Kantuta: Um pedaço legítimo da Bolívia no centro de São Paulo

Que São Paulo é uma cidade cosmopolita, ninguém tem dúvida. Mas nenhum lugar, além do bairro japonês da Liberdade, me levou tão além da fronteira brasileira como a Feira Kantuta.

No coração da capital paulista, a feira reúne todos os domingos os imigrantes bolivianos, que celebram o encontro com muita música, culinária local e artesanato.

Feira Kantuta - São Paulo (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Visitar a Kantuta é fazer uma viagem à Bolívia. As músicas andinas dão o tom, o espanhol é o idioma oficial e as barraquinhas lembram as feiras de La Paz e Copacabana, com produtos naturais e industrializados, além das peças de vestuário coloridas do país.

Feira Kantuta - São Paulo (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Feira Kantuta - São Paulo (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Feira Kantuta - São Paulo (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Não é difícil encontrar pelas ruas em torno da Praça Kantuta, no bairro do Pari, as típicas cholas com seus bebês pendurados nas costas. Acho que isso é o mais interessante. A feira não é para turistas que assim como eu se aventuram por ali, mas um ponto de encontro para os mais de 100 mil bolivianos que o governo estima viver apenas em São Paulo.

Feira Kantuta - São Paulo (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Feira Kantuta - São Paulo (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Feira Kantuta - São Paulo (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Embora fique num lugar nada simpático da capital paulista, a Kantuta é super familiar e o acesso é fácil a partir do metrô Armênia (veja mapa abaixo).

O ponto forte da feira é a culinária. As barracas vendem pratos tradicionais bolivianos, entre eles a salteña (R$3,80), espécie de empanada que pode ser frita ou assada. O sabor é original, me lembrou os tempos em que estive na Bolívia.

Feira Kantuta - São Paulo (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Salteña na Feira Kantuta - São Paulo (Foto: Esse Mundo É Nosso)

As barraquinhas também vendem doces típicos, biscoitos, os gigantes milhos andinos, cerveja Paceña (R$5) e a famosa Inca Kola (R$5), refrigerante amarelo que é velho conhecido de quem já viajou pelo Peru e Bolívia.

Feira Kantuta - São Paulo (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Feira Kantuta - São Paulo (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Além de todas essas atrações, grupos de dança boliviana também se apresentam na Praça Kantuta. Mas para vê-los, procure chegar ao lugar um pouco mais tarde, a partir das 15h. Embora a feira abra às 11h e vá até às 19h, é por volta das 14h que o movimento começa a aumentar e as barracas estão totalmente montadas. Um programão para quem quer viajar sem nem mesmo tirar o pé de São Paulo! Saí de lá de estômago satisfeito e mãos cheias de compras.

Só por curiosidade, Kantuta é uma flor típica do altiplano andino, tradicional da Bolívia e do Peru. A planta tem as cores verde, amarela e vermelha, as mesmas da bandeira boliviana.

FEIRA KANTUTA

Quando

Domingos, das 11h às 19h

Como chegar

É muito fácil ir à Feira Kantuta de metrô. A partir da estação Armênia da 1 – Linha Azul, basta virar à direita na Rua Pedro Vicente e seguir até o cruzamento com a Av. Cruzeiro do Sul. Depois é só andar mais um quarteirão até a Praça Kantuta.

 

 

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

Rafael Carvalho

Mineiro fã de frango com quiabo e de uma boa cerveja, mora atualmente em São Paulo. É formado em Rádio e TV, pós-graduado em Jornalismo e trabalha há mais de 12 anos com Conteúdo Digital. Já passou por empresas como SBT e Jovem Pan FM. Apaixonado por viagens, fundou o Esse Mundo É Nosso e roda o Brasil e o mundo o ano todo sempre em busca de dicas para serem compartilhadas.

Leave your comment

  1. Flavio disse:

    Achei excelente os comentários, só colocando em observação que "Cholas" são aquelas que possuem vestimenta tipica de uma Chola, as 7 saias, tranças, chapéu,etc. Qualquer pessoa na Bolívia pode carregar as crianças com um Aguayo ( tela colorida em que a criança esta sendo carregada na foto.) . Mto bom mesmo esta parte do site, gostei bastante. Há também um site http://WWW.BOLIVIACULTURAL.COM.BR onde podem ver varias fotos, programação de festas, grupos de dança, etc da colonia boliviana.

    Abraço

  2. Juliana disse:

    Ótima dica!!! Quero passar por lá!

  3. Muuuito bom, vou direto a São Paulo. Nunca ouvi falar da tal feira! Valeu pela dica! 🙂

  4. É incrível como paulistanos não conhecem a própria cidade. Sei da imigração boliviana nessa parte de São Paulo, mas nunca pensei em visitar um local num domingo.

    Excelente post!!! Mais uma vez!!!

    Abraços

  5. duige disse:

    Até eu me senti na Bolívia… Sabe que eu adoro esses bonequinhos, instrumentos musicais… Amei seu comentário… Beijos…

  6. Daniela disse:

    Adorei! 🙂 Vou disponibilizar um domingo pra passear por lá!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *