Alcântara: Um dia na cidade histórica perto de São Luís

Um passeio pela histórica Alcântara, no Maranhão, é um ótimo bate-volta para quem está em São Luís. A cidadezinha fica do outro lado da Baía de São Marcos, facilmente acessada por barco em pouco mais de uma hora de viagem com muitos balanços em alto mar (cerca de 30Km). Já por terra, o trajeto é longo, mais de 400Km.

ALCÂNTARA

Conhecida atualmente por ser sede da base de lançamento de foguetes do Programa Espacial Brasileiro, Alcântara já foi uma das cidades maranhenses mais ricas entre os séculos XVIII e XIX. Infelizmente muito do patrimônio se perdeu, mas a vila isolada da capital tem lá seus charmes.

Alcântara, Maranhão (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Alcântara, Maranhão (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Alcântara, Maranhão (Foto: Esse Mundo É Nosso)

O desembarque acontece no Porto do Jacaré, onde ambulantes e pequenos barzinhos esperam os visitantes. Não espere luxo, banheiros limpos ou mordomia, tudo ali é bem rústico, falta até mesmo água.

Alcântara, Maranhão (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Alcântara, Maranhão (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Uma das vantagens de visitar Alcântara é que todos os pontos turísticos são acessíveis a pé. Infelizmente fomos recebidos com muita chuva e um dia bem feinho, mas que não atrapalhou nossa caminhada pelas vielas.

Alcântara, Maranhão (Foto: Esse Mundo É Nosso)

A partir do porto, sobe-se a Ladeira do Jacaré até o coração da cidade, onde fica um largo com as ruínas da antiga Igreja Matriz de São Matias, a cadeia e o Pelourinho. A igreja é impressionante, digna das ruínas jesuíticas do Mercosul.

Alcântara, Maranhão (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Alcântara, Maranhão (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Alcântara, Maranhão (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Todo o largo do Pelourinho é rodeado por casarões dos barões da época. Infelizmente muitas dessas casas estão em ruínas, assim como no centro histórico de São Luís. De toda forma, elas são fotogênicas.

Alcântara, Maranhão (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Alcântara, Maranhão (Foto: Esse Mundo É Nosso)

A Casa do Imperador é uma construção inacabada que hospedaria D. Pedro II em uma visita que nunca aconteceu. Ela fica em frente ao Convento do Carmo, conjunto barroco do século XVII com uma centena de anjos talhados em seu altar.

Casa do Imperador - Alcântara, Maranhão (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Convento do Carmo - Alcântara, Maranhão (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Ao caminhar pelas ruas pacatas de Alcântara você logo descobre uma das delícias mais famosas e exclusivas de lá: o doce de espécie. Feito de coco e açúcar preso a uma haste salgadinha, é uma herança portuguesa que se popularizou graças à Festa do Divino, que acontece em maio e dura cerca de duas semanas.

Doce de Espécie - Alcântara, Maranhão (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Um dos lugares que vende o doce de espécie, além dos ambulantes, é a loja localizada na Rua das Mercês, 401, tocada pelo Seu Antônio. Uma ótima opção de lembrancinha do vilarejo.

Doce de Espécie - Alcântara, Maranhão (Foto: Esse Mundo É Nosso)

As praias ao redor da cidade, que não são imperdíveis, podem ser acessadas de barco em passeios oferecidos no porto.

Uma coisa que me decepcionou em Alcântara foi a falta de bons lugares para comer. Claro que não esperava um restaurante de ponta, mas pelo menos um “quilinho satisfatório”. Um dos locais mais procurados é o Restaurante Cantaria, charmosinho com uma área ao ar livre “pendurada” em um penhasco. Fica ao lado da chamada Igreja dos Sinos. Acontece que comer ali, com cardápio restrito praticamente a peixes, não é tão fácil. Muitos guias com grandes grupos de turistas reservam todas as mesas e a comida simplesmente acaba. Portanto procure passar ali logo no desembarque.

Igreja dos Sinos - Alcântara, Maranhão (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Restaurante Cantaria - Alcântara, Maranhão (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Acabamos almoçando em um restaurante meio “ripongo”, com pessoas dormindo em redes e acampadas em barracas e não muito amistoso da ANVISA. Infelizmente não me lembro o nome, mas também não valeria a indicação.

Alcântara, Maranhão (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Nós tentamos chegar até a Base de Alcântara, mas ela é fechada à visitação. Quem quiser saber mais sobre os lançamentos de foguetes no local pode conferir maquetes na Casa de Cultura Aeroespacial (R. Silva Maia/Pça. N.S. do Rosário).

Quem tiver mais tempo e curtir uma coisa mais rústica, pode pernoitar na cidade em uma das pousadinhas.

Alcântara, Maranhão (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Alcântara, Maranhão (Foto: Esse Mundo É Nosso)

COMO CHEGAR A ALCÂNTARA

Ao menos que você tenha contratado uma lancha junto a seu hotel ou guia em São Luís, a maneira tradicional é ir de catamarã ou barco desde o Cais da Praia Grande, no Centro Histórico. Os barcos normalmente partem pela manhã (entre 7h e 9h) e retornam no fim do dia. Vale lembrar que os horários variam muito de acordo com a maré, que pode impossibilitar a navegação tamanha variação nessa área do Brasil.

Cais da Praia Grande, Maranhão (Foto: Esse Mundo É Nosso)

São muitas as empresas que fazem o trajeto e os preços giram em torno dos R$25 ida e volta. Você pode ter informações no Terminal Hidroviário (98 3232 0692) ou com o Sr. Ferreira do Catamarã Lua Nova (98 9111 2657), com quem fizemos a viagem. Se você costuma ficar mareado, não deixe de tomar um remédio contra enjoo cerca de 30 minutos antes de embarcar.

Barco para Alcântara, Maranhão (Foto: Esse Mundo É Nosso)

+ Confira mais dicas de São Luís

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

Rafael Carvalho

Mineiro fã de frango com quiabo e de uma boa cerveja, mora atualmente em São Paulo. É formado em Rádio e TV, pós-graduado em Jornalismo e trabalha há mais de 12 anos com Conteúdo Digital. Já passou por empresas como SBT e Jovem Pan FM. Apaixonado por viagens, fundou o Esse Mundo É Nosso e roda o Brasil e o mundo o ano todo sempre em busca de dicas para serem compartilhadas.

11 Comments

  1. Cleidinalva Barros disse:

    Olá Rafael Carvalho, sou Cleidinalva Barros sou de Alcântara-ma vejo que visitou minha cidade, realmente é um lugar unindo, acidade que parou no tempo, linda e majestosa.

  2. Gerhard Körbes disse:

    Bom dia,
    sou Alemao, vivo por enquanto no Recife e em breve queria visitar Alcantara. É possivel entrar em contato com o sr. Georg Koudelka?
    Em 2013 teve uma reportagem sobre ele e Alcantara no radio da Alemanha.

    Cumprimetos

    Gerhard

  3. Wallace disse:

    Rafael, é um lugarzinho mágico, né?
    Estive lá em Junho e fiz meu registro: http://www.viagenseclicks.com.br/destinos/maranha

    Abraços,
    Wallace

  4. Boia Paulista disse:

    Oi, Rafa.

    Tudo bem? 🙂

    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Natalie – Boia

  5. Edwiges disse:

    Que legal Rafael, gostei… Mas a gente fica triste de ver tudo em ruína. Mas, o relato feito é super importante e atraente. Precisamos nos inteirar mais do nosso país. Poucas pessoas devem saber sobre esse lugar onde guarda historias interessantes.

  6. julianabacci disse:

    Lindas fotos, Rafa! Vale a visita, com certeza!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *