Conexão em Kuala Lumpur: Dicas para encarar o tenebroso terminal LCCT

* Atualização: O LCCT foi desativado; saiba mais sobre os novos terminais aqui

A Air Asia foi eleita pelo quarto ano consecutivo como a melhor companhia low-cost do mundo pela Skytrax, respeitável pesquisa anual de empresas aéreas. Mas quem voa para um dos mais de 80 destinos em 20 países com a melhor corre o risco de passar por uma conexão no pior aeroporto em que já estive, o Terminal Low-Cost (LCCT) de Kuala Lumpur, a uma hora do centro da cidade.

Conexão em Kuala Lumpur - Terminal Low-Cost LCCT (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Esse é o principal hub de operação da Air Asia, ou seja, se você for fazer uma parada na Malásia, provavelmente parará por ele. Eu tive que virar uma noite após chegar às 23h30 de um voo de Phuket, na Tailândia, e ter de esperar até às 7h para embarcar rumo a Siem Reap, no Camboja. E confesso que não é uma experiência fácil.

Conexão em Kuala Lumpur - Terminal Low-Cost LCCT (Foto: Esse Mundo É Nosso)

CONEXÃO EM KUALA LUMPUR: DICAS

Logo no desembarque, nada de fingers, aquelas pontes que ligam o avião aos terminais. Tudo bem, no Brasil estamos muito acostumados a pegar aqueles ônibus já que os tais fingers são poucos para tanto movimento. Mas por aqui você é que tem que caminhar até o desembarque. Essa caminhada por ser muito longa – eu levei mais de 10 minutos -, em meio aos aviões e carros que transportam malas, por um corredor escuro e mal sinalizado até chegar no free shop.

Conexão em Kuala Lumpur - Terminal Low-Cost LCCT (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Conexão em Kuala Lumpur - Terminal Low-Cost LCCT (Foto: Esse Mundo É Nosso)

A imigração, pelo menos, foi rápida e tranquila, mas logo ao chegar do lado de fora do terminal, você se assusta com um aeroporto velho, sujo e escuro. Outra coisa que dá um alívio é que existe conexão Wi-Fi grátis em todos os cantos. Mas fique atento, você só tem direito a usar a internet por 3h, ou seja, se for a noite toda, terá que escolher o melhor momento!

Conexão em Kuala Lumpur - Terminal Low-Cost LCCT (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Como já era tarde, muita gente já estava deitada pelo chão dormindo. É que as poucas cadeiras são disputadíssimas. E assim como eu, muita, mas muita gente, teria que passar a noite no LCCT para aguardar o próximo voo.

Embora a maioria das lojas esteja fechada durante a madrugada, o Mc Donald’s e outro restaurante fast food semelhante funcionam 24 horas. Por causa disso, ficam lotados, mas não deixam de ser uma boa opção.

Se você quer um pouco mais de paz para comer ou tirar um cochilo na mesa mesmo, do lado de fora do aeroporto existe uma praça de alimentação. Para chegar ao Food Garden, como é chamado, saia do terminal e vire à esquerda, sentido terminal doméstico de passageiros. Siga pela calçada, passando pelos pontos de ônibus.

Conexão em Kuala Lumpur - Terminal Low-Cost LCCT (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Conexão em Kuala Lumpur - Terminal Low-Cost LCCT (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Conexão em Kuala Lumpur - Terminal Low-Cost LCCT (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Dentro existem algumas opções de restaurantes locais e uma unidade do KFC.

Conexão em Kuala Lumpur - Terminal Low-Cost LCCT (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Agora se você vai encarar dormir no chão mesmo, o terminal internacional é o mais silencioso. Confesso que vi algumas baratas rondando a área e por isso resolvi passar a noite acordado. De toda forma, por volta das quatro da manhã, dê adeus ao sono. Os check-in’s reabrem e logo o terminal está cheio novamente.

Conexão em Kuala Lumpur - Terminal Low-Cost LCCT (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Quem não tem alma muito aventureira pode escolher descansar por algumas horas na sala VIP Plaza Premium Lounge. Se seu cartão de crédito não é aceito, a entrada pode ser paga na hora, mas é bem salgada (cerca de R$100). Com antecedência você consegue adquirir por um preço mais baixo através do Priority Pass. De toda forma, espere muitas pessoas dormindo “jogadas” na sala também.

A Adriana Miller, do blog Dri Everywhere, mostra outra boa solução pra não precisar encarar o chão sujo do LCCT, o Tune Hotel,  que também pertence à empresa Air Asia.

Na hora do check-in e do embarque, prepare-se para as cobranças rigorosíssimas sobre a bagagem de mão (7Kg e uma única peça) e longas, muito longas, filas para imigração, checagem de documentos e portões de embarque (#paciência).

 

[vsw id=”66393350″ source=”vimeo” width=”640″ height=”360″ autoplay=”no”]

Sei que quem precisar passar a noite nos aeroportos brasileiros, por exemplo o Tom Jobim, no Rio, deve sofrer da mesma forma. Mas quis deixar aqui o relato da minha experiência.

E você? Já passou por isso? Como foi? Conta pra gente!

 

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

Rafael Carvalho

Mineiro fã de frango com quiabo e de uma boa cerveja, mora atualmente em São Paulo. É formado em Rádio e TV, pós-graduado em Jornalismo e trabalha há mais de 12 anos com Conteúdo Digital. Já passou por empresas como SBT e Jovem Pan FM. Apaixonado por viagens, fundou o Esse Mundo É Nosso e roda o Brasil e o mundo o ano todo sempre em busca de dicas para serem compartilhadas.

Leave your comment

  1. danbispo disse:

    A Dri Miller fez um post no blog dela Dri everewhere http://drieverywhere.net/2012/02/17/tune-hotel-ae… que fala de um hotel Tune que fica dentro do aeroporto. Parece que ele tem um conceito Low cost e é destinado justamente a esse público (como eu) não quer passar o perrengue de uma noite inteira no aeroporto

    Espero ter ajudado
    Dani Bispo

  2. Luciano Ladeira disse:

    Estive este ano no aeroporto concordo com tudo que disse é um caos só faltou postar que se alguém pretende ficar em Kuala Lampur são mais de 1 hora de viagem.

  3. Interessante o post. Realmente deve ser uma aventura.
    Parabéns.

  4. Afe, Rafa. Que barra! Passei por algo semelhante em Girona. Só que no meu caso foi proposital, para economizar uma grana, me arrependo até hoje. A sorte é que Girona não é tão acabado, mas "dormimos" no chão… tristeza. Pra nunca mais!
    Quer dizer, mentira. Dia desses marcaram um voo pra mim às 3:30 de uma segunda em GRU. Cheguei lá por volta das 21 para não sair de madrugada de casa… foi difícil e desconfortável me manter acordada até a hora do embarque.

    A gente se mete em cada uma, né? O bom é que o nosso repertório de histórias viajantes só cresce…

    Tô amando tua viagem! Beijo!

  5. Natália disse:

    PS: E vc achou o aeroporto feio e sujo. Eu, que sai d Índia e caí nele, tava deslumbrada e achando tudo lindo. É tudo questão de perspectiva mesmo rsrs

    • Hahahah Nathy, tudo é perspectiva mesmo! Mas foi bem bizzaro! Eu também achei que lá dentro teria um bom ar condicionado ao menos, mas acontece que eu tinha que despachar bagagem, ou seja, só 3h antes do voo poderia entrar 🙁
      Bjos e obrigado pela visita!

  6. Natália disse:

    Nós também dormimos nesse terminal! É realmente complicado, tivemos que dormir na mesa do mcdonalds hahaha. O melhor lugar para dormir nele é dentro da sala de embarque, mas não dá pra entrar muito antes do voo… Já dormi em aeroportos bem melhores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *