Dicas de Siem Reap, o destino mais popular do Camboja

Embora não seja a capital do Camboja, que é Phnom Penh, Siem Reap é o principal destino turístico do país. O que leva milhões de turistas todos os anos à cidade é o fato de ela ser a porta de entrada para o maravilhoso complexo de templos de Angkor, que serviu de cenário para os filmes Tomb Raider e já ganhou um post aqui.

Mas Siem Reap por si só já vale sua viagem ao Camboja e se tornou um dos meus lugares prediletos no Sudeste Asiático: muitos hotéis e resorts, restaurantes e bares, preços absurdamente baixos (veja exemplos), muitos visitantes jovens e cultura riquíssima.

+ Encontre o melhor preço do Seguro Viagem pra Ásia

DICAS DE SIEM REAP, PORTA DE ENTRADA DO CAMBOJA

Siem Reap, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Siem Reap, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Logo ao desembarcar no charmoso Aeroporto de Siem Reap você já é surpreendido. O caminho até seu hotel a bordo de um tuktuk (US$5) faz os olhos brilharem com a beleza da cidade, mesmo estando no Camboja, um dos países mais pobres do mundo e que se recupera do sangrento regime do Khmer Vermelho e dos conflitos internos que foram até os anos 90.

Aeroporto de Siem Reap, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

A região central, chamada de Old French Quarter, tem uma mescla arquitetônica dos tempos de protetorado francês e das influências chinesas. Se hospedar próximo ou dentro dessa região é a melhor pedida, já que você ficará perto das principais atrações.

Siem Reap, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Siem Reap, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Nessa área fica o Old Market (Mercado Velho), que proporciona uma rápida introdução aos costumes locais. Por ser frequentado pelos moradores, o mercado é muito movimentado e não muito fotogênico. Mas é uma ótima oportunidade para provar delícias locais e comprar artesanatos e lembranças. Toda a região no entorno também é repleta de lojas de souvenirs.

Old Market de Siem Reap, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Old Market de Siem Reap, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Pertinho dali o que faz muito sucesso é a Pub Street, que reúne bares e restaurantes para todos os gostos e bolsos, mas com um surpreendente grau de sofisticação, que vai da culinária local (chamada de Khmer) à japonesa.

Pub Street em Siem Reap, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Os preços na Pub Street são de cair o queixo. As cervejas custam US$0,50 e uma refeição dificilmente passa dos US$4 ou US$5 num bom restaurante. O churrasco cambojano é uma experiência diferente e exótica. Após escolher as carnes (além das tradicionais, provei de jacaré e cobra), um minifogareiro é colocado sobre sua mesa onde a refeição será preparada. Após as carnes estarem assadas, o caldo serve de base para uma sopa de macarrão com legumes deliciosa. Indico o Easy Speaking, que cobra US$7 pra 2 ou 3 pessoas.

Churrasco cambojano em Siem Reap, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Churrasco cambojano em Siem Reap, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Outros bares e restaurantes que recomendo na região são Koh Kong (comida japonesa), The Pub Street e Khmer Family Restaurant, esses dois últimos com cozinha típica local.

Pub Street em Siem Reap, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Outro prato delicioso é o tradicionalíssimo khmer amok (saiba o que é). Ele pode ser encontrado facilmente na Pub Street.

Amok em Siem Reap, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Com o calorão da cidade, o lugar mais quente que já fui até hoje, muitos bares e restaurantes esperam os clientes com mimos, como uma pequena toalha congelada e suco de manga, tudo gratuito.

Siem Reap, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Por conta desse calor todo, não pense duas vezes antes de escolher um hotel com piscina. É muito difícil andar o dia todo sob o sol escaldante do Camboja.

Hotel Soria Moria em Siem Reap, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Nas ruas do entorno da Pub Street, a pedida é fazer uma massagem ali mesmo, nas espreguiçadeiras que ganham as calçadas todo fim de tarde. Uma delícia após um longo dia de caminhada e por uma pechincha. Cheguei a pagar US$2 por 30 minutos de massagem com wi-fi grátis. Há ainda as chamadas de “massagem com peixes e pedicure”, que são tanques onde os peixes fazem a limpeza dos seus pés e pernas. Pra lá de curioso!

Fish massage em Siem Reap, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Quem quer ter a chance de se aprofundar mais ainda na cultura do Camboja pode assistir a um show de dança típica gratuita no restaurante Temple Balcony, bastando pagar a consumação. Já o local mais famoso para assistir a esse espetáculo é o Apsara Theatre, no complexo do Angkor Village Hotel, que fica distante do centro (Wat Bo Road; +855 63 963 531).

Dança típica no Temple Balcony, em Siem Reap, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Dança típica no Temple Balcony, em Siem Reap, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Quando a noite cai em Siem Reap, as ruas ficam lotadas não apenas pelo agito dos bares e baladas. É que os Mercados Noturnos estão por todos os lados e fazem muito sucesso. Neles você encontrará artesanatos, joias, souvenirs diversos e comidas típicas. Os mais legais são Angkor Night Market, Siem Reap Art Center Night Market e Siem Reap Night Market.

Night Market em Siem Reap, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Siem Reap, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Para circular pela cidade a melhor maneira é chamar um tuktuk. As corridas variam entre US$1 e US$2 de acordo com a distância percorrida. Se você resistir ao calorão, alugar uma bicicleta também pode ser uma boa opção.

Siem Reap, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Como é um destino onde o budismo é predominante, visitar os diversos tempos e ver a religiosidade local faz parte da experiência no Camboja.

Siem Reap, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Siem Reap foi uma agradável surpresa. Já tinha ouvido histórias de muita gente que se apaixonou pelo lugar, mas não imaginei que eu voltaria pra casa com o sentimento de que deixei um grande amor no Sudeste Asiático.

Siem Reap, Camboja (Foto: Esse Mundo É Nosso)

COMO CHEGAR

Como já contamos aqui, o visto para o Camboja é concedido na chegada ao país. Sem dúvida a melhor forma é chegar de avião diretamente em Siem Reap e a AirAsia tem bons preços. Vietnam Airlines, Cambodia Angkor Air, Bangkok Airways, Air Wings, Cebu Pacific e Jetstar são algumas das companhias que voam pra lá. O transporte do aeroporto até a cidade custa entre US$5 e US$7 dependendo se é feito de tuktuk ou táxi e leva poucos minutos.

Quem chega por Phnom Penh precisa enfrentar de 7h a 8h de ônibus. Capitol Tours e Mekong Express são as empresas mais recomendadas.

De Bangkok, embora chamem de ônibus direto, é preciso trocar de veículo em Poipet e encarar a lenta e corrupta alfândega na fronteira, onde funcionário podem fazer corpo mole para ganhar alguns dólares na concessão do visto. A viagem desde a capital tailandesa normalmente supera as 12h. Ainda passando por Poipet há a possibilidade de dividir táxis ou vans com outros passageiros até Siem Reap, o que é mais confortável e pouco menos demorado.

Quem vem do Vietnã, normalmente de Ho Chi Minh, vai de ônibus até Phnom Penh. A viagem dura cerca de 6h, incluindo a parada na alfândega. Do lado vietnamita a fronteira fica em Moc Bai e, do cambojano, em Bavet. Algumas outras divisas também estão abertas aos passageiros, mas essa é a principal.

ONDE FICAR EM SIEM REAP
Essa é uma decisão difícil em Siem Reap. São tantas as opções de hotéis boutiques a preços baixos que você quer se hospedar em todos. A menos que esteja num resort afastado da cidade, tenha sempre como referência a Pub Street que conseguirá uma boa localização.

+ Pesquise hotéis em Siem Reap avaliados pelos hóspedes

Na primeira vez que fui, me hospedei no Soria Moria, com bom custo-benefício pertinho das principais atrações. Mas alguns leitores aqui falaram que a qualidade dos serviços caiu um pouco. Já em 2016, na minha segunda vez no país, fiquei no La Da Kiri e gostei bastante. Além de perto da Pub Street, os quartos são charmosos e confortáveis, a piscina é boa e eles te buscam no aeroporto, basta entrar em contato antes. O café da manhã, como é comum por aqui, tem mais opções asiáticas.

+ Saiba tudo sobre os templos de Angkor

+ Confira outras dicas e relatos do Camboja

 

 

Booking.com

Rafael Carvalho

Mineiro fã de frango com quiabo e de uma boa cerveja, mora atualmente em São Paulo. É formado em Rádio e TV , pós-graduado em Jornalismo em Comunicação Hipermídia e trabalha há mais de 10 anos com Conteúdo Digital. Apaixonado por viagens, fundou o Esse Mundo É Nosso e roda o Brasil e o mundo o ano todo sempre em busca de dicas para serem compartilhadas.

11 Comments

  1. Ricardo Santos disse:

    Bom dia estou hospedado no hotel Sória Moria e NÃO RECOMENDO! Única vantagem é sua localização, atendimento é normal, os quartos não possuem uma cortina escura e quando amanhece é impossível dormir devido claridade,
    Piscina minúscula e suja, Jacuzzi ficou em manutenção dois dias e quando abriu, foi impossível entrar pois é muito SUJA! Café da manhã ruim sem muitas opções e no final do horário não repõem nada! FUJAM DESTE HOTEL!

    • Oi Ricardo, tudo bem?
      Que pena que a qualidade do serviço tenha caído. Estive em Siem Reap há 1 mês e me hospedei em um novo hotel. Vou indicá-lo no texto.
      Obrigado pelo feedback,
      abraços e aproveite a viagem

  2. NATERCIA CHAVES disse:

    Olá Rafael! Estou indo para Siem Reap com meu esposo e nós acabamos de reservar o Hotel que você indicou, Soria Moria! Obrigada pelas dicas =)

  3. Jessi disse:

    Olá !
    Eu também estava em Siem Reap e posso recomendar o Centro Wayism lá se você estiver interessado em espiritualidade, saber mais sobre a religião na Camboja, a filosofia da Wayism etc.
    Há também um curso diário de curta duração gratuito sobre a espiritualidade da Camboja e muitas outras actividades, tais como diferentes tipos de meditação , pintura de seda e seminários sobre energia , chakras etc. Eu aprendi muito lá. O que também a mim gosta é que seus ensinamentos sao do sânscrito que já têm milhares de anos e não algo que é talvez recentemente inventada… Aqui o link: http://www.wayist.com
    Os desejo uma boa viagem! 🙂

  4. Herika disse:

    Olá,
    Quanto você pagou pela diária neste hotel? Vou dividir quarto com uma amiga, estaremos lá no final de fevereiro.
    Obrigada!

  5. José Luiz Moreira disse:

    Rafael, depois de ler seus posts sobre a Tailândia e agora sobre o Camboja, decidi de vez cortar o Vietnam do meu roteiro de 19 dias no sudeste asiático. Percebi que é pouco tempo para tantas atrações. Uma dúvida para fechar Siem Reap: 3 ou 4 noites? Abraço.

  6. Boia disse:

    Oi, Rafa. Tudo bem? 🙂

    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Feliz Páscoa!

    Até mais,
    Natalie – Boia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *