Quanto custa viajar para Hong Kong: Dicas e preços na cidade

Na hora de planejar uma viagem é preciso pensar nos preços do local. Por isso, neste post nós explicamos quanto custa viajar para Hong Kong, uma das principais cidades da Ásia.

QUANTO CUSTA VIAJAR PARA HONG KONG

A moeda da cidade-estado é o Dólar de Hong Kong. É fácil trocar dinheiro nas ruas. Sempre tem uma casa de câmbio nas partes mais movimentadas. É só levar dólar que eles trocam na hora.

Quanto custa viajar para Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

 

HOSPEDAGEM

Antes de qualquer coisa já vale o aviso: Hong Kong é uma cidade cara. Se você quiser ficar em um hotel espaçoso, terá que desembolsar uma boa grana. Assim como na área de Tsim Sha Tsui, onde muitos turistas gostam de ficar e os preços são bem altos.

Nós ficamos em dois hotéis diferentes. Durante o fim de semana, os valores das diárias estavam mais baixos. O primeiro hotel que ficamos foi o Silka Seaview, que ficava em Kowloon e estava do lado do metrô. Era bem localizado, mas para dar uma noção dos altos preços, pagamos por três diárias HKD 2,728.00 (cerca de US$ 300) por um quarto minúsculo. Eram duas camas de solteiro praticamente grudadas. Uma mala teve que ficar em cima do frigobar e a outra em cima da janela.

Quanto custa viajar para Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Silka Seaview

Não tinha mais nenhum espaço no quarto. O banheiro também era superpequeno, mas o espaço para tomar banho era bom. Embora fosse bem localizado, o hotel não estava na parte verdadeiramente turística e as ruas ao redor eram bem feias, o que é comum em Hong Kong. Entretanto, pelos altos preços, foi uma boa escolha.

Nosso segundo hotel foi o Stanford Hilview, localizado em Tsim Sha Tsui (gostamos muito da região). Pagamos HK$1,425.60 por duas diárias (cercade US$ 185). Esse hotel era bem melhor que o anterior, mas as diárias só estavam mais baratas no fim de semana.

Quando custa viajar pra Hong Kong: Standford Hillview (Foto: Divulgação)

Standford Hillview

Era bem localizado, ficava bem perto da confusão turística e o quarto era espaçoso, o que por aqui já é um milagre.

+ Encontre hotéis com desconto na cidade

 

ATRAÇÕES

Quando pensamos em quanto custa viajar para Hong Kong, lembramos das atrações turísticas. Embora seja uma cidade cara, há muita coisa para fazer sem gastar nada. Por exemplo, passear pelos vários mercados de rua, como o Ladie’s Market, que, apesar do nome, vende produtos para todos os tipos de público, e o Flower Market. Além dos shoppings lotados de marcas famosas (Não custa nada só olhar, né?), do famoso Show de Luzes nos prédios, e da Avenida das Estrelas, que está em reforma, mas dá para ver as estátuas em um local próximo dela.

Quanto custa viajar para Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Quanto custa viajar para Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

+ Veja dicas do que fazer na cidade

As principais atrações pagas são o Victoria Peak – The Peak, de onde tem uma vista linda da cidade (ingressos vão de cerca de US$ 6 a US$ 11), o Buda Gigante, ou Big Buddha, que fica em Lantau (cerca de US$ 30 o teleférico de ida e volta) e o Sky 100, maior prédio da cidade (US$ 21). Pra quem tiver tempo e quiser gastar mais, dá para curtir um dia na Disney (O ingresso para um dia sair por volta de US$ 76).

Quanto custa viajar para Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

 

ALIMENTAÇÃO

Comer não é uma tarefa fácil em Hong Kong. Tem muitos restaurantes famosos, porém a comida não é a que estamos acostumados.

Na rua, existem algumas “padarias”. Na verdade, são como lanchonetes que ficam com o balcão para a rua pra pessoa comprar e levar o pão com ela. Não tem lugar para se sentar. Quando vimos pela primeira vez uma delas, ficamos felizes. Achamos que tinhamos encontrado a solução para o nosso café da manhã. Os pães eram lindos, macios, grandes e recheados de queijo, frango e presunto. E o melhor custavam de HK$ 7 a HK$ 10 (cerca de US$ 1). Porém, a decepção veio na primeira mordida. Todos os pães tinham a massa doce, inclusive o recheado com frango.

Quanto custa viajar para Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Quanto custa viajar para Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Um lugar bom para comprar coisas rápidas para comer é no metrô (apenas comprar, já que não é permitido comer no metrô). Tem muitas lojinhas nas estações que vão de cookies a bandejas de comida japonesa (Pagamos HK$ 29 – cerca de US$ 4 por uma). Um sanduíche sai por HK$ 12 (cerca de US$ 1,70).

McDonalds pode ser uma boa solução para quem quer economizar e tentar comer algo mais ocidental. Um Big Mac com refrigerante e batata custa HK$ 35 (US$ 4,50).

Quanto custa viajar para Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

No mercadinhos, como 7-eleven e Circle K, a Coca Cola de 600 ml custava HK$ 10 (cerca de US$ 1,29) e uma garrafinha de água HK$ 8 (US$ 1). Existem algumas promoções, por exemplo, duas garrafinhas saem por HK$ 11 (US$ 1,42). Já uma pizza grande da Pizza Hut custa HK$ 140 (US$ 18)

É possível comer em um restaurante melhor tomando refrigerante e com 10% pagando cerca de US$ 20.

 

TRANSPORTE PÚBLICO

O jeito mais fácil de andar em Hong Kong é de metrô. A passagem do metrô varia de acordo com o percurso. Custa entre HK$ 4,50 e HK$ 19,50 (cerca de US$ 0,60 a US$ 2,50). Quando é necessário atravessar o rio, o valor fica mais caro. Dizem que o Uber sai mais caro do que o táxi.

Quanto custa viajar para Hong Kong (Foto: Esse Mundo é Nosso)

 

ELETRÔNICOS

Quanto custa viajar para Hong Kong? Essa resposta vai mudar muito se nas entrelinhas estiver “e comprar muitos eletrônicos…” kkkk. Vale a pena sim fazer comprinhas lá. Uma câmera fotográfica que lá sai por US$ 500 tem preços parecido ou menor do que nos Estados Unidos. Fizemos um post com dicas para compras em HK.

Quando estivemos por lá, em outubro de 2016, o Iphone 6S estava custando US$ 700.

+ Veja todas as dicas da cidade

+ O que fazer por lá: principais atrações

+ Faça um passeio pelos mercados

* Para a pesquisa sobre quanto custa viajar pra Hong Kong, checamos os preços em outubro de 2016

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

Adolfo Nomelini

Jornalista formado pela PUC-SP e pós graduado em Comunicação em Mídias Digitais, é apaixonado por música, coxinha, televisão, seus óculos e internet. Trabalha há 8 anos com conteúdo online e passa boa parte do tempo "jogando o corpo no mundo, andando por todos os cantos e, pela lei natural dos encontros, deixando e recebendo um tanto".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *