Koh Phi Phi, dicas do paraíso tailandês

Koh Phi Phi Don, carinhosamente chamada Phi Phi, é um dos destinos turísticos mais famosos da Tailândia. Embora seja uma ilha afastada em pleno Mar de Andaman, milhares de turistas desembarcam diariamente em seu píer, já que a única maneira de chegar é por água.

Casais e famílias buscam os resorts enquanto jovens do mundo todo são atraídos pela badalação, bebida barata e vida noturna animada.

KOH PHI PHI

Koh Phi Phi, Tailândia (Foto: Esse Mundo É Nosso)

A parte principal da ilha é uma pequena faixa de terra que em alguns lugares mal tem 200 metros de largura. É bem pequena, do tamanho da cidade onde nasci no interior de Minas, que tem só 5 mil habitantes. Foi por causa de sua formação é que o tsunami de 2004 devastou Phi Phi e outras ilhas da Tailândia, como narra o filme O Impossível.

Koh Phi Phi, Tailândia (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Muito foi reconstruído e, ao invés de apenas grandes resorts, uma dezena de ruelas confusas com pequenas lojinhas, bares e restaurantes surgiram.  Não há carros na ilha, o que faz essas vias serem ainda mais estreitas.

Koh Phi Phi, Tailândia (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Do tsunami sobraram apenas algumas ruínas que eles usam como memorial.

Koh Phi Phi, Tailândia (Foto: Esse Mundo É Nosso)

 

O QUE FAZER
Você se orienta em Phi Phi pelos dois lados em que há praia. Do lado do píer onde você chega estão os melhores restaurantes e lojinhas.

Koh Phi Phi, Tailândia (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Koh Phi Phi, Tailândia (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Já do lado oposto ficam a praia mais procurada para banho de mar e os bares mais agitados, ideal pra curtir o sol e a água azul turquesa.

Koh Phi Phi, Tailândia (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Koh Phi Phi, Tailândia (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Há também algumas atividades aquáticas, como a prática de caiaque. É possível ir remando até a deserta Praia dos Macacos. Nem precisa explicar o motivo do nome, né?

Koh Phi Phi, Tailândia (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Koh Phi Phi, Tailândia (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Para quem pratica ou tem vontade de começar a mergulhar, existem boas agências de mergulho com cilindro. Os instrutores falam inglês e normalmente nem são tailandeses.

No fim de tarde, um dos pontos mais concorridos é o Phi Phi View Point, um mirante com uma incrível vista de toda a ilha e um pôr-do-sol de tirar o fôlego. Só não pense que é muito fácil chegar até lá. A subida é íngreme, leva cerca de meia hora e o calorão atrapalha bastante. Mas vale muito a pena.

Koh Phi Phi, Tailândia (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Koh Phi Phi, Tailândia (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Koh Phi Phi, Tailândia (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Um tour praticamente obrigatório é a visita de barco a Maya Bay, um paraíso que ganhou fama depois que Leonardo DiCaprio passou por ali no filme A Praia (saiba tudo).

VIDA NOTURNA
O agito em Phi Phi vai de segunda a segunda. Todos os dias os bares de praia promovem shows de fogos com acrobacias regados a muita bebida e música alta. Há quem não goste, mas eu adorei. A festa mais famosa e animada é do Slinky.

Koh Phi Phi, Tailândia (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Koh Phi Phi, Tailândia (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Mais pro centro da ilha um pequeno quarteirão também reúne bons bares, como um pub e o imperdível Reggae Bar. Nele os próprios visitantes protagonizam rounds de Muay Thai, típica luta tailandesa. O prêmio? Um baldinho com bebida para o vencedor.

Koh Phi Phi, Tailândia (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Eu cheguei todo animado já pronto pra subir no ringue. Mas vi um cara levando uma surra e inclusive saindo com sangue no rosto e logo desisti. Mas é super divertido, ainda mais se você puder “lutar” contra algum amigo e não um desconhecido.

Koh Phi Phi, Tailândia (Foto: Esse Mundo É Nosso)

Tome cuidado apenas com as massagens. Se você veio de Bangkok e estava acostumado a relaxar todos os dias, aqui muitas vezes essa massagem tem outro sentido, se é que me entende.

ONDE FICAR
A ilha é tão pequena que praticamente qualquer localização é boa, principalmente se for perto do píer ou da praia. Existem opções para todos os bolsos, de hostels a resorts, que não são muitos.

Me hospedei no PP Insula, um lugar ótimo e bem barato. Voltaria outras vezes.

+ Consulte hospedagem em Phi Phi e reserve com cancelamento grátis

COMO CHEGAR
A viagem até Koh Phi Phi, embora seja oferecida por diversas empresas, não é tão fácil. A parte de barco da jornada me assustou. Embora a embarcação fosse enorme, balançava muito e quase todos passaram mal. Foram três horas intermináveis.

Koh Phi Phi, Tailândia (Foto: Esse Mundo É Nosso)

O principal acesso é a partir de Phuket, outro famoso balneário que tem perdido seus dias de glória. Os barcos partem do píer de Phuket, que fica a quase uma hora de distância do aeroporto da cidade. Você pode consultar os preços e horários no site de uma das empresas que fazem o trajeto.

Se você vem a partir de Bangkok, vale comprar uma passagem aérea combinada, que inclui o avião, o transfer do aeroporto ao píer e o trecho de barco. A NokAir e Air Asia vendem essas passagens.

Krabi também é uma cidade de partida muito comum. Está mais próxima de Koh Phi Phi, a menos de duas horas, e tem aeroporto.

+ Confira mais dicas e relatos da Tailândia
+ Veja como programar sua visita a Maya Bay

 

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

Rafael Carvalho

Mineiro fã de frango com quiabo e de uma boa cerveja, mora atualmente em São Paulo. É formado em Rádio e TV, pós-graduado em Jornalismo e trabalha há mais de 12 anos com Conteúdo Digital. Já passou por empresas como SBT e Jovem Pan FM. Apaixonado por viagens, fundou o Esse Mundo É Nosso e roda o Brasil e o mundo o ano todo sempre em busca de dicas para serem compartilhadas.

7 Comments

  1. Lily Pestana disse:

    Adorei as dicas dos bares e festas! Ainda não tinha anotado. Curti demais!
    Beijos,
    Lily e Julio
    @apaixonadosporviagens

  2. Altair Ramos disse:

    Boa noite! Estive na Tailândia ano passado e quero voltar. Laos Vietnã e Tailândia quero companhia que fale inglês

  3. Teca disse:

    Passei 10 dias em phi phi agora em marco e amei cada minuto, me dividi entre as duas ilhas ( na verdade eu descrevo assim, porque a vila tem um clima e as praias com resorts outro) fiquei 5 dias na vila, com balada tecno, house, trance todas as noites e mais 5 dias no outtrigger resort. Sao 2 mundos totalmente diferentes, mas maravilhosos em suas peculiaridades. No resort o que se encontra sao casais em lua de mel, familias e muita calmaria, este que fiquei é distante da vila 45 min a uma hora de long tail ( barco ) dependendo das condiçoes do mar, mas com uma praia particular do hotel de cair o queixo. Recomendo a tpdos

  4. Katia simoes disse:

    Lindo lugar mesmo! Assisti ao filme ontem, por coincidencia! Dificil tirar as imagens da memoria! Mas quem sabe um dia? :/

  5. Amei o post Rafa!!! Favoritado e vai ser publicado na segunda-feira na página do viajar. So mais um comment.. so de ver essa placa eu morro de medo ahahahah assim como morro de medo com as daqui, super parecidas, mas de furacão.. beijo grande

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *