Desabafo após ter sido julgado pela aparência nas redes sociais

Hoje abro um espaço para falarmos como a internet tem mostrado o quanto as pessoas são cruéis com as palavras. A gente já sabe faz tempo que cuidado com as palavras não é algo muito corriqueiro, né? Vira e mexe é um verbo conjugado errado ou plural que não aparece na frase, mas o que quero falar hoje vai muito além dos erros gramaticais. É sobre como as pessoas são cruéis naquilo que escrevem nas redes sociais sem se preocupar em nada com quem está lendo do outro lado e sem se colocar no lugar da outra pessoa.

As redes sociais são ótimas, servem para muitas coisas incríveis, mas, infelizmente, com elas vieram os julgadores. Todos nós vivemos julgando e sendo julgados na internet. Só que alguns mais sábios guardam para si os julgamentos. Meio como quando assistíamos aos programas de TV e criticávamos na sala de casa ou só mentalmente a roupa daquela atriz. Se encontrássemos com ela na rua, não falaríamos “Nossa! Aquela roupa que você usou ontem estava horrível”. Com a internet isso tudo mudou. Todos querem julgar todos a todo momento. Não existe mais filtro. Educação então… Nem pensar! É cada comentário que lemos nas notícias e nos perfis de famosos e anônimos…

Desabafo após ser julgado pela aparência (Foto via Shutterstock)

Foto via Shutterstock

Só que de repente eu deixei de ser um espectador disso tudo e passei a virar o julgado. Desde a primeira vez que decidi colocar a minha cara no Stories pro Instagram do @essemundoenosso, eu sabia que eu a partir daquele momento seria julgado. E estava apenas esperando chegar algum comentário que falasse sobre minha aparência, principalmente, devido aos óculos. Pra quem não sabe eu uso óculos de grau forte (bem forte) desde pequeno.

Recebi o seguinte comentário: “Mano, por favor, não apareça nos vídeos. Susto da p##ra kkk”. Quanta crueldade, não é? Eu estava apenas dando dicas sobre o passeio que eu havia feito ao Zoo Safári, em São Paulo, com a minha família.

Vou contar os bastidores dos dois vídeos em que apareci e recebi esta crítica. Somando os dois, dá algo em torno de 30s. Era domingo, minha irmã e meu cunhado me convidaram para ir ao Zoo Safári com a minha afilhada de três anos. Foi um passeio em família, mas como todo passeio vira trabalho pra mim, já aproveitei para fazer Stories e tirar fotos para publicar um post aqui no blog. No fim do passeio, morrendo de vergonha, fui num cantinho, peguei o celular e gravei esses dois vídeos falando sobre o parque. Gravei umas 3x porque queria sempre que ficasse melhor. Sofri para aparecer, mas achei que seria legal dar aquelas informações para os meus seguidores. Subi o vídeo e hoje recebi este comentário.

Desabafo após ser julgado pela aparência (Foto: Pixabay)

Como eu me senti? Péssimo! Já estou acostumado a ser vítima de bullying por causa dos meus óculos desde pequeno. Afinal, uso desde os três anos. Já sofri muito por isso. Já senti tanta raiva, queria quebrá-los, pisar em cima. Mas se eu fizesse isso apenas eu seria prejudicado. Ia continuar sem enxergar do mesmo jeito. Até o dia em que entendi que em vez de ter raiva dos óculos eu deveria era agradecê-los. Como eu amo quem os criou. Graças a eles posso levar uma vida normal, posso viajar, posso enxergar tudo. E sabe o que é mais legal disso? Por causa dos óculos aprendi a enxergar muito além do que os olhos podem ver.

Aprendi a enxergar a essência das pessoas, aprendi a tentar julgar menos e a ver a alma e o coração de cada um com quem eu converso. Mais do que isso, aprendi a enxergar também com a minha alma, com o meu coração. Mas isso tudo não impede que um comentário como esse não me faça mal. É claro que faz. Posso ser forte, posso ter um belo discurso, mas sou apenas um ser humano como outro qualquer e cheio de fragilidades. Minha vontade era responder um monte de palavrão pro cara e depois ir pra minha cama e ficar embaixo do cobertor sofrendo sozinho, mas não posso fazer isso. Tenho que seguir em frente e tentar ajudar quem também é julgado o tempo todo.

Desabafo após ser julgado pela aparência (Foto via Shutterstock)

Foto via Shutterstock

Claro que a minha autoestima foi lá pro chão. Claro que fiquei despedaçado por dentro. Mas isso passa. Ainda mais porque não conheço a pessoa e não quero ter seguidores tão preconceituosos como esse. Aliás, acredito que ele não deva viajar ou pelo menos não deva saber viajar. Porque uma das melhores formas de aprendermos a ser menos preconceituosos e mais tolerantes é viajando pelo mundo. Quando viajamos conhecemos pessoas tão diferentes de nós mesmos, histórias tão distantes da nossa realidade, que aprendemos aquilo que os óculos me ensinaram: enxergar o mundo com a alma.

Mas o que me deixa mais triste mesmo é ver como as pessoas estão más. O que um ser humano ganha ao escrever isso? Será que ele teria coragem de olhar nos meus olhos (bem grandes, aliás, por causa dos óculos) e falar isso pra mim? O ser humano está cada vez mais cruel. A grande diversão é diminuir o outro. E na internet isso é tão mais fácil, né? Posso estar no trânsito, no banheiro ou na sala de espera, em menos de dez segundos já tenho uma opinião formada sobre alguém e logo em seguida já posso destilar meu veneno.

Desabafo após ser julgado pela aparência (Foto via Shutterstock)

Foto via Shutterstock

Não sinto raiva. Quero apenas que essa e todas as outras pessoas tenham mais amor em suas vidas. Porque às vezes um comentário bobo desse dependendo pra quem ele é direcionado pode ter grandes consequências pra vida daquela pessoa que o recebeu. Nem todos estão prontos para ser tão diminuídos. Depois de escrever o comentário, a pessoa desliga o celular e segue a sua vida. Enquanto isso, o outro fica lá lendo aquilo e sofrendo.

Hoje eu vou pedir pra que Deus me dê sempre forças para continuar e pedir para que dê mais amor pra cada uma dessas pessoas.

Como cantam os Paralamas: “A crueldade de que se é capaz deixar pra trás os corações partidos”.

É vida que segue.

+ Por que as pessoas julgam tanto que viaja muito
+ Você já parou para pensar quanto custa a sua felicidade?
+ Por que ainda me assusto com a falta de educação das pessoas

Booking.com

Adolfo Nomelini

Jornalista formado pela PUC-SP e pós graduado em Comunicação em Mídias Digitais, é apaixonado por música, coxinha, televisão, seus óculos e internet. Trabalha há 8 anos com conteúdo online e passa boa parte do tempo "jogando o corpo no mundo, andando por todos os cantos e, pela lei natural dos encontros, deixando e recebendo um tanto".

28 Comments

  1. Lara Nogueira disse:

    Adolfo, meu coração se encheu de tristeza ao ler o seu desabafo.

    Apesar de nunca ter deixado um comentário aqui, sempre venho ler os seus posts e admiro muito o seu trabalho.

    Tanto que considero o seu blog é um dos melhores portais de viagem do Brasil!

    Há muito concluí que as mídias sociais passaram dos limites, tornando as aparências mais importantes que conteúdo e parece que hoje mais vale viajar para tirar fotos do que para experienciar novas. Até aí ok, cada um lida com isto da forma que acha melhor.

    No entanto, tudo passa do limite quando alguém se utiliza deste meio para machucar, ofender outras pessoas, como se o simples fato de digitar ao invés de falar tornasse as ações mais aceitáveis ou menos graves.

    Realmente não consigo entender como que alguém pode simplesmente segue o seu instagram, cheio de dicas maravilhosas e uma verdadeira fonte de inspiração e ao invés de aproveitar o perfil lindo que você criou se dá ao trabalho de te julgar pela aparência, como se isto importasse algo!

    Você é um profissional maravilhoso e enche a vida de muita gente com muita luz.

    Sei que é difícil esquecer algo assim, mas peço que sinta-se orgulhoso por influenciar tanta gente e fazer com que tantos (como eu) adorem você e o seu trabalho, pois este retorno é verdadeiro e não baseado em aparências efêmeras.

    Um abraço,

  2. Natália Aguiar disse:

    Nossa, que triste saber que existem pessoas tão maldosas 🙁 Mas sabe o que penso? Que você deve se apegar às coisas boas da vida, às pessoas que gostam de você e admiram seu trabalho e o blog. Devemos olhar para o que nos faz bem! Bola pra frente, Adolfo! Abs;

  3. Gustavo disse:

    Excelente texto Adolf. Sou seu fã!

  4. Rafael Leick disse:

    Julgar o outro e expressar isso sem pensar, infelizmente, um caminho sem volta que a Internet ajudou a propagar. Mas isso já está nas pessoas. Seja por qual motivo for, as pessoas enxergam o que querem enxergar e te colocam em um lugar que elas querem que você esteja. Seja isso pela aparência ou por algo que ouviram sobre você. Nos dois casos, não há preocupação em entender o lado da pessoa na história que você ouviu ou procurar saber o que o óculos representa pra pessoa. Ou ainda, o que seria o mundo ideal, entender que isso não é uma questão sua e que não te interessa em nada. Eu entendo o sentimento que você está sentindo e te admiro ainda mais pela coragem de expor aqui sua dor e sua história, por transformar um corte que machuca em uma cicatriz visível que pode ensinar outras pessoas, ou pelo menos que as faça parar pra refletir.
    Parabéns, parabéns e parabéns. Meus aplausos em pé pra você.
    Não vou dizer pra você ignorar e fingir que não é com você porque nem eu sei bem como fazer isso, mas sim pra você continuar transformando situações ruins em lições, aprendizados e em algo positivo, instrutivo para mudar o futuro.
    Razô!

    • Nossa, Rafael!! Fiquei muito feliz com o seu comentário!!

      É verdade! Não tem como não dizer que eu não sofri com o que eu li e já não tenha sofrido tantas outras vezes desde pequeno por causa disso. Para muitos é algo bobo, para outros pode ser mais sério ainda do que é pra mim, mas é algo meu e que mexeu comigo. Por isso mesmo resolvi me expor… Porque sei que tem muita gente que adora julgar os outros e não tem a coragem nem de saber o nome da pessoa que está julgando. Esquecem que por trás de cada um existe uma história, uma trajetória.

      Ainda bem que temos pessoas como você no mundo, que sabem enxergar além do que os olhos conseguem ver. Obrigado pelo apoio!!

      Abração

      Adolfo

      • Rafael Leick disse:

        Cara, no que depender de mim, pode contar com meu apoio sempre. 😉
        E não existe isso de “algo bobo”. Cada um tem a sua mochila e às vezes o “souvenir” que a gente recebe é grande ou desconfortável demais pra nossa mochila, pra nossa história particular, como você bem lembrou. Só nós sabemos o peso que carregamos nas costas, então isso não deve ser posto em pauta. Simples assim. E que bom seria se o mundo visse de forma tão simples também.
        Abração! 😉

  5. RAUL SQUARÇA disse:

    Excelente atitude, Dolfs! Parabéns pela coragem de enfrentar esse tema e por sua leitura desse lamentável epsódio. 👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

  6. Marli disse:

    Adolfo,

    Continue sendo essa pessoa que sempre foi, carismático e educado alegre, as pessoas são preconceituosas, não deixe que pessoas mesquinhas e ignorantes estraguem seu dia, siga em frente, tem mais gente para te aplaudir do que um zé ninguém que se esconde nas redes sociais para poder criticar os outros, sabemos que sempre irá ter alguém insatisfeito e sem amor pelo próximo, continue postando seus trabalhos.
    Lembro de vc do Colégio Liceu” Biblioteca ”
    Abraço Marli

  7. Will disse:

    Parabéns Adolfo!! Torço pelo sucesso do blog! continue fazendo oq gosta de verdade!! Abraços

  8. Carolmay disse:

    As pessoas estão sem filtro e sem educação mesmo. Mas bola pra frente. Contienue fazendo tudo do seu jeito. E quando precisar, escreva post assim para desabafar e compartilhar com a gente. Bjo

  9. Bruno Sgromo Veiga disse:

    Meu amigoooo, infelizmente o mundo está perdido, cada dia mais as pessoas estão mais crueis, mas n deixe que isso te abale e continue fazendo esse trabalho maravilhoso frente ao essemundoenosso.
    Vc sabe que sou fa do blog e insta de vcs… sempre lembro do seu video na Tailandia kkkk
    Um abraco amigo

    • Oi, Bruno!

      MUITO obrigado pelo comentário!! É verdade, as pessoas estão cruéis e não se preocupam com o próximo!

      Obrigado pelo apoio de sempre! E nem fala daquele vídeo na Tailândia que eu já começo a rir kkkk! Abração

  10. Marcelo Lemos disse:

    Adolfo, para cada hater que aparece, existem outros 10 mil que gostam e valorizam o seu trabalho.

    O que os mantém vivos é a atenção de quem ofendem. Logo, não alimente os “trolls”, deixe eles morrerem de fome.

    Abração 😉

  11. Meu caro!!!!!!
    Vc é muito importante para nós!
    As pessoas falam o que o coração está cheio!
    Nem vou dizer o que acho dele! Apenas vou orar e pedir a Deus para que ele não faça mais nenhum comentário assim e com ninguém!
    Você é mais! Infinitamente mais!
    Adoramos te ver, adoramos seus comentários e dicas de viagem! Por favor!!!!! Não pare de mostrar suas dicas!
    Pois esse mundo é nosso, e não temos tempo para pessoas sem luz!
    Beijo carinhoso, Fabi

  12. As pessoas realmente estão cada vez mais cruéis sim! Cruéis e covardes, pois se escondem atrás do computador ou celular e saem julgando a todos.
    Por favor, não pare de aparecer nos vídeos e stories não!!! Pensa no povo que curte, que é mil vez mais que esse infeliz que comentou!
    Beijo grande e saudades,
    Natália.

    • Natália!!! Que alegria ver você comentando no blog!! Tenho tanta saudade daquela viagem que fizemos pela Chapada!

      Muito obrigado pelo apoio de sempre!! Ainda bem que ainda existem pessoas do bem como você no mundo!! Obrigado de verdade!

      Ahh e parabéns!! A Olívia está mais linda a cada dia!

      Bjs, saudades!

      Adolfo

  13. Vanessa Aguilera disse:

    Adolfo, querido.

    Ler o seu relato me aperta o peito de forma sincera. Há tempos tento evitar ler comentários de notícias e até me acostumei a bloquear gente que vem me atacar (e olha q sou uma desconhecida professora) … antes eu era sangue nos olhos e ficaria ali debatendo e respondendo até vencer pelo cansaço. Mas a verdade é que a internet abriu espaço pra esse tipo de gente, que só quer desmerecer o outro por puro prazer. Somos humanos e CLARO que mexe e mexe muito. Mas siga em frente com coragem e a certeza de que não há nada de errado com você e, sim, com essa gente que carece (como vc mesmo disse) de AMOR. Te conheço pouquissimo e te admiro. Fiquei tocada com o que vc escreveu. Continue a sua jornada! Um grande abraço com muito carinho.

    • Oi, Vanessa! Que comentário lindo!

      Muito obrigado pelo apoio de sempre!! Infelizmente, as pessoas estão realmente cruéis!! Eu também não leio mais comentários em notícias porque chega a dar nervoso de tanta coisa horrível que escrevem por ali!

      Obrigado de coração!

      Abs

  14. Juliana disse:

    👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *