Como é voar com a Azul para Orlando na classe econômica

Sempre quis saber como é voar com a Azul para Orlando ou para qualquer outro destino internacional. Já havia viajado com eles em voos internos, mas tinha a curiosidade de saber se o serviço seria mantido em voos mais longos. Depois de muito tempo, tive a oportunidade de ir para Orlando voando Azul e neste post conto detalhes da minha experiência com a companhia aérea

COMO É VOAR COM A AZUL PARA ORLANDO

Antes de relatar a minha experiência e contar como é voar com a Azul para Orlando na classe econômica, vou falar um pouco do processo de check-in. Embora no site falasse que ele estaria liberado 24h antes do voo, não foi possível realizá-lo antes. Aparecia um comunicado dizendo que o check-in deveria ser feito presencialmente. O que o atendente me falou foi que como eles precisam checar os documentos, o check-in precisa ser feito no balcão. Acho que isso deve ocorrer por causa do visto.

Como é voar com a Azul (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Até aí tudo bem. O que foi bem ruim é que eles não ofereceram na internet a possibilidade de troca de assentos pois falaram que o voo estava lotado. Só poderia trocar de lugar caso eu quisesse pagar R$ 250 para ir na econômica com espaço extra. Já no balcão, pedi para o atendente me trocar de lugar e ele também não conseguiu. Disse que o voo estava lotado. Resultado: muita gente que eu conheço teve que ir sentada no meio da fileira do meio mesmo com diversos assentos livres.

+ Encontre seu hotel na cidade com descontos

No voo de volta, alguns conseguiram marcar os assentos pelo site. Entretanto, algumas pessoas não tiveram a mesma sorte e mesmo no balcão foram informadas de que estavam sem um lugar marcado e que teriam que esperar 1h antes do embarque para saber onde sentariam.

Pelo menos, as duas conseguiram embarcar e uma delas foi na Economy Xtra, que é um pouco mais espaçosa.

Por fim, tive um problema e não consegui colocar o número do meu programa de fidelidade nem na ida nem na volta porque, segundo a atendente, meu nome na passagem estava completo e no Tudo Azul, programa de fidelidade da companhia, estava com o primeiro e o último nome. Se quiser resolver, precisarei ligar na companhia para tentar recuperar isso.

| VOO DE IDA

Dito tudo isso, vamos finalmente falar como é voar com a Azul para Orlando. O voo de ida foi entre Campinas e Orlando e o de volta foi entre Orlando e Recife. O avião era bem novo, tanto na ida quanto na volta, e o modelo era um Airbus A330-200.

| SERVIÇO DE BORDO

O check-in no aeroporto de Campinas foi bem tranquilo, assim como o embarque. Como o voo de ida foi diurno (saiu às 10h10), pouco depois das 11h já foi servido o almoço.

Eram duas opções: picadinho com arroz e batatas ou macarrão com molho branco, além de pão, manteiga e salada. Escolhi a carne e estava boa. O que me surpreendeu mesmo foi a sobremesa: um quindim super cremoso e realmente gostoso.

Como é voar com a Azul (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Para beber, o de sempre. Havia coca e guaraná, cerveja e vinho. Único ponto ruim é que só tinha suco de laranja light ou de caju.

Os comissários eram extremamente simpáticos. Achei meio chato porque eles distribuíram, além dos fones, um saquinho plástico para guardar celular. Só que tanto na ida quanto na volta, acabou bem perto da minha fileira e ninguém voltou para entregar mais, ou seja, eu fiquei sem.

+ Encontre seu hotel na cidade com desconto

Depois de um tempo do almoço, eles passaram novamente as bebidas, o que achei muito bom. Na metade do voo, que durou quase 9h, eles passaram com alguns dos snacks que eles costumam distribuir em voos nacionais. Havia cookies e salgadinho. Depois, ainda serviram mais água.

Como é voar com a Azul (Foto: Esse Mundo é Nosso)

No final do voo, distribuíram um pastelzinho assado, queijo e bolacha salgada. Foi ótimo o serviço de bordo com muitas opções durante todo o voo.

O voo não sofreu nenhum atraso e foi bem tranquilo.

| O AVIÃO

Tanto no voo de ida como no de volta, o avião tinha a seguinte composição: 2 assentos nas pontas e 4 assentos no meio. Não tivemos problemas para acomodar as bagagens.

Como é voar com a Azul (Foto: Esse Mundo é Nosso)

O espaço é ok. Nem muito, nem pouco. É parecido com o de outras companhias. Quando entramos, já havia um travesseiro e também um cobertor, que achei mais grosso do que os normalmente encontramos. O avião estava bem gelado.

| ENTRETENIMENTO

Não tem como contar como é voar com a Azul para Orlando sem falar sobre o serviço de entretenimento deles.

A tela era moderna e touch screen. Havia muitos filmes. Alguns nacionais e muitos internacionais e recém-lançados. Sem contar os clássicos, como Um Lugar Chamado Notting Hill, com a Julia Roberts, que é ótimo para relaxar em um voo, né?

O sistema de entretenimento foi o mesmo tanto no voo de ida quanto no de volta. Diferente do que acontece em voos nacionais, nos internacionais não há TV ao vivo.

Encontre o melhor preço no Seguro Viagem!
Use o cupom ESSEMUNDOENOSSO5 e ganhe mais 5% de desconto

Como fizemos conexão em Recife, fomos de lá até Guarulhos também voando Azul. O sistema de entretenimento estava passando por testes. Então, o touch estava bem ruim. Além disso, eram poucos os canais que estavam disponíveis ao vivo. Mesmo com a opção da programação em tempo real, eles disponibilizam alguns filmes e programas de TV, assim como nos voos internacionais, mas em menor quantidade.

Voo pra Orlando (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Também no voo interno, um ponto me chamou atenção. No momento do embarque, uma funcionária disse que como eu estava só com mochila, eu deveria acomodá-lo embaixo do assento e não na parte superior, já que o voo estava muito cheio. Não obedeci e observei que sobrou um monte de espaço nos compartimentos de bagagem mesmo depois de todos estarem embarcados. Acho que não deveriam falar isso sem antes saber se tinha ou não espaço disponível.

| VOO DE VOLTA

O voo de volta foi bem parecido com o de ida. Só que foi noturno e o destino final era Recife. Embora não tenha conseguido realizar o check-in pelo site, consegui trocar meu assento.

| SERVIÇO DE BORDO

O embarque e o desembarque também foram muito tranquilos. O voo saiu às 22h20 e durou cerca de 7h30. Pouco depois do embarque, foi servido um jantar. As duas opções eram mac and cheese ou carne com legumes e purê de batatas, além de pão, manteiga e salada. A sobremesa era uma torta bem estranha.

As bebidas eram iguais às da ida: Coca Cola normal e zero, Fanta Guaraná, cerveja, vinho, suco de laranja light e suco de caju, além de água.

+ Encontre seu hotel na cidade com desconto

Antes do pouso, foi servido o café da manhã, com um sanduíche quente, maçã, queijo processado e bolacha salgada.

O entretenimento foi igual o da ida e a composição do avião também (2 assentos nas pontas e 4 no meio).

Depois de contar como é voar com a Azul para Orlando, posso dizer que gostei bastante da experiência. O serviço foi muito bom, pontual e os comissários extremamente simpáticos do início ao fim do voo.

O único ponto realmente negativo foi o fato de não ter conseguido escolher um assento nem no balcão e muita gente ter ido sentada no meio do meio. Tirando isso, foi tudo ótimo.

| SEGURO VIAGEM

Embora não seja obrigatório, é muito importante fazer um seguro viagem para os Estados Unidos. A saúde no país é cara e qualquer imprevisto pode custar muito alto.

A dica é usar a Seguros Promo para fechar seu seguro com desconto. É só entrar no site, colocar os dados da sua viagem e comparar os diversos tipos de seguro para ver qual mais combina com você. No momento de efetuar o pagamento, use o código ESSEMUNDOENOSSO5 para ter 5% de desconto. Se tiver com bastante antecedência, escolha pagar via boleto para ter mais 5% de desconto.

+ Faça agora a cotação e ganhe 5% de desconto usando o código ESSEMUNDOENOSSO5

+ Todos os nossos posts sobre Orlando
+ Imigração: Como é a chegada na cidade
+ Qual é a melhor época para ir pra lá

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

Adolfo Nomelini

Jornalista formado pela PUC-SP e pós graduado em Comunicação em Mídias Digitais, é apaixonado por música, coxinha, televisão, seus óculos e internet. Trabalha há 8 anos com conteúdo online e passa boa parte do tempo "jogando o corpo no mundo, andando por todos os cantos e, pela lei natural dos encontros, deixando e recebendo um tanto".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *