Dá pra viajar pra Suíça gastando pouco? Como economizar no país

Acho que não é surpresa pra ninguém que a Suíça é um país super caro. Mas a desvalorização do real frente ao dólar e a outras moedas internacionais também fez o Franco Suíço (CHF) valer ainda mais frente à nossa moeda.

Pra se ter uma ideia, no final de 2014, 1 CHF valia R$2.90. Quando esse post foi escrito, em 2016, 1 CHF estava valendo R$4,23 nas casas de câmbio (veja cotação atual). Ou seja, não bastasse o custo de vida alto por aqui, o real ainda perdeu poder de compra. Mas dá pra viajar pra Suíça gastando pouco? Claro que não tem como achar as coisas uma pechincha, mas dá pra economizar, sim. Confira algumas dicas pra fazer seus reais renderem mais.

+ Quanto custa viajar para a Suíça?

SUÍÇA GASTANDO POUCO: COMO ECONOMIZAR?

SWISS TRAVEL PASS
Se você vem pra Suíça, provavelmente vai visitar mais de uma cidade. Afinal, num país tão pequeno e totalmente interligado por trens, a gente fica com vontade de conhecer cada “Cantão”, os departamentos daqui.

Suíça gastando pouco: Trem em Wengen (Foto: Esse Mundo É Nosso)

O Swiss Travel Pass é um bilhete aberto que permite que você circule quantas vezes quiser na rede de transporte público do país, de trens a barcos, por um determinado período de tempo, sem gastar nada a mais do que pagou. É ótimo. Eu usei um de uma semana e viajei por várias cidades. Somando cada passagem individual, o preço ficaria bem maior. E você consegue sair do Brasil já com esse passe. Vale consultar e fazer as simulações no site do Swiss Travel System.

Suíça gastando pouco - Swiss Travel Pass (Foto: Esse Mundo É Nosso)

E as vantagens do Swiss Pass não são só essas. Você ainda pode andar nos transportes públicos urbanos das cidades por onde passar e tem entrada grátis ou desconto em mais de 480 museus pelo país. Se for pegar algum trem privado, como do sistema Jungfrau (que inclui bondinhos e teleféricos), ainda tem 50% de desconto.

Ou seja, os benefícios são muitos. Mesmo que não saiba todos eles de cor, sempre mostre seu Swiss Pass nas atrações e transportes e pergunte se você tem direito a gratuidades ou descontos.

 

HOSPEDAGEM

Sem dúvida um dos fatores que mais pesam numa viagem ao país é a hospedagem. Até mesmo as redes que costumam ser mais em conta, como ibis, doem no bolso por aqui, mas não deixam de ser uma boa opção. Se quiser economizar, pense em se hospedar em algum hostel (vale consultar as avaliações em sites como HostelWorld) ou faça uma busca bem detalhada e com calma no Booking. Alugar apartamentos ou quartos no Airbnb também pode ser uma boa opção. O segredo pra encontrar bons preços em qualquer uma das opções anteriores é ter paciência para vasculhar a internet.

Existe também a possibilidade de couch surfing, a maneira mais barata de todas (pra não dizer “sem custo algum”). Se você nunca ouviu falar, essa é uma forma de hospedagem gratuita em casas de pessoas que gostam de receber viajantes. A ponte entre os turistas e os que estão dispostos a ceder a hospedagem é feito pelo site www.couchsurfing.com.

 

SUPERMERCADOS

Comer em bares e restaurantes, até no McDonald’s, foi uma das coisas mais caras que achei na Suíça no geral. Provavelmente, se você estiver de férias, não vai querer jantar comida de supermercado no quarto do hotel todos os dias, mas dá pra usar e abusar deles pra ficar mais tempo no país gastando menos.

Suíça gastando pouco - Supermercado Coop (Foto: Esse Mundo É Nosso)

A principal rede de supermercados é o Coop, que tem preços muito bons quando comparados com qualquer outro comércio. Ele está por toda parte, das grandes cidades às minúsculas. Então se for comprar uma água, refrigerante ou cerveja, ou até tomar café da manhã (caso seu hotel não tenha), a economia pode ser de até 5 vezes no caso das bebidas, por exemplo. Quer levar chocolates pro Brasil? Os supermercados também são a melhor opção para comprá-los.

 

ABUSE DOS “TAKE AWAY”

Os “take away” (o nosso “é pra levar”) também estão por toda parte e são uma solução de refeição pra quem está com o orçamento apertado no país. As principais redes são Migros (que além de lanchonetes, tem supermercados, mas com preços mais altos que o Coop) e o K Kiosk, que se parecem com aqueles quiosques muito comuns em Buenos Aires. É bem fácil encontrá-los nas grandes estações de trem ou na região central das cidades.

Suíça gastando pouco - K Kiosk (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Suíça gastando pouco - Migros (Foto: Esse Mundo É Nosso)

 

ATRAÇÕES GRATUITAS

Talvez nenhum país do mundo seja tão fotogênico. Pra onde quer que você aponte sua câmera terá a impressão de que está num cenário de filme. Então aproveite ao máximo das atrações gratuitas, como parques e mirantes, sem falar que as ruas de qualquer cidade já são um charme. Além de pegar dicas, como aqui no Esse Mundo É Nosso, procure os escritórios de informações turísticas, pegue seu mapa e pergunte pelo o que fazer no lugar. Vale a pena!

Suíça gastando pouco - Berna (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Viu só? Pode não ser um país barato, mas dá pra viajar pra Suíça gastando pouco (ao menos economizando). A Monique do Me Joguei no Mundo mora no país e dá outras dicas de como economizar no blog.

+ 15 fotos da Suíça que farão você querer ir pra lá hoje mesmo
+ Todas as dicas reunidas pra você viajar pro país

* O jornalista viajou a convite do Switzerland Tourism e da Swiss International Air Lines. Todas as opiniões dadas aqui são independentes e isentas.

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

Rafael Carvalho

Mineiro fã de frango com quiabo e de uma boa cerveja, mora atualmente em São Paulo. É formado em Rádio e TV, pós-graduado em Jornalismo e trabalha há mais de 12 anos com Conteúdo Digital. Já passou por empresas como SBT e Jovem Pan FM. Apaixonado por viagens, fundou o Esse Mundo É Nosso e roda o Brasil e o mundo o ano todo sempre em busca de dicas para serem compartilhadas.

Leave your comment

  1. Rodrigo Costa disse:

    Muito interessante, vou aplicar a partir de hoje heheh

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *