Adeus Peru e olá Copacabana, Bolívia!!!

Fronteira do Peru com a Bolívia

Fronteira do Peru com a Bolívia

Mais um dia que acordamos cedo. Dessa vez para pegar o ônibus para a Bolívia às 7h30. Fomos para a rodoviária de “biketaxi” (s/2 – US$0,70) – coitado do velhinho carregando dois marmanjos a 3 mil metros de altura!

Ao contrário do dia anterior, a viagem de 3h até Copacabana, do lado boliviano do Titicaca, foi boa e o ônibus era só de turistas estrangeiros. Conheci a Terry, uma canadense. No ônibus também estavam Rodrigo e Thalita, outros dois brasileiros que eu havia conhecido em Cuzco. O interessante é que essa cidade teve influência sobre o nome do bairro carioca no Brasil (explico mais abaixo).

Quando chegamos ao lado boliviano, mais um argentino apareceu, o Gonzalez. Então eu, Hernan e ele dividimos um bom quarto, mas simples, no Hostal Wara (15bs – US$2). Descemos para o restaurante e almoçamos truta – o prato tradicional de Copacabana (10bs – US$1,30).

Acabamos de almoçar e corremos para pegar a excursão para a Isla del Sol (a 2h de barco pelo Lago Titicaca). O lugar é lindo e a imensidão azul parecia mar.

Copacabana

Quando chegamos à ilha, que era uma montanha, foi um sufuco! Como em todos os lugares com mais de 3mil metros de altura, subir um lance de escadas quase mata. Mas o lugar era demais, uma vista incrível. E, como esse mundo é pequeno, voltamos a encontrar as duas argentinas que dividiram o quarto com a gente em Cuzco, a Vicky e a Celeste.

O passeio terminou no fim da tarde e fomos jantar com as argentinas (12bs – US$1,50). No fim da noite, ainda compramos uma Paceña para provar a cerveja boliviana (6bs – US$0,75). O ruim é que, pra variar, era em temperatura ambiente!

Pra quem colou na escola:

Copacabana é a principal cidade do entorno do Lago Titicaca na Bolívia, de onde saem os barcos que fazem a visita à Isla del Sol, uma ilha sagrada dos Incas. Esta localizada há 3.841 metros acima do nível do mar e a 155 Km, de La Paz. Faz fronteira com o Peru.

Em Copacabana está a igreja de Nossa Senhora de Copacabana, padroeira do país, onde se encontra uma das imagens mais cultuadas da Virgem Maria. No século XIX, uma réplica da imagem da Virgem Maria foi feita e levada ao Rio de Janeiro no Brasil, onde foi criada uma pequena igreja para a Nossa Senhora de Copacabana, constituída por comerciantes espanhóis, e algumas chácaras e sítios. A igreja foi crescendo, e acabou dando o nome ao bairro de Copacabana.

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

Rafael Carvalho

Mineiro fã de frango com quiabo e de uma boa cerveja, mora atualmente em São Paulo. É formado em Rádio e TV, pós-graduado em Jornalismo e trabalha há mais de 12 anos com Conteúdo Digital. Já passou por empresas como SBT e Jovem Pan FM. Apaixonado por viagens, fundou o Esse Mundo É Nosso e roda o Brasil e o mundo o ano todo sempre em busca de dicas para serem compartilhadas.

Leave your comment

  1. buenasdicas disse:

    Muito bonito mesmo! Ainda mais para quem chega do Titicaca peruano, um pouco menos incrível do que o lado boliviano. Não gostei muito da vila de Copacabana, meio superfaturada e turística demais na rua principal. O bacana mesmo é a Isla del Sol, ainda "in natura". E aquele vista pra Cordilheira Real? Fantástico demais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *