Complexo arqueológico de Angkor, no Camboja

Milhões de turistas visitam todos os anos Siem Reap, no Camboja, para ter a chance de conhecer um dos mais incríveis patrimônios da humanidade eleitos pela UNESCO: o Complexo de Angkor, com uma incrível herança dos séculos IX ao XV, tempos do Império Khmer. A área tem aproximadamente 400Km².

Os tours para conhecer os monumentos normalmente começam bem cedo, a tempo de assistir ao nascer do sol em Angkor Wat, o principal templo. É tão importante, que está estampado na bandeira e no dinheiro do país. Construído no começo do século XVII, levou 30 anos para ficar pronto e foi erguido com objetivos hinduístas. Esse é o maior prédio de todo o complexo, assim como o mais famoso e o que mais atrai visitantes.

Angkor Wat, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Se você está planejando uma viagem pra lá, há diversas opções sobre o que fazer em Angkor, como andar a cavalo, voar de helicóptero e fazer tours privados mais elaborados.

As fotos mais famosas de Angkor são justamente do nascer do sol em Angkor Wat. Por isso é que dezenas de tuk tuk’s chegam todos os dias antes do dia clarear com os visitantes que querem assistir ao espetáculo. É simplesmente maravilhoso. Vale a dica de levar repelente, pois os pernilongos são insaciáveis. Muitos me disseram que o pôr-do-sol também vale a pena ali, infelizmente não pude comprovar.

Angkor, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Angkor, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Angkor Wat, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Como o complexo é muito grande, a forma mais comum é alugar um tuk tuk por um dia todo para percorrer o parque, sai por cerca de US$20. Há quem arrisque ir de bicicleta, mas saiba que o calor é insuportável. Eu iria passar o dia todo lá. Antes das 10h da manhã já pedi ao motorista para me levar de volta ao hotel. Estava passando realmente muito mal com o calor.

Angkor, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

A partir de Angkor Wat você pode conversar com seu motorista para visitar os locais que deseja ou então deixar que ele trace o roteiro. Eu deixei com ele e, da mesma forma, conheci os pontos mais famosos.

Bayon é um dos lugares mais procurados. Os rostos esculpidos na rocha de seus templos são realmente impressionantes.

Angkor, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Outro lugar muito disputado é Prasat Ta Prohm e suas árvores retorcidas que cresceram sobre as ruínas. Esse local foi um dos que serviu cenário de Angelina Jolie no filme Tomb Raider (assista).

Angkor, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Angkor, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Angkor, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Poderia escrever aqui linhas e linhas sobre a história e a beleza de Angkor. Mas isso só teria interesse para quem efetivamente for conhecer o local. Nosso primeiro objetivo é fazer você saber de sua existência e se inspirar para visitá-lo um dia. Foi simplesmente um dos locais mais incríveis onde já estive.

Angkor, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

COMO VISITAR ANGKOR

A cidade base é Siem Reap, que tem um aeroporto internacional com boas conexões para os principais países do Sudeste Asiático. A melhor forma é alugar um tuk tuk para o dia todo.

Angkor, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Os ingressos são vendidos da seguinte forma: 1 dia (US$20), 3 dias com validade de uma semana (US$40) e 7 dias com validade de um mês (US$60). A menos que você seja um frequentador assíduo de museus e doido para desvendar cada cantinho do complexo, um dia é suficiente. Consulte mais informações sobre os ingressos no site da Apsara.

O horário de funcionamento é das 5h da manhã às 17h30.

+ Confira mais dicas e relatos de Siem Reap

Post Patrocinado

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

Rafael Carvalho

Mineiro fã de frango com quiabo e de uma boa cerveja, mora atualmente em São Paulo. É formado em Rádio e TV, pós-graduado em Jornalismo e trabalha há mais de 12 anos com Conteúdo Digital. Já passou por empresas como SBT e Jovem Pan FM. Apaixonado por viagens, fundou o Esse Mundo É Nosso e roda o Brasil e o mundo o ano todo sempre em busca de dicas para serem compartilhadas.

13 Comments

  1. Carlos disse:

    Oi Rafael! Você fez os passeios com um guia particular ou alguma agência? Poderia me passar o contato, por favor?

    • Oi Carlos, tudo bem?
      Eu fiz com guia particular mesmo. Nas duas vezes que já fui, pedi indicação na recepção do meu hotel. É uma boa, mas acaba saindo mais caro, apesar de eles te indicarem guias profissionais. O que você pode fazer se quiser economizar é combinar com qualquer motorista de tuktuk na rua mesmo para te levar no horário combinado, mesmo que seja de manhãzinha. Ele irá te pegar no hotel e levá-lo ao parque, mas dessa forma a visita normalmente é autoguiada e você paga apenas o transporte.

      Infelizmente eu não anotei o contato do último que me levou, mas é bem fácil encontrar um dia mesmo antes da visita.

      Abraços e boa viagem!

  2. Alessandra Choairy Myrrha disse:

    Otimos seus posts sobre o Camboja. PErguntinha… DEvo visitar Phnom Penh ? Eh que teremos uns 2-3 dias entre deslocamento e Camboja… E nao li muito sobre a capital. O que acha?

  3. Thalita disse:

    Oiti Rafael, você poderia me informar se o complexo está aberto todos os dias? Ou se finais de semana ou feriado fecha??

  4. Pedro Pereira disse:

    Pela a amostra parece que foi muito bom mesmo! Tenho de experimentar estes países!

    Abraço!

  5. Boia disse:

    Oi, Rafa. Tudo bem? 😉

    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Natalie – Boia

  6. Um dos lugares mais irados do mundo…ver o sol nascendo é sensacional!!!

    Quando eu fui havia uma névoa densa e já estava decepcionado em pensar que o sol não apareceria. De repente abriu tudo e rolou uma das fotos que mais gosto de toda a viagem.

    Bom post Rafa, como sempre!!!

    Abs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *