Por que às vezes só a distância nos faz dar valor às pessoas

No trem saído da Suécia com destino à Dinamarca, começo a pensar sobre o quanto a distância nos aproxima.

Estávamos no país para visitar um casal de amigos que se mudou para lá há cerca de um ano. Entre um assunto e outro, eles nos contaram como a distância os fez aproximar de seus familiares.

Sabe aquele papo de que não precisamos estar perto para estarmos realmente próximos? É a mais pura verdade. Muitas vezes a aproximação física se transforma em distância emocional.

Distância nos faz dar valor (Foto: Shutterstock)

Distância nos faz dar valor (Foto via Shutterstock)

Claro que nada substitui o abraço apertado da mãe depois de um dia difícil ou o cheirinho da roupa do filho. Mas muitas vezes a rotina nos faz entrar numa roda viva que só nos distancia.

Aquela ansiedade no desembarque do aeroporto esperando quem você não vê há anos e que, de repente, é quebrada pelos problemas do dia a dia. A alegria se transforma em rotina, que coloca à tona todos os nossos defeitos que a distância escondia.

Uma metáfora das mais bobas, mas que sempre me fez pensar: quantas vezes você já olhou pro seu chuveiro e agradeceu por ele estar funcionando? A verdade é que só valorizamos quando sentimos falta. Enquanto o chuveiro está funcionando e a água está quentinha, está tudo bem e eu nem ligo pra ele, mas no dia em que ele resolve pifar eu percebo o quanto ele é fundamental pra mim.

Distância nos faz dar valor (Foto via Shutterstock)

Distância nos faz dar valor (Foto via Shutterstock)

Apenas o fato de sabermos que estamos fisicamente próximos de alguém já nos deixa com uma sensação de conforto, mesmo que fiquemos dias, meses e anos sem nos ver. Quando, a distância se torna física, criamos uma necessidade de estarmos mais próximos do que éramos. Mas será que quando voltarmos a estar próximos deixaremos a rotina nos engolir ou conseguirmos manter este laço mais apertado?

Distância nos faz dar valor (Foto via Shutterstock)

Distância nos faz dar valor (Foto via Shutterstock)

Não podemos esperar a distância chegar para nos aproximar de quem realmente importa. Temos que estar juntos de verdade estando no mesmo lugar ou longe. Temos que valorizar enquanto temos e não esperar a falta nos fazer sentir isso.

Agora já estou chegando à Dinamarca. Sentindo falta de quem ficou pra trás, mas com a sensação de estar ainda mais próximo de quem fica e de quem segue comigo.

+ Leia outras crônicas do blog
+ Crise dos 30: Por que não devemos sofrer com a idade
+ Por que a sociedade nos cobra tanto?

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

Adolfo Nomelini

Jornalista formado pela PUC-SP e pós graduado em Comunicação em Mídias Digitais, é apaixonado por música, coxinha, televisão, seus óculos e internet. Trabalha há 8 anos com conteúdo online e passa boa parte do tempo "jogando o corpo no mundo, andando por todos os cantos e, pela lei natural dos encontros, deixando e recebendo um tanto".

1 Comment

  1. Texto lindo e muito tocante. Traduziu o pouco que estou sentindo no momento. Parabéns!

    nayanemartins.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *