Como é voar Cebu Pacific Air, uma low-cost das Filipinas

Durante minha viagem ao Sudeste Asiático, pesquisei muito sobre como ir de Cingapura às Filipinas. Os altos preços das passagens acabaram me fazendo cair na Cebu Pacific Air, uma companhia low-cost filipina. Li alguns reviews medianos sobre a empresa, com reclamações principalmente sobre atrasos, mas decidi encarar.

Eram dois voos pela empresa, incluindo uma conexão na capital Manila, e foram duas experiências totalmente diferentes, com direito a uma surpresinha desagradável que eu só descobriria já nas Filipinas. Mas afinal, como é voar Cebu Pacific Air? É o que conto agora.

 

COMO É VOAR CEBU PACIFIC AIR

Como é voar Cebu Pacific Air, nas Filipinas (Foto: Esse Mundo É Nosso)

COMPRA DAS PASSAGENS
A compra pelo próprio site da Cebu foi tranquila. Uma coisa que você irá reparar é que os valores quase duplicam nas Filipinas no momento em que você vai fechar a compra de passagens, quando são inseridas as taxas e impostos. Comprei apenas um bilhete saindo de Cingapura com destino a Kalibo (aeroporto próximo ao paraíso de Boracay), mas com conexão em Manila.

 

CHECK-IN
O aeroporto de Cingapura é o melhor do mundo, portanto o check-in foi agradável e tranquilo. A Cebu permite que você leve até 20Kg de bagagem despachada gratuitamente.

Como é voar Cebu Pacific Air, nas Filipinas (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Ao tentar retirar meus bilhetes uma informação me deixou assustado:

– Senhor, seu voo depois da conexão, entre Manila e Kalibo, está cancelado. Não recebeu o email da companhia?

[ Corri pro celular para conferir se havia algum email ]

– Mentira? Olha aqui, esse email foi enviado há 5 minutos por vocês. E agora, qual o próximo voo?

– Então, senhor. O seu voo de conexão não é operado pela Cebu, mas pela Tiger Air. Nós apenas vendemos a passagem desse segundo trecho.

– Mas não tem nada escrito sobre Tiger em lugar nenhum do meu bilhete. E agora, qual a solução?

– Como não fica no nosso sistema, não podemos fazer nada aqui em Cingapura. Sugiro que o senhor embarque e veja a situação lá nas Filiponas.

Pronto. Lá fui eu morrendo de medo rumo a Manila. Não tinha outra escolha. Tinha reserva de hotéis em Boracay e apenas 3 dias para curtir as praias da ilha. A história continua mais abaixo…

 

O VOO
O voo entre Cingapura e Manila saía às 2h da manhã. Atrasou por mais de uma hora. E o ruim foi que praticamente tudo no aeroporto fechou (isso que é o melhor do mundo). Mas embarcamos com tranquilidade. O avião era um Airbus A320, o mesmo usado pela TAM no Brasil.

Como é voar Cebu Pacific Air, nas Filipinas (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Como é voar Cebu Pacific Air, nas Filipinas (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Como é voar Cebu Pacific Air, nas Filipinas (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Mesmo com o atraso, o voo de 3h de duração foi tranquilo. Nem fiquei muito chateado pelo atraso porque preferia chegar em Manila já mais tarde para poder checar a situação do meu voo. O serviço de bordo é pago à parte.

Como é voar Cebu Pacific Air, nas Filipinas (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Como é voar Cebu Pacific Air, nas Filipinas (Foto: Esse Mundo É Nosso)

 

A CONEXÃO
Desembarquei no Terminal 2 do Ninoy International Airport por volta das 6h da manhã, eleito diversas vezes o pior aeroporto do mundo. Apesar de feinho, esse terminal não era tão horrível assim.

Me dirigi imediatamente a um balcão da Cebu Pacific Air para verificar como ficaria minha situação, já que meu voo de conexão estava cancelado. O que me disseram foi que como o voo era operado pela Tiger Air, eu devia ir até o Terminal 1, onde a empresa opera. E aí começou o pesadelo.

O aeroporto de Manila tem quatro terminais, mas nenhum interligado com o outro. Você deve fazer o deslocamento por sua conta e risco. E não é possível ir caminhando, ou seja, você precisará pegar um táxi. Como eu não queria fazer o câmbio ali, procurei alguma alternativa e descobri que a tal Tiger Air tinha ônibus gratuitos para o Terminal 1, mas que o próximo sairia só daqui uma hora. Sentei e aguardei.

Ao chegar ao Terminal 1, levei um susto. Nem a rodoviária da minha cidade de 5 mil habitantes no interior de Minas tem aquela [falta de] estrutura.

Aeroporto de Manila, Filipinas (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Fui correndo ao balcão da Tiger, já por volta das 7h da manhã, e perguntei sobre o voo para Kalibo. Estava realmente cancelado. Foi então que me disseram que endossariam o bilhete e que eu iria no voo das 14h pela Air Asia. Peguei uma xerox com alguns campos preenchidos a mão e me sentei num cantinho pronto pra maratona da espera.

Não demorou muito pro aeroporto, que estava com o teto caindo, ficar abarrotado e o ar-condicionado parar de funcionar. Tentei esperar do lado de fora, mas o calor era insuportável. Decidi então trocar o dinheiro, pegar um táxi e ir para algum hotel nas redondezas para ao menos tomar um banho, afinal eu tinha viajado a noite toda.

Os hotéis em Manila são caríssimos pelo que oferecem. Mesmo pesquisando na internet, acabei gastando mais de R$200 num lugar velho e cheirando a cigarro. Mas ao menos era limpo e pude tomar um bom banho.

 

A TENTATIVA
De volta ao temido terminal – mais tarde descobriria que há um novo e confortável terminal para voos internacionais -, fui ao balcão da Cebu e me garantiram que estava tudo “OK”, que o voo seria pela Air Asia. Reparei que todos os outros passageiros do voo da manhã ficaram no aeroporto, jogados no chão mesmo.

Aeroporto de Manila, Filipinas (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Por volta das 13h, uma hora antes do suposto embarque, meu nome foi anunciado. Todo feliz, peguei minhas malas e já estava pronto para embarcar. Sabe de nada, inocente! Me deram foi um copo de refrigerante e uma coxa de frango, garantindo que logo mais embarcaríamos. Me juntei aos demais passageiros para “almoçar” no chão do aeroporto.

Com a proximidade do horário, fui ao balcão da Air Asia e o gerente super gentil me disse que havia alguns lugares vazios no voo, mas que a Tiger não havia passado lista alguma de passageiros. Pronto, ali já percebi que não embarcaria mais e que estava mesmo perdendo meu dia na praia.

A partir daí eu e os demais passageiros começamos a arrumar uma baita confusão. Gritaria, uns mais exaltados pulando o balcão e xingando os funcionários. Por volta das 15h, descobri que um ônibus estava levando os passageiros para o outro terminal, o mesmo que cheguei pela manhã, mas que eu sequer havia sido avisado. Me enfiei no meio deles e fomos com a promessa de que o voo, esse operado pela própria Cebu, que me vendeu as passagens, sairia às 15h30. Já eram 15h, ninguém havia feito check-in. Sabia que não embarcaríamos.

Mais confusão no outro terminal. Não havia lista nenhuma e a funcionária que nos acompanhou nos colocou na fila e ignorou a tal lista. Passado o horário já tínhamos perdido outro voo. A confusão foi generalizada, incluindo seguranças e policiais, até a tal lista aparecer.

Minha última esperança era o voo das 17h, que chegaria em Kalibo por volta das 19h. Eu ainda teria que pegar mais duas horas de van e um barco pra chegar bem à noite a Boracay.

Percebi que os funcionários estavam ignorando ou enrolando para fazer o check-in dos mais exaltados. Então fiquei calmo, fui ao guichê e de forma educada contei minha história. Falei que tinha saído de Cingapura na noite anterior… funcionou! Em poucos minutos despachei a mala e estava com as passagens em mãos.

Como é voar Cebu Pacific Air, nas Filipinas (Foto: Esse Mundo É Nosso)

 

O SEGUNDO VOO
Finalmente embarcado, percebi que o voo estava completamente vazio e que os funcionários não precisavam ter tratado os passageiros daquela forma. Havia lugar para todos.

Como é voar Cebu Pacific Air, nas Filipinas (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Esse voo da Cebu Pacific Air seguiu os mesmos moldes do primeiro, tudo certo. Saiu pontualmente dessa vez. Cheguei a Kalibo no horário previsto e fui correndo tentar o transporte de van. Seriam ainda 2h até Boracay (saiba mais desse outro trajeto).

 

CONCLUSÃO
Apesar da tremenda confusão e prejuízo, não fiquei tão receoso com a Cebu. Eu até voaria de novo, desde que não houvesse conexão operada por outra empresa. Mais tarde descobri que esses voos começam com letras diferentes no bilhete, quando operado por parceiras. Valeu o risco pelo preço melhor, só não valeu perder um dia dos apenas três que eu tinha em Boracay.

+ Confira dicas para planejar sua viagem às Filipinas

+ Veja relatos de voos em diversas aéreas pelo mundo

 

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

Rafael Carvalho

Mineiro fã de frango com quiabo e de uma boa cerveja, mora atualmente em São Paulo. É formado em Rádio e TV, pós-graduado em Jornalismo e trabalha há mais de 12 anos com Conteúdo Digital. Já passou por empresas como SBT e Jovem Pan FM. Apaixonado por viagens, fundou o Esse Mundo É Nosso e roda o Brasil e o mundo o ano todo sempre em busca de dicas para serem compartilhadas.

6 Comments

  1. Igor Sandez disse:

    Rafael bom dia!

    Vou viajar daqui a 4 meses para as Filipinas.
    Estou com uma dúvida: Existem 3 “classes” de vôo pela Cebu. A mais barata, é apenas “Fly”. Nela temos direito a bagagem de porão de 20 kg?

    Abraço!
    Igor

    • Oi Igor, tudo bem?
      Pelo que vi aqui no site da Cebu, com a tarifa “Fly” você só pode levar bagagem de mão, tem que pagar pra despachar a mala. Apenas as tarifas “Fly + Bag” e “Fly + Bag + Eat” têm já inclusas o despacho das malas.

      Abraços

  2. Tiago disse:

    Olá, Rafael.
    Estou entrando em pânico.
    A Cebu alterou meu voo vindo de Boracay para Manila das 7h50 para as 10h30 da manhã e eu tenho outro de ligação da AirAsia às 14h.
    Acha que chegando a Manila as 11h30 dá tempo de apanhar o voo das 14h, sendo no mesmo terminal?

  3. Filipe disse:

    Corajoso de ir para as Filipinas. É a prova de que um povo legal não faz um país legal!

  4. Paullo disse:

    Ixe deu até um friozinho depois que li seu Blog.
    Vou à Boracay em Março mesmo trecho e mesma companhia área que dizer vou pesquisar outra. (Risos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *