Nova York: Vale a pena ir ao Empire State?

De cara já respondo a pergunta que deu título a este post: sim, vale a pena ir uma vez na vida para falar que foi e tirar fotos.

Na verdade, a vista que se tem de Nova York lá em cima é inesquecível e, possivelmente, jamais sairá da sua memória. Mas, além de você passar horas na fila e ser lotado, a ausência do próprio Empire State nas fotos e na vista faz muita diferença.

Fila e ingressos

A fila começa para comprar o ingresso. Eu decidi que iria numa quinta-feira à tarde, meu penúltimo dia em NYC, mas o tempo fechou e não daria para ver nada lá de cima. Decidi então comprar o bilhete e usá-lo na manhã do dia seguinte que, de acordo com a previsão, faria sol.

Subi um ou dois andares, ainda de escada rolante, e adquiri meu ingresso por 22 dólares. No dia seguinte, achei que como eu já tinha o bilhete economizaria um bom tempo na fila e chegaria rápido ao 86º andar. Apenas achei!

Por volta das 10h30, já estava no Empire State. E, para minha surpresa, fiquei uma hora só na primeira fila. Não adiantou nada eu já ter o ingresso. Para todo o resto a fila é muito maior e mais demorada. Tem fila para o detector de metais e para o elevador.

Depois, você sobe 80 andares e acredita que já terá a vista mais famosa da cidade, mas não. Ainda tem mais uma fila que dá voltas em um salão. Pelo menos, nesse caso, há o King Kong para você se distrair e tirar fotos. Para quem não lembra, no filme King Kong há uma cena em que o animal sobe no prédio.

Lotação no alto

Somando todas as filas, foram cerca de 2h30 em pé para chegar até o local tão esperado. O problema é que quando você chega, você é apenas mais um perto de todos aqueles que estavam na sua frente na fila e, por isso, a disputa por um metro quadrado lá no alto é muito concorrida. Você não consegue parar para olhar a cidade de verdade, não consegue tirar uma foto em que você apareça com o fundo (sempre vai ter alguém ao seu lado), e para tirar fotos da pasaigem, precisa enfiar a mão com a câmera entre as grades (são várias). Sorte de quem é alto, como é o meu caso. Pelo menos, fica mais fácil de enfiar a cãmera e torcer para que a foto saia boa.

Lá em cima mesmo fiquei uns 20 minutos. Estava tão cheio que era difícil até de andar e ir para os outros lados da cidade. Quase não dá para se localizar de tanta gente que tem por lá. Apesar de tudo, vale a pena enfrentar a fila e o sofrimento uma vez na vida. As fotos vão ficar boas e a pasaigem de pedra estará para sempre na sua memória.

Agora, se você tiver tempo vá também ao Rockfeller Center. Lá tem o Top of the Rock. Infelizmente, não consegui ir. Minha vontade era sair do Empire State e ir até lá, mas meu voo para Orlando saía às 18h e eu ainda precisava almoçar e passar no hotel. Dizem que, além de ser bem mais vazio, o Top of the Rock vale também por aquilo que eu disse no começo do post: de lá você vê o Empire State!

+ Site da atração

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

Adolfo Nomelini

Jornalista formado pela PUC-SP e pós graduado em Comunicação em Mídias Digitais, é apaixonado por música, coxinha, televisão, seus óculos e internet. Trabalha há 8 anos com conteúdo online e passa boa parte do tempo "jogando o corpo no mundo, andando por todos os cantos e, pela lei natural dos encontros, deixando e recebendo um tanto".

4 Comments

  1. Em que mês você foi? Estou indo semana que vem e não se compro express pass para não enfrentar filas

  2. Debora (deboratg) disse:

    Como vc mesmo disse, TODOS devem conhecer o Empire State, mas que a vista do Top of the Rock é muuuito mais linda é verdade!!! A melhor parte: sem filas!!

  3. Carolmay disse:

    Legal Adolfo! Dicas anotadas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *