Visitar as Piscinas Naturais de Pajuçara está entre as atrações mais procuradas por quem visita Maceió. E não é pra menos. A apenas 2km mar adentro a partir da orla da capital alagoana, bancos de areia repletos de corais formam, durante a maré baixa, uma verdadeira piscina de águas clarinhas.

Grifamos acima as palavras “maré baixa” porque ela é essencial para o passeio ser proveitoso. Quanto menor a maré, conforme explicaremos mais adiante, mais proveitoso e bonito será o passeio.

+ Confira dicas de hotéis em Maceió com melhor custo-benefício

Para se chegar até as piscinas naturais de Pajuçara, é preciso pegar uma das jangadas credenciadas na praia de Pajuçara, uma das mais badaladas de Maceió. Há inclusive embarcações adaptadas para cadeirantes. A viagem dura apenas cerca de 10 a 15 minutos, de acordo com a vontade do vento, e já proporciona uma linda vista da cidade e daquele mar “verde azulado” de encher os olhos.

Piscinas Naturais de Pajuçara (Foto: Esse Mundo É Nosso)

pajuçara 1

Ao chegar aos bancos de areia, as jangadas ancoram lado a lado em torno das piscinas, onde os turistas podem nadar junto de corais e peixes coloridos (os próprios jangadeiros costumam dar rações para atraí-los). Quem quiser, pode alugar máscaras de snorkel para mergulhar e até caiaques.

Piscinas Naturais de Pajuçara (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Piscinas Naturais de Pajuçara (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Algumas das jangadas servem de bares com bebidas e petiscos. Por incrível que pareça, mesmo no meio do mar, há serviço de garçom e até mesinhas adaptadas de isopor que flutuam para comodidade dos visitantes. Os preços são normais, como no continente, e é possível até mesmo pagar com cartão em alguns casos.

Durante minha visita, numa sexta-feira fora da alta temporada, a lotação estava “ok”. Apesar de muitos turistas, deu pra aproveitar bastante e fiquei feliz pela limpeza das águas (não havia nenhum lixo flutuando – quer coisa mais triste num lugar desses?).

Piscinas Naturais de Pajuçara (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Quando a maré começa a subir, os visitantes são chamados pelos jangadeiros. É hora de voltar à cidade. Se você chegar no horário certa, dá pra aproveitar cerca de 2h dentro d’água. Abaixo mostramos os detalhes pra você aproveitar ao máximo sua visita.

Piscinas Naturais de Pajuçara (Foto: Esse Mundo É Nosso)

 

PISCINAS NATURAIS DE PAJUÇARA

QUANTO CUSTA

Em março de 2015, os jangadeiros credenciados cobravam R$180 por seis visitantes. Conseguimos negociar por R$100 para três pessoas. Se você estiver sozinho ou com menos gente, dá pra dividir com outros turistas.

A IMPORTÂNCIA DA MARÉ BAIXA

Quanto mais baixa a maré, mais bonitas ficam as piscinas naturais. O ideal é que esteja abaixo de 0.5m. E tem hora certa para a baixa da maré. No site da Marinha, procure por “Porto de Maceió” e veja os horários. Na página você consegue ver a previsão com bastante antecedência. Procure chegar à praia de Pajuçara (próximo ao hotel Radisson) e embarcar na jangada com pelo menos uma hora ou uma hora antes do horário de menor altitude, dessa forma você conseguirá aproveitar mais as piscinas.

Durante as luas nova e cheia a maré tem variações mais radicais, ou seja, os índices ficam menores durante a baixa. Essas épocas são as melhores pra a visitação. Mas ao contrário de Maragogi, aqui há passeios todos os dias, mesmo quando o índice supere a marca de 0.5m.

Piscinas Naturais de Pajuçara (Foto: Esse Mundo É Nosso)

PREVISÃO DO TEMPO

Além da tábua das marés, vale ficar de olho na previsão do tempo. Qualquer piscina natural só valerá mesmo a pena (e terá águas clarinhas azuis ou verdes) com sol. Se você acordou e o céu está carrancudo, tente deixar para um próximo dia. Vai valer a pena a espera!

JANGADEIRO

Fiz o passeio com o “Fia”. O telefone dele é (82) 99823 9243.

+ Galés de Maragogi: Como planejar sua viagem
+ Mais dicas pra curtir o melhor de Maceió
+ Veja como usar a tábua das marés

Sobre o Autor
Rafael Carvalho
Mineiro fã de frango com quiabo e de uma boa cerveja, mora atualmente em São Paulo. É formado em Rádio e TV, pós-graduado em Jornalismo e trabalha há mais de 12 anos com Conteúdo Digital. Já passou por empresas como SBT e Jovem Pan FM. Apaixonado por viagens, fundou o Esse Mundo É Nosso e roda o Brasil e o mundo o ano todo sempre em busca de dicas para serem compartilhadas.

11 respostas

  1. Buen día. Fui a las piscinas naturales de pajucara y un muchacho nos sacó fotos con los peces y no me las mandó. Alguien lo conoce? o si lo ven. Necesito su teléfono. tiene un kayak azul. Gracias

  2. Bom dia , vou me hospedar de 08 à 15 dez/17. Conosco terá uma cadeirante, (minha filha)somos em três . Vi que tem embarcações adaptadas, quem eu procuro por favor?

    1. Oi Heloise, tudo bem?
      Realmente eu já ouvi dizer que existem algumas adaptadas. Como eu não conheço diretamente algum jangadeiro, sugiro que ligue pra esse que indico e peça o contato de algum.

      Abraços e espero que consiga fácil!

  3. Olá pessoal,
    Muito bacana as informações para quem busca saber PISCINAS NATURAIS DE PAJUÇARA. Parabéns.
    Estarei indo para Maceió no início de março de 2018. Olhei a tábua e vi que a baixa (0.0) estará às 12:20. Esse horário dá para ir?
    Obrigado.

    1. Oi Moreno, tudo bem?
      Eu ainda não encontrei a tábua das marés pra 2018, pois a Marinha ainda não liberou. Mas se você achou, dá sim pra fazer o passeio em qualquer horário, só combinar com o barqueiro.

      Abraços

  4. Boa noite senhora Daniela,

    Dá sim, para levar sua bebê de 11 meses tranquilamente, pois além de ter espaço para deixa-la em cima da jangada; se caso vocês optarem em dar uma megulhada ou fazer fotos, também disponho de guarda sol.

    Sou jangadeiro – meu nome é Vando – meu contato 82-98825-1384

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Reserve seu hotel aqui
Melhor preço para Seguro Viagem

Sobre Nós
Rafael Carvalho

Somos Adolfo Nomelini e Rafael Carvalho, dois jornalistas que trabalham com conteúdo digital há mais de 10 anos. Aqui você encontra nossas dicas de viagens pelo Brasil e o mundo.