Por que as pessoas insistem em julgar quem gosta de viajar muito?

Sempre tive essa impressão. E ela parece ter piorado com a crise e as redes sociais. Por que as pessoas insistem em julgar mal quem gosta de viajar muito?

“Esse aí não faz nada da vida? Aquela ali deve ter casado com um marido rico. Esse povo não trabalha não?”. Prefiro pensar que não é inveja. Vejo mais como desinformação.

Não entendo porque é bonito meu amigo guardar dinheiro anos a fio pra comprar um carro que vai gastar mais dinheiro e depois estar desvalorizado, e no meu caso é sinônimo de vagabundagem ou falta de planejamento financeiro eu me programar pra viajar. Nada contra quem sonha em ter um carro ou acaba gastando boa parte do salário nele por necessidade mesmo. Fico feliz pela sua conquista. Mas não é porque eu viajo muito que não estou tendo as minhas conquistas também.

Por que as pessoas insistem em julgar quem gosta de viajar muito? (Foto via Shutterstock)

Foto via Shutterstock

Por que minha amiga pode torrar mil reais num único sábado no shopping com “o vestido, a bolsa e aquele sapato imperdíveis que entraram em liquidação” e eu não posso gastar menos que isso pra passar um feriado inteiro na praia?

Claro que cada um faz o que quiser com seu dinheiro e o certo seria ninguém dar pitaco no bolso de ninguém, a menos que seja um amigo querendo dar bons conselhos financeiros. Mas só eu sinto que paira no ar esse sentimento sobre viagens?

Sinceramente, já tem muitos anos que boa parte do meu orçamento mensal (depois dos custos básicos de sobrevivência) vai pras minhas viagens. E sabe o que eu penso quando olho pra trás e vejo o tanto de dinheiro que gastei? Fico orgulhoso.

Poucas coisas me fizeram crescer tanto pessoalmente. Abri minha mente como nunca tinha acontecido antes. Viajar me fez dar uma reviravolta até na minha vida profissional. Como eu estaria sem essas viagens? Não sei. Como estou? Muito feliz, obrigado.

Por que as pessoas insistem em julgar quem gosta de viajar muito? (Foto via Shutterstock)

Foto via Shutterstock

Graças a essas aventuras acabei caindo no ramo de viagens. Virou minha profissão. E você acha que as pessoas não olham pra mim e dizem “mas além de viajar você trabalha com o quê?”. Não vou começar a citar aqui quantas horas por dia passo sentado ao computador, quantos fins de semana passo trabalhando ou quantas dezenas de emails preciso lidar todos os dias…

Só queria tentar entender por que viajar, que é uma coisa que praticamente todo mundo ama, é visto com maus olhos. Por que é mais bonito comprar isso ou aquilo e não uma passagem? Ambos são produtos que conquistamos com nosso suor. A diferença, pra mim, é que as viagens ficam pra sempre. Lembro do cheiro da chuva no aeroporto e do meu sorriso no rosto no dia da minha primeira viagem internacional. Isso não é marcar? É mais que isso. É um bem que ninguém consegue tirar de mim!

+ Por que viajar faz bem para (diminuir) o ego
+ Qual o problema de ser clichê numa viagem?

+ Curta nossa página no Facebook
+ Siga o @essemundoenosso no Instagram
+ Também estamos no Twitter

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

Rafael Carvalho

Mineiro fã de frango com quiabo e de uma boa cerveja, mora atualmente em São Paulo. É formado em Rádio e TV, pós-graduado em Jornalismo e trabalha há mais de 12 anos com Conteúdo Digital. Já passou por empresas como SBT e Jovem Pan FM. Apaixonado por viagens, fundou o Esse Mundo É Nosso e roda o Brasil e o mundo o ano todo sempre em busca de dicas para serem compartilhadas.

21 Comments

  1. Deila disse:

    Esse artigo me representa 👏🏼👏🏼👏🏼

  2. MARIA DE LOURDES PEREIRA NASCIMENTO felipe disse:

    Oi, Rafael! Se preocupa não, com o que falam a respeito dos “viajantes natos”! É pura inveja!!! Essa disposição para se lançar é algo raro…eu compartilho com você desse delicioso prazer de se aventurar e conhecer novas culturas, novas pessoas, novas culinárias…expandir horizontes. Mais eu tivesse “money”, mais eu viajaria!! Recentemente fui conhecer Provence, no Sul da França…mal cheguei, já estou enlouquecida para visitar Fernando de Noronha (isso porque o dindim não dá pra ir pra vaadhoo islands nas Maldivas). Amo de paixão, tudo nas viagens…até as dificuldades eventuais. Você está certíssimo: todo ano, pagas as contas, pegue a mochila e vá ao encontro do que te faz feliz…

  3. Virginia Maria Konat Zorzi disse:

    Adoro viajar. Sempre que volto de uma viagem, já começo a programar outra.Conhecer novas culturas e hábitos me encantam, além de paisagens e história.Gostei da reportagem. Que venham muitas e muitas viagens.

  4. Fernanda disse:

    Agora a medicina definiu que pessoas que gostam “demais” de viajar possuem uma patologia. Aliás, a “ciência” adora definir tudo como patologia. E a sociedade tem o péssimo hábito de ditar o que é correto ou errado.
    As pessoas são diferentes e possuem ideais de vida diferentes. Isso precisa ser entendido. Ou seja, pra muitas, levar essa paixão por viagens, mesmo que a um extremo, e ter isso como filosofia de vida não deixa de ser perfeitamente comparado com quem acha que o formato ideal é trabalhar de segunda à sexta e folgar sábados e domingos: normal para ela, mas extremo pra muitos. Fiquemos atentos, pois o que faz um indivíduo feliz, certamente não é o que faz o outro e o conceito dessa vida formatada nada mais é do que uma imposição de repetição de padrões que julgam ser os corretos. Mas um dia, com a evolução das sociedades, ainda seremos bem vistos e muitos olharão pra trás, ao final de suas vidas, e dirão: eles também estavam certos. Eu também poderia ter tido uma.vida assim.

  5. Cláudia Cruz disse:

    Certamente, as viagens ficam para sempre com o viajante até porque somente os prazeres da alma são eternos.

  6. Amanda Guimarães disse:

    Ótimo texto. E o pior de tudo é quando somos criticados pela nossa própria família. Sempre tem aquela comparação: seu primo já tem casa e carro e vc ai só pensando em viajar. Eu já nem perco meu tempo respondendo a essess comentários, pois sei que nunca vão entender. As vezes eu sinto que é vontade de viver a vida que eu vivo, mas não têm coragem suficiente para isso.

  7. Ted Bill disse:

    Acho “estranha” essa matéria pq como vc mesmo postou, a maioria ama viajar.

    Quem costuma ser mais criticado a cada volta de férias, somos nós que não gostamos de viajar. Volto ao trabalho depois das férias e me perguntam: “E aí como foram as férias, viajou muito?” Eu digo que não viajei e as pessoas vem com um suspiro de decepcionadas e que eu estou doente e dizem: “Que pena, que triste!”

    Me questionam. Perguntam pq não gosto de viajar. Às vezes, até me definem com vários adjetivos: apático, rotineiro, preso, mente fechada, nada do que sinto ser. Afinal de contas, não questiono quem viaja e pra mim não criticar os gostos dos outros é ter mente aberta, mesmo que eu não sinta e compreenda direito esse gosto. Me sinto livre pq faço exatamente o q gosto e quero. Não sou apático pq, particularmente, gosto de atividades diversas (praticar esportes, ver de tudo na tv, entrar na internet, conversar com amigos, ir às praia, beber/comer, etc) e de pensar. Parcialmente, executo rotinas (que não quer dizer um defeito e sim uma característica). Mas, de certa forma, quem viaja também vive na rotina… de viajar!

    Ah! Mas, nas viagem faço coisas diferentes. Ok! E quem disse que pessoas que ficam em casa ou na sua cidade não fazem coisas diferentes, muitas das vezes? E pq rotina é necessariamente algo ruim, se a pessoa gostar?

    Ué, precisamos viajar para nos sentirmos felizes, termos liberdade?

    Sempre me senti o peixe fora do aquário. E vendo este texto de uma pessoa que sente o “preconceito invertido”, fico até chocado como tem gente que critica as coisas que os outros gostam e que não afeta a mais ninguém! Mas, de qq forma, espero que não faça o mesmo criticando quem não gosta de viajar e senti leves críticas embutidas.

    Eu, também, sem viajar, me sinto orgulhoso!
    Eu, também, sem viajar, me sinto crescendo no aspecto pessoal e abro minha mente, quando tiro um tempo pra pensar sobre as coisas, como estou fazendo neste exato momento aqui!
    E tudo, absolutamente tudo que se gosta de fazer, fica pra sempre na alma da pessoa… seja ter um carro, uma casa, fazer uma viagem, ouvir músicas, ir ao cinema, dormir para descansar, transar, conversar, praticar yoga… depende do que se gosta!

    Boas viagens e boa sorte!

    • Questionador disse:

      Parabéns! Perfeito comentário! Irretocável e incontestável. Sou um dos que são crucificados pela família e amigos por não gostar de viajar. Se tem algo que não me causam a “inveja” escrita no texto, são “viagens”.

  8. Daine Ribeiro disse:

    Sinto na pele isso… Toda vez que faço planos para as próximas férias, que fico louca com alguma promoção de passagens, com algum lugar incrível que me dá vontade de conhecer… Acho que é inveja, sei lá, só pode… Só quem viaja como a gente fica realmente interessado em ouvir nossas experiências, nossas impressões dos lugares que acabamos de conhecer… De como é fantástico conhecer a Confeitaria Colombo do Rio, de como era deliciosa a bala de menta que só encontramos em Buenos Aires, de como foi impressionante encontrar sem querer a porta de entrada da muralha da cidade de Salvador numa parede dentro do Museu da Gastronomia do Sesc… Eu e meu marido trabalhamos muito, vivemos cansados, mas depois de nos formarmos decidimos investir em viagens, antes de entrar em um financiamento de casa, antes de ter filhos…Moramos numa casa simples e temos o nosso carrinho quitado, para quê mais que isso?! Queremos aproveitar agora a vida, os benefícios que todas as viagens que fazemos nos trazem. Imagino se se invertêssemos esse modo de vida, se deixássemos essa etapa para o futuro, não teríamos mais saúde ou até nem a mesma cabeça que temos hoje. Pensamos de uma forma diferente, livre e as vezes nos sentimos estranhos por isso. Mas a vida é uma escolha e essa foi a nossa… Somos muitos felizes assim 😉

  9. Daniela disse:

    Parabéns pelo texto e pelas novas conquistas.
    O blog de viagens de vcs é sério! O sucesso é consequência e reconhecimento!

    Beijão

  10. Lucilaine Furtado disse:

    Viajar é uma filosofia de vida, é quase intrínseco de quem gosta, como se não tivéssemos outra escolha a não ser botar o pé na estrada. Eu criei um blog de viagens há pouco tempo e meu lema é: almas assim não podem ficar ancoradas num lugar só. Acho que resume bem o que falo quando me perguntam isso hahaha
    Se quiserem conferir mais: http://www.almasviajantesblog.wordpress.com

  11. Ludmy disse:

    Acho que uma das suas missões é mostrar como viajar pode ser mais simples do que as pessoas pensam: é só se organizar financeiramente, logisticamente e estar aberto pra novas experiências. Vai com tudo, Rafa! 😀

  12. Que legal esse texto, Rafa. Ia escrever um comentário enorme aqui mas acho que vou fazer um texto também, porque esse processo do “você viaja muito né?” para eu dizer com orgulho (e não vergonha) que “trabalho com viagens” tem toda uma história de transformação que passou dentro de mim e acabou refletindo na história do blog. Enfim, é isso aí, valeu! Mas acho que essa história de ver com maus olhos melhorou bastante. Abração.

  13. Marcia Doliveira disse:

    Adorei ver o seu texto. Sempre fui assim, como vc. Sempre amei viajar e acho q eh o maior investimento que um ser pode fazer a si mesmo. Viajar eh cultura. Sou muito observadora, adoro conviver c o povo do lugar. Isso eh conhecer. Pergunto as vezes ao porteiro do hotel onde ele come na sua folga, pq sei q se come bem e mais barato. Nunca em restaurantes turisticos. Sentar em um cafe em Buenos Aires, em uma calçada em Paris ou sentir o cheiro do mato molhado c uma boa prosa c um cigarro de palha no interior de Minas Gerais. Isso nao tem preço. Por isso sempre digo o mundo me espera, rsrs. Fui.

  14. Gabi Pizzato disse:

    Estamos todos no mesmos barco! Parabéns pelo texto!
    Enriquecemos a cada viagem e eu também sou muito feliz por isso! 😉

  15. Marina Argentin disse:

    Concordo muito! Cada viagem é tão especial!
    As vezes eu sinto que falam de um jeito maldoso quando chego em algum lugar e comentam “Olha a viajante aí!Não para quieta!”. Será que só eu sinto isso?
    Fico chateada quando algumas amigas minhas falam “que sorte que vc tem dinheiro pra viajar, eu preciso ver se sobra pra ver se consigo ir”.E nunca viajam, e gastam dinheiro com baladas e coisas caríssimas. Eu tento muito fazê-las entender que qualquer um pode ir pra qualquer lugar, e essa é a minha prioridade, mesmo que eu sempre repita as mesmas roupas! =)
    Enfim, são escolhas né?

  16. Ah Rafa, a única resposta que tenho pra isso é que as pessoas tem medo. E se sentem criticadas em seu modo de vida porque ousamos fazer diferente. É muito contrassenso, mas é a única forma que consigo explicar o mau humor da minha sogra todas as vezes que precisamos avisar que vamos viajar (todo mês, né?! hehehehe!).
    O importante é o quanto isso faz bem para nós mesmos. E tenho certeza que faria bem também pra quem adora nos criticar =)

  17. Leonardo Henrique disse:

    Concordo. Legal a matéria. Se uma pessoa fala que fez um consórcio de 50 mil para comprar um carro ninguém fala nada, mas se falar que vai viajar, ficam criticando, lógico que cada um faz o que quer com o seu dinheiro.

  18. Sempre me fiz as mesmas perguntas! Obrigado por traduzir em um post! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *