Onde ficar em Luang Prabang, no Laos: Villa Maly

A cidade mais visitada do Laos, Luang Prabang, é repleta de hotéis, resorts e pousadas charmosas. Você pode escolher entre reviver a história do país ficando em casarões ou curtir o luxo dos empreendimentos modernos, mas que não perdem os traços típicos da região.

Com tantas opções, foi difícil escolher onde ficar em Luang Prabang. Um dos hotéis onde me hospedei foi o Villa Maly, um casarão em estilo francês com serviços de primeira.

O Villa Maly tem “pedigree real”. O primeiro dos vários prédios que formam hoje o hotel foi construído em 1938 pelo neto do rei Kham Souk Zakarine. Administrado atualmente por franceses, o local guarda o charme da época de colônia da França sem se esquecer dos serviços que um hóspede espera num estabelecimento deste padrão.

Onde ficar em Luang Prabang: Villa Maly (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Logo na chegada, você é recebido com um brinde de boas vindas, com suco de hibiscus, uma típica flor do Laos. A piscina é um dos grandes points do Villa Maly, onde além de curtir o forte sol de Luang Prabang, é possível tomar um drink ou fazer uma refeição.

Onde ficar em Luang Prabang: Villa Maly (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Onde ficar em Luang Prabang: Villa Maly (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Onde ficar em Luang Prabang: Villa Maly (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Os 33 quartos, divididos entre superior e deluxe, são espaçosos e com decoração colonial, com vista para o jardim ou para a piscina. Me hospedei no superior, com ar-condicionado, Wi-Fi grátis, minibar, TV com canais internacionais e água mineral, frutas, café e chá de cortesia.

Onde ficar em Luang Prabang: Villa Maly (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Ao chegar ao quarto, você encontra uma cartinha de boas vindas e muitas flores naturais, inclusive decorando a cama.

Onde ficar em Luang Prabang: Villa Maly (Foto: Esse Mundo É Nosso)

O atendimento é super atencioso. Há uma gerente de clientes para ajudar os hóspedes a programarem seus passeios e pronta para qualquer problema que possa ocorrer. Além de francês, o staff fala muito bem inglês, espanhol e até mesmo há um gerente que arranha algumas palavras em português.

O café da manhã é servido no restaurante e o pedido é feito a partir de um cardápio. São muitas as opções, entre elas café continental, francês e típico do Laos. Frutas, sucos, pães e um autêntico croissant quentinho completam a refeição.

Onde ficar em Luang Prabang: Villa Maly (Foto: Esse Mundo É Nosso)

O Villa Maly fica a cerca de 15 minutos de caminhada da rua principal de Luang Prabang. Se não quiser ir a pé ou precisar durante a noite, um serviço de transfer é feito em um carrinho de golfe. Basta ligar que o motorista te busca no centrinho.

Onde ficar em Luang Prabang: Villa Maly (Foto: Esse Mundo É Nosso)

O pequeno, mas funcional SPA, oferece massagens e outras terapias com vista para a piscina. O serviço é pago à parte.

Onde ficar em Luang Prabang: Villa Maly (Foto: Esse Mundo É Nosso)

O hotel gerencia ainda uma das mais famosas atividades da cidade, o jantar ou almoço a bordo do barco Nava Mekong, que ganhará um post aqui. Se você for a Luang Prabang, o Villa Maly é uma ótima escolha. Charme e requinte inspirados na época colonial francesa.

ONDE FICAR EM LUANG PRABANG: VILLA MALY

Tel: (856) 71 253 902/903/904
www.villa-maly.com
+ Consulte preços das diárias e faça sua reserva

* O jornalista se hospedou a convite do Villa Maly

+ Confira dicas do Laos

 

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

Rafael Carvalho

Mineiro fã de frango com quiabo e de uma boa cerveja, mora atualmente em São Paulo. É formado em Rádio e TV, pós-graduado em Jornalismo e trabalha há mais de 12 anos com Conteúdo Digital. Já passou por empresas como SBT e Jovem Pan FM. Apaixonado por viagens, fundou o Esse Mundo É Nosso e roda o Brasil e o mundo o ano todo sempre em busca de dicas para serem compartilhadas.

Leave your comment

  1. Edwiges disse:

    Como muitas pessoas comentaram, viajamos juntas com você… Foram dias inesquecíveis e, agora, com esse seu relato e postagens de fotos, completa nossa realização. Obrigada pela oportunidade de viajarmos sem, sequer, precisarmos de sair de casa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *