual.

Willemstad, Curaçao (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Willemstad, Curaçao (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Aproveite para dar uma passadinha no Mercado Flutuante, com frutas frescas que vêm da Venezuela e ficam à venda nos próprios barcos. Se quiser algo ainda mais autêntico, há um Mercado popular ao lado, num prédio bem feio, mas bom para encontrar refeições a baixos preços. Pertinho dali fica a Mikvé Israel-Emanuel, primeira sinagoga das Américas, que curiosamente tem chão de areia.

Sinagoga Mikvé Israel-Emanuel - Willemstad, Curaçao (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Na praça Koningin Wilhelmina, além de ótimos cafés para começar o dia ou curtir um happy hour, fica o letreiro com escrito “Curaçao”.

Willemstad, Curaçao (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Quase em frente está o Waterfort Arches, uma ótima pedida pra ver o pôr-do-sol e, quem sabe, já emendar com a noite. O espaço reúne diversos restaurantes de várias especialidades.

Willemstad, Curaçao (Foto: Esse Mundo É Nosso)

 

 

OTROBANDA

Se “aportuguesarmos”, podemos entender “Otrobanda” como “outra banda”. Literalmente, fica do outro lado do canal que o separa de Punda. Essa “banda” tem menos atrações e é mais frequentada pela população local devido ao forte comércio popular. Nem por isso, deixa de ter uma arquitetura bem bonita. É também o ponto de desembarque dos cruzeiros que chegam à ilha.

Willemstad, Curaçao (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Em Otrobanda fica o Rif Forte, um forte de 1828 que hoje abriga um dos points da capital, um complexo com restaurantes, bares e lojas. Quase anexo ao forte, está o hotel Renaissance, com shopping e cassino aberto ao público em geral.

Renaissance Mall & Rif Fort (Foto: Divulgação)

 

 

PIETERMAAI

De volta ao outro lado do canal, pertinho de Punda, fica o descolado bairro Pietermaai, onde nos hospedamos. Aqui os casarões coloniais coloridos aparecem e o novo comércio de Willemstad faz sucesso: hoteizinhos bacanas, bares animados e restaurantes com cara de bistrô. Tudo isso com a facilidade de ser mais fácil estacionar o carro (imprescindível em Curaçao).

Willemstad, Curaçao (Foto: Divulgação/Curaçao.com)

Outro bairro charmoso é Charloo, que o Ricardo Freire mostra como é no Viaje na Viagem.

 

HORÁRIOS

Se um costume chama a atenção em Willemstad é o horário que os estabelecimentos fecham. Tudo muito cedo. Para o jantar, por exemplo, você já deve chegar ao restaurante por volta das 20h. Depois disso, corre o risco de ver a cozinha fechar e ser barrado. Nos restaurantes mais procurados, é preciso inclusive fazer reservas, pois por volta das 22h todas as portas já baixaram.

E essa questão de horário vale também para as lojas. Tudo fecha às 18h. Dá uma pena, porque seria ótimo, depois de ficar o dia todo na praia, caminhar à noite pelo comércio de Punda.

Willemstad, Curaçao (Foto: Esse Mundo É Nosso)

 

PARA SE LOCALIZAR

O Aeroporto Internacional Hato fica a 12Km de Willemstad e o táxi é tabelado. Mas como nossa dica é SEMPRE alugar carro em Curaçao, em cerca de meia-hora, dependendo do trânsito, você já deverá estar em seu hotel na cidade. As estradas são boas.

Da capital, você pode facilmente deslocar-se de carro para as praias mais famosas. Mas algumas delas, como a incrível Kenepa Grandi (também chamada dePlaya Abao) ficam a cerca de 40Km do centro. Prepare-se para dirigir e deslocar-se de praia em praia. Curaçao é assim. Ou melhor, Curaçao é INCRÍVEL assim!

Veja também:

+ Kenepa Grandi, o mar mais azul de Curaçao
+ Onde comer em Curaçao: Dicas de bares e restaurantes
+ Onde ficar em Curaçao: Dicas de hotéis
+ Compras em Curaçao: O que vale a pena comprar
+ 10 dicas para curtir Curaçao por conta própria

 

Booking.com

Rafael Carvalho

Mineiro fã de frango com quiabo e de uma boa cerveja, mora atualmente em São Paulo. É formado em Rádio e TV , pós-graduado em Jornalismo em Comunicação Hipermídia e trabalha há mais de 10 anos com Conteúdo Digital. Apaixonado por viagens, fundou o Esse Mundo É Nosso e roda o Brasil e o mundo o ano todo sempre em busca de dicas para serem compartilhadas.

Leave your comment

  1. carlabatista disse:

    Que lugar maravilhoso! Adoraria conhecer 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *