Claro que ninguém quer ir pra Salvador com chuva, né? Mas, infelizmente, a gente não consegue controlar as vontades do clima. Quem dera se toda vez que a gente estivesse na praia, pelo menos um cantinho ficasse sempre com o céu azul…

Como isso não passa de um sonho impossível, a gente separou várias dicas do que fazer na cidade em dias chuvosos. Porque não é uma chuva que vai estragar seu passeio, né?

Tem café da manhã, comida boa no almoço ou no jantar, museus, igrejas e muito mais. Veja as nossas dicas.

SALVADOR COM CHUVA: O QUE FAZER

Na última vez que fomos pra Salvador, chegamos com um céu lindo e muito calor, mas no dia seguinte a coisa mudou. O tempo amanheceu fechado e chuvoso. Mas como tudo tem um lado bom… graças a isso, nós resolvemos fazer coisas que sempre tivemos vontade, mas que com o sol acabamos deixando pra depois.

Veja as nossas dicas do que fazer em Salvador com chuva:

TOMAR CAFÉ DA MANHÃ EM UM LUGAR DIFERENTE

Se você estiver hospedado em um hotel, mesmo se tiver café da manhã incluso, vale a pena sair da rotina um dia para conhecer um novo lugar na cidade, né?

A primeira dica pra aproveitar Salvador com chuva é tomar café da manhã na Casa Castanho, no Rio Vermelho.

O nome não é sem razões, já que fica em uma casa que tem uma decoração super aconchegante e moderna. O local funciona apenas para café da manhã e brunch (das 8h às 13h).

Casa Castanho (Foto: Esse Mundo é Nosso)

No cardápio, existem algumas opções de combos de café da manhã ou brunch, mas também para escolher o que preferir. A gente, por exemplo, pediu tostado de parma, queijo estepe e rúcula (R$ 18), tostado de cogumelos salteados, tomates assados, creme azedo e rúcula (R$ 18) e ovos mexidos com creme azedo e parma (R$ 12).

Casa Castanho (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Casa Castanho (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Há ainda diversas opções de waffle doces e salgadas, baguetes, expressos, capuccinos, chocolates e sucos. Entre os doces, tem crumble de banana com chocolate, brownie, cheesecake, bolo de rapadura e bolo de cenoura.

Vale muito a pena começar o dia assim: com um café da manhã bem gostoso, num lugar legal e sempre pressa.

End.: R. Alexandre de Gusmão, 57 – Rio Vermelho
Todos os dias das 8h às 13h
Instagram

VISITAR A CASA DO JORGE AMADO NO RIO VERMELHO

Está aí um lugar que eu sempre quis ir em Salvador: a casa de Jorge Amado, mais conhecida como Casa do Rio Vermelho.

Salvador com chuva: Casa do Jorge Amado no Rio Vermelho (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Como desta vez pegamos Salvador com chuva, aproveitamos para finalmente ir até lá. A casa fica localizada no bairro do Rio Vermelho. Ela foi comprada por Jorge Amado em 1960 com o dinheiro da venda dos direitos de “Gabriela” para a MGM. Foi lá que o escritor morou até morrer, em 2001.

A Casa do Rio Vermelho foi muitos anos reduto de artistas e intelectuais em Salvador: Pablo Neruda, Dorival Caymmi, Palanski, Glauber Rocha, Jack Nicholson, Sarte e Simone de Beauvoir foram alguns deles.

Casa do Jorge Amado no Rio Vermelho (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Eu adorei a casa de Jorge Amado. Lá, é possível conhecer diversos ambientes que permanecem com a mesma decoração e disposição dos móveis até hoje, como a sala de estar, o quarto de visitas, o quarto de Zélia Gattai e Jorge Amado e a cozinha. Além do local onde foram jogadas as cinzas dos dois no jardim.

Local onde estão as cinzas de Jorge e Zélia Gatai na Casa do Jorge Amado no Rio Vermelho (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Local onde estão as cinzas de Jorge e Zélia Gatai (Foto: Esse Mundo é Nosso)

É emocionante passear pela história deles e saber que tanta coisa incrível já aconteceu naquele lugar. Tem até cartas que ele recebeu de ícones, como Oscar Niemeyer, e também de seus netos. É uma ótima pedida para fazer em Salvador com chuva, mas, mesmo se estiver com sol, tente encaixar no seu roteiro.

End.: Rua Alagoinhas no 33, Rio Vermelho
Tel.: (71) 3333 1919
De terça a domingo das 10h às 17h
Site oficial

IGREJA DO NOSSO SENHOR DO BONFIM

Visitar a Igreja do Nosso Senhor do Bonfim é quase obrigatório pra quem vai a Salvador. Mas tem um detalhe nesta visita que vale uma observação: se estiver chovendo forte, repense sua ida até lá. Isso porque uma das graças de visitar o santuário é justamente poder amarrar a fitinha nas grades da igreja e fazer um pedido.

Salvador com chuva: Igreja do Bonfim (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Se estiver chovendo forte, isso não será possível. De toda forma, vale a pena entrar na igreja. A construção se iniciou em 1746. Em 1773, teve início a tradicional lavagem da igreja. Já as fitinhas começaram a aparecer em 1809.

Igreja do Nosso Senhor do Bonfim em Salvador (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Entre os momentos marcantes da Igreja do Nosso Senhor do Bonfim, está a visita do Papa João Paulo II em 1991.

Igreja do Nosso Senhor do Bonfim em Salvador (Foto: Esse Mundo é Nosso)

End.: Praça Sr. do Bonfim, s/n – Bonfim
Tel.: (71) 3316-2196
Site oficial

SANTUÁRIO SANTA DULCE DOS POBRES – IRMÃ DULCE

A cerca de 1,5km da Igreja do Nosso Senhor do Bonfim está o Santuário Santa Dulce dos Pobres, outra ótima opção para visitar quando estiver em Salvador com chuva. O Santuário existe desde 2003 e foi construído através de doações. Fica ao lado da sede das Obras Sociais Irmã Dulce.

Salvador com chuva: Santuário da Irmã Dulce (Foto: Esse Mundo é Nosso)

É lá, na Capela das Relíquias, que estão os restos mortais de Irmã Dulce, que morreu em 1992. Além disso, não deixe de visitar o Memorial em homenagem à Santa Dulce dos Pobres. Uma das preciosidades do local é o quarto dela e a cadeira em que ela dormiu sentada por 30 anos devido a uma promessa.

Memorial da Irmã Dulce (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Irmã Dulce é a primeira santa brasileira. Ela foi canonizada em 13 de outubro de 2019. Seu nome como santa é Santa Dulce dos Pobres.

End.: Avenida Dendezeiros do Bonfim, 161, Bonfim, Salvador – Bahia
Tel.: (71) 3310-1923 e (71) 9 8123-9704
Site oficial

SORVETERIA DA RIBEIRA

Que tal um sorvetinho? A Sorveteria da Ribeira surgiu em 1931, quando um italiano abriu uma pizzaria e presenteava seus clientes com sorvetes criados com ele com sabor de frutas tropicais.

Salvador com chuva: Sorveteria da Ribeira (Foto: Esse Mundo é Nosso)

São mais de 60 sabores. Além dos tradicionais, como chocolate e baunilha, tem também de cupuaçu, cajá, jaca, graviola, umbu, tangerina, pinha, pitanga, tapioca e muito mais.

Salvador com chuva: Sorveteria da Ribeira (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Existem algumas unidades na cidade, mas acho mais legal ir na da Ribeira, que é mais tradicional. No site tem todas as informações de endereços e horários.

ALMOÇAR MOQUECA

Comer moqueca é algo se pode fazer em Salvador com chuva ou com sol, né? Como diz aquele ditado “não há tempo ruim” para isso rsrs. E não mesmo! É fácil encontrar este prato incrível e suas diversas versões em muitos restaurantes da cidade.

Salvador com chuva: Moqueca do Recanto da Lua Cheia (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Moqueca do Recanto da Lua Cheia (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Tem de peixe, de camarão, de peixe com camarão e de polvo. Aliás, já vimos até de frango. Com pirão, farofa, arroz e uma pimentinha. Aiiii! Consigo sentir aquele cheirinho agora.

Pra mim, comer moqueca baiana não é apenas fazer uma refeição, é um acontecimento. Quando ela chega quentinha, aquela fumaça sobe e até embaça meus óculos e a lente da câmera (claro que eu tenho que tirar foto). Depois, capricho no arroz e no caldo com bastante coentro e cebola. Que delícia! Amo tanto que pego até uma colher no fim para não deixar nada pra trás.

Depois desta declaração de amor para a moqueca, vou dar dicas de alguns restaurantes que já comemos moqueca em Salvador e amamos:

RECANTO DA LUA CHEIA

Este restaurante fica pertinho da igreja do Nosso Senhor do Bonfim e tem uma moqueca incrível com uma vista linda.

End.: R. Rio Negro, 2 – Monte Serrat
De sábado a domingo, das 10h30 às 17h
Tel.: (71) 3315-1275
Instagram

KI-MUKEKA

Como o nome já diz, o Ki-Mukeka tem moquecas sensacionais. São vários restaurantes espalhados pela cidade (tem até em Brasília). Desta última vez fomos no de Itapuã porque chegamos cedo no aeroporto, que fica próximo desta unidade do restaurante.

Aproveitamos para nos despedirmos da Bahia em grande estilo. A moqueca estava sensacional.

No site, eles têm todas as unidades com horários e endereços.

BOTECO DO FRANÇA

O Boteco do França foi dica da Sofia, do Tô Pensando em Viajar. A gente não comeu moqueca por lá (escolhemos o camarão com arroz de ameixa, tomate e queijo e adoramos), mas tem moqueca no cardápio e deve ser ótima.

End.: R. Borges dos Reis, 24-A – Rio Vermelho
Instagram

FUNDAÇÃO CASA DE JORGE AMADO

Quem anda pelo Pelourinho, logo percebe uma linda casa azul. É a Fundação Casa Jorge Amado, que foi inaugurada em 1987.

Salvador com chuva: Fundação Casa Jorge Amado (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Fundação Casa Jorge Amado (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Lá estão os acervos bibliográficos e artísticos de Jorge Amado e também uma exposição permanente sobre o escritor, com livros, fotos e objetos.

A fundação funciona de segunda a sexta, das 10h às 18h, e aos sábados, das 10h 16h. A entrada custa R$ 5 (às quartas-feiras, a entrada é gratuita).

End.: Largo do Pelourinho
Tel.: (71) 3321-0070
Site oficial

MERCADO MODELO

Confesso que a primeira vez que fui ao Mercado Modelo fiquei meio decepcionado. Achava que fosse encontrar algo como o Mercadão aqui de São Paulo, mas me deparei com pouca comida e muitos produtos.

Mercado Modelo (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Depois, entendi a proposta de vender artesanatos e passei a gostar mais do mercado, inclusive para comprar lembrancinhas. As coisas lá costumam ser bem baratas por lá. Fica pertinho do Elevador Lacerda, ou seja, dá para juntar as duas atrações de uma vez.

Agora ninguém merece subir o elevador e ter uma vista de Salvador com chuva, né? Lá de cima, a paisagem é linda. Então, se tiver tempo, tente ir num dia de sol também apenas na parte de cima do elevador para contemplar a vista.

Voltando a falar do Mercado Modelo, há mais de 250 lojas por lá. Só que é bem comum encontrar produtos repetidos. De toda forma, vale fazer uma pesquisa antes de comprar e também dar uma negociada.

Lá dentro está também os restaurantes Maria de São Pedro e Camafeu de Oxossi.

O Mercado Modelo foi inaugurado em 1912 para abastecer a Cidade Baixa, mas sofreu um incêndio no final da década de 1960. Por isso, desde 1971 passou a ocupar o prédio onde ainda funciona atualmente.

CASA DI VINA

Infelizmente, eu ainda não consegui conhecer a Casa Di Vina. Só passei na frente e fiquei morrendo de vontade.

Casa Di Vina (Foto: Reprodução/Site do hotel Mar Brasil)

Olha só a história dessa casa localizada na Praia de Itapuã: ela serviu de cenário para o romance entre Vinícius de Moraes e Gessy Gesse, a sétima mulher do poeta.

Ele construiu essa casa em 1974 depois que os dois se casaram na Bahia. A casa tem seis quartos e o de Vinícius tinha uma banheira com vista para o mar. Nem preciso falar que essa casa foi frequentada por diversos artistas e intelectuais da época, né?

Salvador com chuva: Casa Di Vina (Foto: Reprodução/Site do hotel Mar Brasil)

Imagina o que esse lugar já presenciou e viveu? Tem lugar mais propício para cantar: “Passar uma tarde em Itapuã, ouvindo o mar o de Itapuã”?

Hoje a Casa di Vina, como era chamada pelos amigos de Vinícius de Moraes, é um Memorial com entrada gratuita, um restaurante e também o Mar Brasil Hotel.

Falando no hotel, é possível se hospedar no quarto em que Vinícius e Gesse dormiam. Ele tem 51 metros quadrados e ainda possui a mesma arquitetura e disposição dos móveis da época, além de cama de casal original. Aproveite para checar o valor das diárias por lá.

CASA DI VINA
End.:
R. Flamengo, 44
Segunda a Sábado das 12h às 23h30h
Domingo das 12h às 22h
Site oficial

Tem mais alguma dica do que fazer em Salvador com chuva? Deixe aqui nos comentários!

+ Encontre seu hotel na cidade com desconto

+ Veja todas as dicas da cidade
+ Quando ir: Melhor época pra curtir o destino
+ O que fazer por lá numa parada de navio

Sobre o Autor
Adolfo Nomelini
Jornalista formado pela PUC-SP e pós graduado em Comunicação em Mídias Digitais, é apaixonado por música, coxinha, televisão, seus óculos e internet. Trabalha há 8 anos com conteúdo online e passa boa parte do tempo "jogando o corpo no mundo, andando por todos os cantos e, pela lei natural dos encontros, deixando e recebendo um tanto".
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Reserve seu hotel aqui
Melhor preço para Seguro Viagem

Sobre Nós
Rafael Carvalho

Somos Adolfo Nomelini e Rafael Carvalho, dois jornalistas que trabalham com conteúdo digital há mais de 10 anos. Aqui você encontra nossas dicas de viagens pelo Brasil e o mundo.