Brasileiro viaja para países que não existem e relata aventuras

Quando Guilherme Canever estava dando sua volta ao mundo, acabou desembarcando em Somalilândia, um país independente desde 1991, com presidente, exército e moeda, mas que não possui reconhecimento internacional.

A partir daí, Guilherme passou a pesquisar mais sobre o que determina ser um país e por que alguns não fazem parte da lista da ONU (Organização das Nações Unidas).

Países que não existem (Foto: Reprodução)

Foto: Reprodução

O brasileiro então decidiu ir atrás destes destinos desconhecidos até por autoridades mundiais. Ele viajou para dezesseis localidades, entre elas, Transnístria, Abecásia, Nagorno-Karabakh, Ossétia do Sul, Saara Ocidental e Chipre do Norte, e agora lançou o livro “Uma Viagem pelos Países que não existem”, em que narra suas aventuras por estes locais.

Além disso, no livro, Guilherme conta suas experiências na Palestina, Kosovo, Caxemira, Tibete e Taiwan, que embora sejam muito conhecidos, também não figura na lista dos 193 países da ONU.

Países que não existem (Foto: Reprodução)

Foto: Reprodução

Na publicação, ele fala da relação do governo brasileiro com cada um dos destinos, conta a história do lugar e dá dicas dos principais atrativos das regiões.

+ Como passei a comprar menos para viajar mais
+ Ciência confirma que viajar traz mais felicidades do que bens materiais

UMA VIAGEM PELOS PAÍSES QUE NÃO EXISTEM

192 páginas (R$ 50)
Guilherme Canever
Editora Pulp

Booking.com

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

Adolfo Nomelini

Jornalista formado pela PUC-SP e pós graduado em Comunicação em Mídias Digitais, é apaixonado por música, coxinha, televisão, seus óculos e internet. Trabalha há 8 anos com conteúdo online e passa boa parte do tempo “jogando o corpo no mundo, andando por todos os cantos e, pela lei natural dos encontros, deixando e recebendo um tanto”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *