Você já pensou em viajar para Bariloche no verão ou na primavera? A cidade argentina é famosa pela neve e sua alta temporada é no inverno. Mas quem vai pra lá em outras épocas do ano tem boas surpresas.

Neste post, damos dicas do que fazer na cidade durante os dias mais quentes e contamos se vale a pena ir nestas épocas do ano:

Bariloche no Verão: Vale a pena ir?

Logo de cara eu respondo: Se seu sonho é esquiar, você não verá neve em Bariloche no verão, portanto, não valerá a pena. Mas se você não liga pra isso, pode ter certeza que a viagem vai ser incrível.

Bariloche no verão: Chegada na cidade saindo do aeroporto (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Chegada em Bariloche (Foto: Esse Mundo é Nosso)

CLIMA NA CIDADE

Antes de qualquer coisa, vale lembrar que as estações do ano na Argentina acontecem na mesma época daqui. Embora a gente vá falar mais de Bariloche no verão, estas dicas valem também para a primavera. De outubro ao fim de fevereiro é a época em que chove menos na cidade, como a gente contou em um outro post sobre quando ir pra lá.

Vista de Bariloche, na Argentina (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Vista da cidade (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Mesmo assim, nestes meses a temperatura mínima continua baixa (claro que não tanto quanto no outono ou no inverno), mas a máxima passa dos 20º, principalmente de dezembro a fevereiro.

O QUE ESPERAR DE BARILOCHE NO VERÃO E NA PRIMAVERA

Conversando com alguns argentinos, nós descobrimos que muitos preferem ir pra essa região justamente entre a primavera o verão porque é quando a paisagem fica ainda mais bonita. Por isso, ficamos curiosos em ver de perto.

Bariloche no verão: Estrada com árvores com folhas amarelas e montanha com neve (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Estrada em Bariloche (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Claro que a neve é incrível e pra quem gosta de esquiar não há melhor época do que julho e agosto, mas se você quer ainda ver neve no alto das montanhas e, ao mesmo tempo, ter estradas floridas, lagos azuis e árvores verdinhas na composição da paisagem, não vai se arrepender de viajar pra lá entre outubro e dezembro.

NOSSA EXPERIÊNCIA

Nós fomos pra lá no finalzinho de novembro e foi uma viagem inesquecível. De manhã e à noite, fazia bastante frio (nós usávamos aqueles casacos para inverno), já no fim da manhã e à tarde, esquentava bastante ao ponto de ficarmos de camiseta. Sem falar que nessa época chove bem pouco. Ficamos impressionados com a beleza da região.

Lago em Bariloche, na Patagônia Argentina (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Por não ser alta temporada, a cidade fica cheia, mas não abarrotada. Por exemplo, pegamos fila de espera em restaurantes, mas nada absurdo. As atrações estavam cheias, mas não lotadas. Uma dica para evitar filas é fazer o Circuito Chico ao contrário. Vamos falar mais sobre isso mais abaixo.

PRECISO LEVAR CASACO PRA BARILOCHE NO VERÃO?

Sim! Mesmo sendo primavera ou verão, é importante levar casaco e calça porque as mínimas costumam ser baixas. Lembre-se também de colocar roupas mais leves na mala, como bermudas e camisetas, tênis confortáveis para andar bastante e protetor solar.

Bariloche no verão: Lago Nahuel Huapi (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Lago Nahuel Huapi (Foto: Esse Mundo é Nosso)

O QUE FAZER POR LÁ NESTA ÉPOCA?

Separamos algumas dicas do que fazer por lá nos meses mais quentes:

ANDE PELO CENTRO

Tanto no verão como no inverno, vale a pena andar pelas ruas do centro de Bariloche, a principal é a Mitre. É bom pegar um hotel nesta área justamente para poder visitar as lojas e o centro cívico sem se preocupar com carro. Aproveite para encontrar opções de hotéis com desconto na cidade.

Bariloche no verão: Centro cívico (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Centro cívico (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Aliás, no centro cívico ficam muitas pessoas com seus cachorros da raça São Bernardo para os turistas tirarem fotos. É lindo, mas dá dó. Nesta região, também estão alguns museus, como o da Patagônia.

São Bernardo no centro cívico de Bariloche (Foto: Esse Mundo é Nosso)
São Bernardo no centro cívico de Bariloche (Foto: Esse Mundo é Nosso)

RESTAURANTES E CHOCOLATE

A região tem muitos restaurantes bons e baratos, como o El Boliche de Alberto, que possui unidades especializadas em massas e outras em carnes. Aliás, achamos os valores ótimos e a comida muito boa. La Trattoria de la Famiglia Bianchi é outra opção.

Carnes do restaurante El Boliche de Alberto (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Carnes do restaurante El Boliche de Alberto (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Bariloche no verão: Carne e batata frita do restaurante El Boliche de Alberto (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Carne e batata frita (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Pra quem curte uma cerveja artesanal, vale muito a pena ir ao Manush, uma das cervejarias mais famosas e que fica no centro da cidade. Boa opção para terminar a noite.

Não deixe também de experimentar os chocolates. A maioria das lojas fica na Mitre. Os melhores são o Rapanui, Del Turista, El Arrayan, Torres, Frantom, Mamuschka e El Reino de los Chocolates. Não deixe de experimentar as ramas. Algumas delas produzem sorvete artesanal. Aliás, neste quesito, não deixe de ir à sorveteria Jauja, que também é muito famosa.

A Havanna tem uma loja com museu e fábrica na cidade. Nós não conseguimos ir ao museu porque quando chegamos já havia fechado. Só vimos a fábrica e a loja (Av. Exequiel Bustillo, 1200).

LAGO NAHUEL HUAPI

Vale andar perto do Lago Nahuel Huapi, que mesmo na primavera estava bem gelado. É como uma praia, mas no lugar da areia há pedras. As pessoas caminham, fazem exercício e brincam por lá. A água é transparente, mas muda de tonalidade de acordo com o clima. Quando fomos ventava tanto, que tinha até ondas.

Bariloche no verão: Pessoas aproveitam os dias mais quentes no Lago Nahuel Huapi (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Lago Nahuel Huapi (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Uma dica: A gente foi tomar uma cerveja no One Louge Bar (Juan Manuel de Rosas, 435) que tem uma vista linda do lago.

Rua perto do lado em Bariloche (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Rua perto do lado em Bariloche (Foto: Esse Mundo é Nosso)

A Playa Bonita e a Bahia Serena ficam às margens do lago Nahuel Huapi.

FEIRINHAS E CASSINO

No centro de Bariloche também estão algumas feirinhas com barracas que vendem artesanato, produtos locais, roupas de inverno, comidas e muito mais.

Para quem gosta de jogos, há um cassino na cidade (España 560).

CIRCUITO CHICO

Quem vai pra Bariloche no verão ou na primavera e já foi no inverno pode refazer o Circuito Chico. Embora passe pelo mesmos lugares, com certeza a paisagem será outra.

No inverno, há muita neve. Enquanto que nas outras épocas do ano, o gelo fica apenas no alto das montanhas e a estrada ganha flores e árvores verdinhas.

NÃO SIGA A ORDEM CONVENCIONAL

A primeira dica, como já falamos, é evitar fazer o Circuito Chico na ordem correta a partir de Bariloche. Isso porque muita gente iniciará o trajeto no mesmo horário. Portanto, a concentração de pessoas será grande nas paradas.

Vista linda durante o Circuito Chico (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Vista linda durante o Circuito Chico (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Vale a pena alugar um carro para você fazer tudo no seu ritmo. Aliás, aproveite para fazer a sua cotação no site da Rentcars. Eles são nossos parceiros no blog. Dá para pagar o carro em reais e já reservá-lo pela internet.

Voltando ao circuito… A gente até fez a primeira parada no Cerro Campanário, mas a fila para subir no teleférico estava bem grande. Com isso, decidimos inverter o circuito e deixá-lo para o final, já que naquele dia fechava apenas às 17h30. Vale a pena confirmar o horário para não se empolgar nas outras paradas e ficar sem conseguir conhecer o local..

Bariloche no verão: Teleférico no Cerro Campanário (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Teleférico no Cerro Campanário (Foto: Esse Mundo é Nosso)
PONTO PANORÂMICO

Em seguida, fomos até o Ponto Panorâmico, de onde se tem uma linda vista. Aliás, o trajeto todo é lindo. O Circuito Chico leva 3h teoricamente, mas a gente gastou quase 8 porque parou para tirar fotos e fazer vídeos muito mais do que apenas nas “paradas obrigatórias”. São cerca de 60 km.

Vista linda com lago e montanhas no Ponto Panorâmico no Circuito Chico em Bariloche, na Argentina (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Ponto Panorâmico (Foto: Esse Mundo é Nosso)
CAPILLA DE SAN EDUARDO E LLAO LLAO HOTEL

A Capilla de San Eduardo também é linda. Pra variar, a vista é incrível. Perto dali, está o Llao Llao Hotel, que é bem bonito. Aproveite para ver o valor das diárias com desconto.

Bariloche no verão: Vista da Capilla San Eduardo (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Vista da Capilla San Eduardo (Foto: Esse Mundo é Nosso)
COLONIA SUIZA

Depois disso, fomos até a Colonia Suiza, como o nome diz, tem a arquitetura inspirada no país. Lá há uma feirinha com comidas e artesanato e o famoso churrasco no chão. Eles assam a carne no chão. Claro que comemos empanadas por lá também.

Colônia suíça no Circuito Chico na Patagônia Argentina (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Colônia suíça (Foto: Esse Mundo é Nosso)
CERVEJARIA PATAGÔNIA

Na sequência, paramos na cervejaria Patagônia. O lugar é lindo demais! Vista incrível e bar sensacional. Chegue e já dê seu nome porque costuma estar lotado.

Bariloche no verão: Vista da Cervejaria Patagônia (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Cervejaria Patagônia (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Para encerrar o dia, voltamos até o Cerro Campanário. Diferente do começo do dia, não tinha ninguém. Juro! Éramos nós e mais uns dois ou três turistas. Pegamos o teleférico (450 pesos – preço de novembro de 2020) e fomos até lá no alto para curtir o vento e a paisagem.

Como eu disse, conversando com argentinos, descobri que o Circuito Chico na primavera e no verão fica ainda mais bonito do que no inverno.

CIRCUITO GRANDE

Quem tiver mais tempo, pode fazer o Circuito Grande, que vai para Villa la Angostura e passa por outros pontos da região, mas, se puder, recomendo que faça a rota dos 7 Lagos, que falaremos a seguir.

ROTA DO SETE LAGOS

Se você estiver com bastante tempo, vale a pena se planejar também para fazer a Rota dos Sete Lagos, que vai de Villa La Angostura, pertinho de Bariloche, a San Martin de los Andes.

Lago Espejo, perto de Villa la Angostura, na Rota dos 7 Lagos (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Lago Espejo (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Nós saímos de Bariloche e fizemos a rota até San Martin, onde dormimos uma noite. Depois, voltamos para Villa la Angostura e passamos a noite por lá. No dia seguinte, voltamos para Bariloche e pegamos o voo para Buenos Aires.

A rota é ainda mais linda que o Circuito Chico. Passamos por lugares incríveis como o Lago Espejo. Inesquecível.

ESPORTES RADICAIS

Nem só de esqui, vive Bariloche. A cidade é ótima para os amantes dos esportes radicais. Tem tirolesa, caiaque, escalada, trilhas, rafting e muito mais.

OUTRAS ATRAÇÕES

Outras atrações para fazer em Bariloche no verão: o cruce andino, um passeio de barco pela Cordilheira dos Andes que cruza a fronteira com o Chile, o Cerro Catedral, passeio até a Isla Victória e o Vulcão Tronador.

O Cerro Catedral é muito famoso pela neve e por ser onde mais praticam o esqui. No verão, ele continua aberto para que os turistas possam apreciar a paisagem, mas não é algo tão imperdível assim. Vale mais a pena ir ao Cerro Campanário, que faz parte do Circuito Chico.

CUIDADO COM O CARRO

A gente optou por alugar um carro para poder explorar toda a região com calma e também para fazer a Rota dos 7 Lagos. Como já falamos, sempre alugamos pelo site da Rentcars porque é mais fácil e podemos pagar em reais.

Bariloche no verão: Letreiro da cidade (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Letreiro de Bariloche (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Haviam nos alertado para tomar cuidado porque muitas vezes arrombam o veículo se estiver parado na rua. Por isso, fizemos questão de ficar em um hotel que tivesse estacionamento.

Entretanto, no último dia, depois de ir para San Martin de los Andes e Villa La Angostura, voltamos para Bariloche apenas para almoçar. Deixamos as malas no hotel que havíamos nos hospedado anteriormente, mas paramos o carro na rua.

Quando voltamos, notamos que havia alguma coisa estranha na porta. Tinham arrombado o carro, mas só levaram um casaco porque, ainda bem, havíamos tirado as malas e deixado no hotel. Então, é bom tomar bastante cuidado.

ONDE FICAR EM BARILOCHE

A nossa dica é ficar hospedado no centro da cidade para poder andar a pé à noite. Há muitas opções boas de hospedagem em Bariloche. Você pode encontrar ofertas de hotéis e apartamentos na cidade com desconto neste link.

SEGURO VIAGEM PRA ARGENTINA COM DESCONTO

Muita gente acha que por ser um destino próximo, não é preciso fazer um seguro viagem pra Argentina. A nossa recomendação é que você sempre viaje com um seguro.

O Rafa, que faz o blog também, quebrou a coluna esquiando no Chile e precisou até de helicóptero para ir ao hospital onde ficou internado. Se não tivesse seguro, teria gastado uma fortuna.

A nossa dica é que você entre no site da Seguros Promo. É possível comparar na mesma diversos seguros. No momento de fechar a compra, use nosso cupom ESSEMUNDOENOSSO5 para ganhar 5% de desconto. Se tiver com bastante antecedência, pague por boleto e ganhe mais 5%. Faça a sua cotação agora mesmo.

+ Veja todas as dicas da Argentina
+ Qual é a melhor época para ir pra Bariloche?
+ Qual a moeda devo levar pra lá?

Sobre o Autor
Adolfo Nomelini
Jornalista formado pela PUC-SP e pós graduado em Comunicação em Mídias Digitais, é apaixonado por música, coxinha, televisão, seus óculos e internet. Trabalha há 8 anos com conteúdo online e passa boa parte do tempo "jogando o corpo no mundo, andando por todos os cantos e, pela lei natural dos encontros, deixando e recebendo um tanto".
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Reserve seu hotel aqui
Melhor preço para Seguro Viagem

Sobre Nós
Rafael Carvalho

Somos Adolfo Nomelini e Rafael Carvalho, dois jornalistas que trabalham com conteúdo digital há mais de 10 anos. Aqui você encontra nossas dicas de viagens pelo Brasil e o mundo.