Boa Vista: A única capital brasileira que fica no hemisfério norte

Boa Vista, em Roraima, é uma das capitais menos conhecidas dos brasileiros; talvez tenha aquele estigma de Rio Branco (que já conhecemos no Acre) de “será que existe mesmo?”. Mas é uma pena.

A cidade é interessante, curiosa, com uma população de cultura diferente das demais regiões do Brasil e com boas atrações para os visitantes.

Boa Vista, Roraima (Foto: Esse Mundo É Nosso)

O QUE FAZER EM BOA VISTA, A MAIS SETENTRIONAL

Banhada pelo Rio Branco, Boa Vista é a única capital brasileira que fica completamente no hemisfério norte – Macapá é apenas cortada pela Linha do Equador. Não é à toa que tem mais fácil acesso para o Caribe que para o “nosso” Oceano Atlântico. A miscigenação entre os migrantes vindos do Sul (não é difícil encontrar alguém tomando chimarrão pelas ruas), os nordestinos e os índios da região deram origem a uma grande diversidade cultural.

A cidade de apenas 300 mil habitantes foi planejada em forma leque, em alusão às ruas de Paris, e reúne cerca de 2/3 da população do jovem estado de Roraima, fundado em 1988. Por ter sido desenhada, tem ruas largas e chega muitas vezes a lembrar Brasília, claro que em suas devidas proporções. Um exemplo disso é o Centro Cívico, praça que reúne os três poderes e outros prédios públicos. As principais avenidas e ruas “desembocam” ali, já que a cidade tem um traçado radial.

Palácio do Governo em Boa Vista, Roraima (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Assembleia Legislativa, Boa Vista, Roraima (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Boa Vista, Roraima (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Boa Vista tem clima tropical e temperaturas elevadas, que variam de 20ºC a 36º. Mas isso na teoria. Quando visitamos a cidade, em novembro, às 10h da manhã os termômetros já passavam dos 40ºC. Mas essa também é a melhor época para o visitante, que, graças ao período de estiagem (de outubro a março), pode curtir as diversas praias de água doce que se formam às margens do Rio Branco.

Boa Vista, Roraima (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Uma dessas praias é a imperdível Praia Grande. Na margem oposta da cidade, o lugar fica cheio nos fins de semana e é uma ótima pedida para curtir a água quente e tomar uma cerveja nas mesinhas colocadas dentro do rio. A única maneira de chegar até lá é de barco (veja o post especial sobre o passeio).

Praia Grande em Boa Vista, Roraima (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Praia Grande em Boa Vista, Roraima (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Praia Grande em Boa Vista, Roraima (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Às margens do Rio Branco também fica o pequenino centro histórico de Boa Vista. As poucas casinhas com arquitetura portuguesa do século XIX e a Igreja Matriz de Nossa Senhora do Carmo dão um charme todo especial.

Centro Histórico de Boa Vista, Roraima (Foto: Esse Mundo É Nosso)
Centro Histórico de Boa Vista, Roraima (Foto: Esse Mundo É Nosso)Centro Histórico de Boa Vista, Roraima (Foto: Esse Mundo É Nosso)

 

 

 

 

 

Pertinho dali fica a atração mais famosa da cidade, a Orla de Taumanan. O píer construído sobre o rio é composto por duas plataformas suspensas e abriga quiosques com opções diversas de alimentação, além de palco de shows ao ar livre.

Orla de Taumanan - Boa Vista, Roraima (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Orla de Taumanan - Boa Vista, Roraima (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Orla de Taumanan - Boa Vista, Roraima (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Orla de Taumanan - Boa Vista, Roraima (Foto: Esse Mundo É Nosso)

O nome Taumanan, em macuxi, quer dizer “paz” e as plataformas foram batizadas de Meremê (arco-íris) e Weiquepá (nascer do sol). Sentar-se ali para almoçar ou jantar ao som de uma música ao vivo e com uma vista linda do Rio Branco é programa obrigatório.

Orla de Taumanan - Boa Vista, Roraima (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Durante a noite, o calor de Roraima faz a Praça das Águas o programa preferido dos boa-vistenses. A grande praça, com fontes coloridas e um portal em homenagem à virada do século, é tomada por famílias e jovens em busca de diversão. É o ponto também no qual artistas se apresentam e você encontrará souvenirs para levar para casa.

Praça das Águas - Boa Vista, Roraima (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Praça das Águas - Boa Vista, Roraima (Foto: Esse Mundo É Nosso)Praça das Águas - Boa Vista, Roraima (Foto: Esse Mundo É Nosso)

 

 

 

 

 

 

No lado oposto ao Centro Cívico, ainda na comprida Praça das Águas, fica a maioria dos bares e restaurantes. E são boas as opões. Além de um lanchonete do Bobs, você encontrará chopperias e pizzarias, todas com mesas ao ar livre.

Praça das Águas - Boa Vista, Roraima (Foto: Esse Mundo É Nosso)

COMO CHEGAR

O pequeno, mas bonito e moderno Aeroporto Internacional de Boa Vista (Atlas Brasil Cantanhende) fica a apenas 4Km do centro da capital. O táxi, tabelado por ali, custa R$30 e a maioria dos voos chega e parte durante a madrugada. TAM e GOL operam voos diários para Manaus, com conexões para outros destinos.

A cidade tem dois terminais de ônibus. O principal fica no bairro Caimbé e outro está localizado no Centro. Mas não é tão fácil circular por via terrestre no Estado. Boa Vista só tem ligação por terra com Manaus, o interior de Roraima, Venezuela e Guiana. Ou seja, não tem como chegar lá de carro a partir de outra região do Brasil sem ter que embarcar o veículo em um navio ou balsa.

Com carinha de cidade de interior e importância de capital, Boa Vista foi uma agradável surpresa. Uma cidade charmosa, organizada, base para quem quer conhecer o Monte Roraima e que sempre está de braços abertos para receber seus visitantes.

+ Confira todas as nossas dicas por destino

 

 

 

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

Rafael Carvalho

Mineiro fã de frango com quiabo e de uma boa cerveja, mora atualmente em São Paulo. É formado em Rádio e TV, pós-graduado em Jornalismo e trabalha há mais de 12 anos com Conteúdo Digital. Já passou por empresas como SBT e Jovem Pan FM. Apaixonado por viagens, fundou o Esse Mundo É Nosso e roda o Brasil e o mundo o ano todo sempre em busca de dicas para serem compartilhadas.

Leave your comment

  1. Reinaldo disse:

    Rafael, estarei em Boa Vista em Novembro, como trânsito para o Monte Roraima, e tinha reservado dois dias inteiros lá: um antes do trekking e outro depois. Estava na dúvida se tinha tomado uma boa decisão, mas com seu post tive a certeza. Vai ser muito bom descansar na Praia Grande antes e depois da aventura. Ah… estou postando aqui mais tbm curti bastante os posts sobre Manaus, pois antes de chegar a Boa Vista, passarei por lá. Por sinal, não vi nada sobre os hotéis de selva, d qual tbm estou pesquisando. Forte abraço e parabéns pelo trabalho!!

  2. Simone disse:

    Eu morei em Boa Vista e morro de vontade de voltar para lá.

  3. Claudia Oliveira disse:

    Esqueceram de dizer que o calorzão é amenizado por muito vento, já que aqui não tem muitos prédios altos e os ventos nos refrescam…. Eu sou baiana, e moro aqui!

  4. Boia Paulista disse:

    Oi, Rafa =) Tudo bem?

    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem.

    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Feliz Natal!

    Até mais,
    Natalie – Boia Paulista

  5. Henrique disse:

    Parabéns Rafa mais uma vez, a cidade parece muito organizada, gostei de verdade! Abraços

  6. Marcelo Lemos disse:

    Por increça que parível, eu conheço Boa Vista. Tenho família por lá e, talvez por isso, nunca tivesse olhado a cidade como vocês olharam. Muito legal!
    Uma das coisas interessantes de lá, que eu não sei se ainda existe, são os taxis lotação. Eles percorrem uma linha fixa e vão parando e pegando passageiros enquanto houver vagas no carro. Uma alternativa barata de transporte na cidade. 🙂
    E que cidade quente. Nuh!

    • Oi Marcelo, obrigado pela visita.
      Que legal, nós gostamos da cidade. Mas sempre é assim, não olhamos com os olhos de quem vem de fora pra nossa cidade, né? Como estivemos lá em um domingo, não notamos o táxi lotação, mas em BH também tem. É uma ótima opção de transporte!
      E que calor, hein? Imagina agora no verão?
      Abraços,
      obrigado

  7. Pois decidi de última hora que este será meu destino no reveillón. Vou encontrar minha mãe e a família dela que tem uma casa nas margens do Rio Branco. Os próximos posts chegam antes do dia 26 ou posso fazer uma consulta? Segundo minha mãe, esse lado da família só quer comer, fazer festa e tomar banho de rio, não fazem muito turismo.

  8. gleiber disse:

    Eu só consigo pensar numa coisa: "ai que calor!" Abração! Muito bom post…

  9. Que calor Rafa!
    Tenho muita vontade de conhecer, gosto de conhecer lugares poucos conhecidos.
    Parabéns pelo post, maravilhoso!

  10. Rafael disse:

    Curti muito a tal da Praia Grande. Muito legal saber que Boa Vista é interessante. Confesso que nunca tinha pensado em ir lá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *