O que você faz da sua vida além de trabalhar?

O que você responde quando alguém pergunta “O que você faz da vida?”. É bem provável que você, assim como eu, tenha pensado em algo ligado a sua carreira. Quase sempre respondemos “Trabalho em tal lugar” ou “Sou formado em tal curso”.

Mas é isso mesmo que você faz da sua vida? O trabalho tem essa importância tão grande ao ponto de ser a resposta para essa pergunta?

Qual é a primeira coisa que aparece embaixo do seu nome no perfil do Facebook? No de muita gente é o lugar em que trabalha. É a isso mesmo que você quer que as pessoas associem logo o seu nome?

O que você faz da sua vida além de trabalhar (Foto via Shutterstock)

Foto via Shutterstock

Conheço pessoas que parecem que esqueceram suas próprias vidas e vivem pelo trabalho. E não são apenas as donas dos seus próprios negócios. São funcionários que todos os donos de empresa sonham em ter. Pessoas que trabalham muito mais do que o horário combinado e não cobram hora extra por amor à empresa. Pessoas que realmente vestem a camisa e viram advogadas voluntárias do lugar em que trabalham. Claro que cada um pode fazer e ser como acha que é certo, mas e quando isso tudo acabar de uma hora para outra? Essas pessoas estarão preparadas?

Aquela boa e velha frase clichê: Você vive para trabalhar ou trabalha para viver? Não estou aqui para criticar quem coloca o trabalho em primeiro lugar, mas e quando o trabalho terminar, a empresa fechar ou entrar alguém no seu lugar?

O que você faz da sua vida além de trabalhar (Foto via Shutterstock)

Foto via Shutterstock

Você pode sim colocar o trabalho no topo da sua lista, mas até quando você estará no topo em seu trabalho? O que aconteceria com você se você fosse demitido hoje? Além de pensar no lado financeiro, como você se sentiria se de repente aquele trabalho deixasse de ser seu? Você está pronto para ter alguém no seu lugar fazendo o que você faz e muitas vezes reutilizando aquilo que você criou?

Você faz realmente alguma coisa da sua vida que não seja apenas trabalhar? Todos nós precisamos de dinheiro para viver, mas você está ganhando seu dinheiro realmente para viver ou apenas para sobreviver? Você tem vivido ou sobrevivido?

Quantas horas você trabalha por dia? Você está conseguindo ver seu filho crescer? Quantas datas importantes você já perdeu por causa do trabalho? Você já parou para pensar naquilo que não volta? Que as pessoas, inclusive você, estão aqui de passagem? O dinheiro compra muita coisa, claro… Compra inclusive as tão sonhadas viagens… Mas quando você viaja, você consegue relaxar 100%? No fim de semana quando você está com a sua família e seus amigos na mesa de um restaurante, você consegue ficar o tempo todo longe do celular? Fica sem receber mensagens do chefe no WhatsApp?

O que você faz da sua vida além de trabalhar (Foto via Shutterstock)

Foto via

Precisamos pensar no caminho que nossa vida está traçando para tentar ajeitá-lo antes que seja tarde demais. Se o trabalho realmente é a única coisa que faz a sua vida ter sentido, ótimo! Só não esqueça que de repente tudo pode mudar. Somos apenas números para as empresas e de uma hora para outra podemos não ser mais tão úteis assim para elas.

Se os momentos com a família e os amigos são muito importantes pra você, talvez seja a hora de aprender a dosar. Equilibrar o trabalho com a vida pessoal para que daqui a alguns anos você não olhe para trás com arrependimento por não ter conseguido aproveitar tudo o que queria ao lado de quem já não está mais perto de você.

Agora responda novamente: O que você realmente faz da sua vida? E o que você quer ter feito da sua vida quando olhar para trás?

+ Desabafo após ter sido julgado pela aparência nas redes sociais
+ Não é errado querer passar a vida inteira trabalhando em uma empresa
+ Já parou para pensar quanto custa a sua felicidade?

Booking.com

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

Adolfo Nomelini

Jornalista formado pela PUC-SP e pós graduado em Comunicação em Mídias Digitais, é apaixonado por música, coxinha, televisão, seus óculos e internet. Trabalha há 8 anos com conteúdo online e passa boa parte do tempo “jogando o corpo no mundo, andando por todos os cantos e, pela lei natural dos encontros, deixando e recebendo um tanto”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *