O que fazer em Hong Kong: Dicas para curtir a região

Hong Kong é uma das duas regiões administrativas especiais da República Popular da China. A cidade possui cerca de 7 milhões de habitantes e é uma das áreas mais densamente povoadas do mundo. Até 1997, a ilha foi dominada pelos britânicos e depois voltou a pertencer à China. Por ser muito grande, não falta o que fazer em Hong Kong.

Mas antes de darmos as dicas de atrações, vale lembrar que brasileiro não precisa de visto para entrar lá.

O QUE FAZER EM HONG KONG

+ Ache o seguro saúde pra Ásia com o melhor preço

VICTORIA PEAK – THE PEAK

Este foi o primeiro lugar que visitamos em Hong Kong. O Victoria Peak é para eles algo como o Corcovado é para o Rio. Para chegar lá, pegamos um bondinho e subimos 396 metros. Como não sabíamos muito bem a diferença entre os dois tipos de ingresso oferecidos, pagamos mais caro para subir até a parte mais alta no Sky Terrace 428, que está a 428m de altura. Valeu a pena. Não nos arrependemos. O ingresso mais barato (ida e volta) saía por HK$ 45 (cerca de US$ 6,00) e o mais caro por HK$ 88 (US$ 11,35).

O que fazer em Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Do alto, é possível ter uma visão 360 graus e é fácil observar como a cidade é cheia de arranha céus. Vale o esforço de chegar bem cedo antes de lotar. Às 9h já estávamos lá e não pegamos fila nenhuma. Quando saímos, por volta das 10h30, a fila estava dando volta no quarteirão.

O que fazer em Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso) O que fazer em Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

O The Peak abre às 7h a manhã, mas o Sky Terrace 428 funciona apenas a partir das 10h (sábados e domingos, a partir das 8h). A estação de metrô mais próxima é a Central.

+ Veja mais informações no site oficial

 

BUDA GIGANTE  – BIG BUDDHA

Outra coisa que não pode faltar na listinha com o que fazer em Hong Kong é uma visita ao Buda Gigante, que fica em Lantau, maior ilha de Hong Kong. A estátua de bronze foi erguida em 1993, possui 34 metros de altura e está virada ao Norte para que o Buda possa olhar sempre para o povo chinês. Para chegar até ela, é necessário subir 268 degraus.

O que fazer em Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Lá também está localizado o Mosteiro de Po Lin, um dos santuários budistas mais importantes de Hong Kong. Vale a pena andar por lá, observar os monges e as imagens de Buda. É realmente lindo.

O jeito mais fácil de chegar lá é ir de metrô até a estação Tung Chung e em seguida pegar o teleférico Ngong Ping Cable (cerca de US$ 30 ida e volta – preço de dezembro de 2016). O percurso no teleférico dura cerca de 25 minutos e para na entrada do complexo, que possui diversas lojas e restaurantes.

O que fazer em Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso) O que fazer em Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Aproveite sua ida ao Buda Gigante para dar uma passadinha no Citygate Outlet que fica na estação do metrô e no local de onde sai o teleférico até o Buda. Não encontramos nada muito barato, mas vale dar uma passadinha.

O que fazer em Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

+ Veja mais informações sobre sobre o Ngong Ping Cable


DISNEY

Não falta mesmo o que fazer em Hong Kong, até Disney tem por lá, mas como ficamos 5 dias na cidade e gastamos um dia trancados no hotel por causa de um tufão e um segundo para ir até Macau, acabamos não visitando o parque. Assim como Buda Gigante, o parque fica em Lantau e tem uma estação de metrô que chega até ele.

O blog AP on the Map tem um post com dicas para quem quer passar um dia na Disney. Aliás, de acordo com eles, as princesas não são asiáticas.


A SYMPHONY OF LIGHTS

Confesso que a Symphony of Lights, show de luzes nos prédios de Hong Kong, era uma das atrações que eu estava mais ansioso para conferir de perto. Talvez por isso a decepção tenha sido tão grande quanto a ansiedade. Quando acabou, olhei, olhei e olhei mais esperando que alguma coisa acontecesse. Mas nada aconteceu.

Se você já foi para Singapura e viu o show de luzes na água que tem lá, terá uma decepção tão grande quanto a minha. Entretanto, vale a pena a visita e, como gosto é muito pessoal, talvez você saia de lá satisfeito.

São cerca de 40 prédios envolvidos no espetáculo, que foi reconhecido pelo Guinness como o maior show de luzes, laser e música permanente do mundo, o espetáculo sincronizado celebra a energia, o espírito e a diversidade de Hong Kong.

O que fazer em Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

A vista para os prédios é impressionante e inesquecível. Linda mesmo. Parece aquelas imagens de filmes com tantos prédios altos e cheios de luzes. Mas o grande problema é que antes do show começar quase todas as luzes já estão acesas e, por isso, a surpresa acaba sendo muito pequena.

O show, que acontece sempre às 20h, exceto em dias de tempestade ou ciclone com categoria superior a 3, pode ser visto da orla de Tsim Sha Tsui, em Kowloon, no lado oposto da baía de Hong Kong, bem de frente para o “paredão” de arranha-céus.

No calçadão que vai da Torre do Relógio até a Victoria Harbor você consegue uma boa vista e ainda ouvir a apresentação. Chegue pela estação de metrô East Tsim Sha Tsui e siga pela saída L6, seguindo a sinalização.

+ Veja mais dicas para assistir A Symphony of Lights


MERCADOS

O que fazer em Hong Kong? Passear por algum dos mercados que a cidade possui. Tem para todos os gostos e bolsos. O mais famoso deles é o Ladies Market, que fica na Tung Choi Street. Apesar do nome, o mercado não vende apenas acessórios e objetos para mulheres. Tem bugiganga, carteira, bolsas, tags de malas e muito mais.

O que fazer em Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Outros mercados famosos são o Mercado de Flores (Flower Market Road, Prince Edward), o Temple Street Night Market (Temple Street, Yau Ma Tei), que vende basicamente as mesmas coisas do Ladies Market com a diferença da presença de esotéricos, o Bird Garden (Yuen Po Street, Prince Edward), que tem pássaros, o Goldfish (Tung Choi Street North, Mong Kok), que vende peixes, e o Jade Market (Kansu Street e Battery Street, Yau Ma Tei).

O que fazer em Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso) O que fazer em Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)


SKY 100

Pra quem gosta de arranha céus, há muito o que fazer em Hong Kong. Uma das dicas é ir ao Sky 100, o prédio mais alto da cidade.

Lá, o visitante pega um elevador e em 60s chega ao centésimo andar do prédio, de onde há uma vista 360º de Hong Kong.

O que fazer em Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

São 393 metros de altura e o único observatório interno de Hong Kong que oferece uma visão de todos os ângulos.

O hotel que nos hospedamos dava os ingressos para o prédio para todos os clientes, mas o valor da entrada é HK$ 168 (cerca de US$ 21). Se comprar pela internet tem 20% de desconto.

O que fazer em Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Todas as noites, o prédio faz dois shows (às 19h45 e às 21h) com projeções que ocupam toda a fachada.

+ Veja mais informações no site oficial

Endereço: International Commerce Centre, 1 Austin Road  MTR Kowloon Station

PÔR DO SOL

Mesmo tendo muito o que fazer em Hong Kong, vale a pena parar um pouquinho, sentar e curtir o final do dia. Apesar de ser uma cidade muito urbana, lá há uma baía linda com os prédios de fundo.

Se o dia estiver bonito, vale a pena ir até o calçadão que vai da Torre do Relógio até a Victoria Harbor para curtir um belo pôr do sol. É dali também que há uma boa visão do show de luzes.

O que fazer em Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Chegue pela estação de metrô East Tsim Sha Tsui e siga pela saída L6, seguindo a sinalização.

AVENUE OF STARS

Quando estivemos em Hong Kong, a famosa Avenue of Stars estava fechada para reforma (deve ser reaberta apenas no fim de 2018).

O que fazer em Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Eles passaram as principais estátuas, inclusive a famosa de Bruce Lee, para um parque próximo dali, o Garden of Stars.

O que fazer em Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Não achei nada de extraordinário, mas vale a visita e a brincadeira de tirar uma foto imitando o Bruce Lee.

Pra quem não sabe, o Bruce Lee foi um dos maiores atores de artes marciais do mundo.

Para chegar lá desça na estação East Tsim Sha Tsui.

+ Veja mais informações sobre o Garden of Stars


BATE-VOLTA PARA MACAU

Assim como Hong Kong, Macau é uma região administrativa especial da República Popular da China. Para chegar lá é superfácil. Pegamos um barco e 1h depois já estávamos em Macau. Como a cidade foi uma colonização portuguesa, muito da cultura do país ainda pode ser encontrado por lá, como as igrejas católicas, as pedras portuguesas, restaurantes de comida típica e até pastelzinho de nata. Por isso,  todas as placas de lá são escritas em português. É muito divertido mesmo sem praticamente ninguém da população falar nosso idioma.

O que fazer em Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Gostamos tanto de Macau que até passaríamos uma noite lá. A região possui uma parte histórica bem interessante e um outro lado moderno cheio de cassinos. Tem hotéis luxuosos e cassinos imensos. Dá para ir de um até o outro usando ônibus dos próprios hotéis. Vale o passeio!

O que fazer em Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

O que fazer em Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Um agradecimento especial aos amigos Oscar, do Viajoteca, e Ana Paula, do AP On the Map. Eles estão com o projeto Descubra Hong Kong, que faz tours personalizados para quem vai para lá (visite o site aqui) e nos receberam superbem na cidade.

+ Veja mais dicas de Hong Kong
+ Vai pra Tailândia? Veja nossos posts
+ Preços em Bali: Veja quanto custa viajar para lá

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

Adolfo Nomelini

Jornalista formado pela PUC-SP e pós graduado em Comunicação em Mídias Digitais, é apaixonado por música, coxinha, televisão, seus óculos e internet. Trabalha há 8 anos com conteúdo online e passa boa parte do tempo "jogando o corpo no mundo, andando por todos os cantos e, pela lei natural dos encontros, deixando e recebendo um tanto".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *