Dicas de Israel: O que você precisa saber antes de ir

Algumas dicas de Israel são imprescindíveis para organizar uma viagem pra lá. Além de saber sobre a moeda local ou a melhor época para visitar o destino, Israel reserva algumas curiosidades que merecem atenção e destaque.

Neste post, a gente dá dicas, conta sobre a nossa experiência e responde perguntas que nós mesmos fizemos enquanto preparávamos nosso roteiro pelo país.

DICAS DE ISRAEL

Antes de darmos todas as dicas de Israel, vou explicar um pouquinho do país. Israel está localizado no Oriente Médio. Embora seja um país pequeno, tem muitas atrações espalhadas. Por isso, é muito importante se preparar com antecedência para aproveitar ao máximo a sua viagem.

Dicas de Israel (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Jerusalém (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Para facilitar, eu dividi este post em vários tópicos explicando todos os detalhes do país.

VEJA NOSSAS DICAS DE ISRAEL

| ISRAEL É UM PAÍS SEGURO?

A gente já até fez um post falando sobre isso e contando detalhes da nossa experiência em relação à segurança. A verdade é que antes de viajar, eu estava bem preocupado e com um certo receio. Procurei bastante sobre o assunto e fiz uma constatação: todos os lugares diziam que Israel era um país muito seguro.

Segurança em Jerusalém (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Foi exatamente isso que senti por lá. Não deu medo de nada. No começo, principalmente em Jerusalém, estranhei um pouco a presença de tantos soldados segurando fuzis, mas depois entendi que fazia parte da cultura.

Outro detalhe que pra gente é bem diferente é o fato de que nas entradas de shoppings e estações de trem sempre há detector de metais e raio-x.

Andei tranquilamente pelas ruas, não vi nada que pudesse me dar medo nem em relação à violência urbana nem a atentados terroristas.

| QUAIS AS PRINCIPAIS CIDADES DE ISRAEL?

As principais cidades e destinos de Israel são:

Jerusalém: ideal para quem quer fazer turismo religioso, já que lá estão o Muro das Lamentações, a Via Dolorosa, o Domo da Rocha e o Santa Sepulcro, entre outras atrações, além de ser próxima do Mar Morto e de Massada. Vale a pena ficar hospedado por lá. Aproveite para encontrar hotéis com desconto.

Dicas de Israel (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Jerusalém (Foto: Esse Mundo e Nosso)

Belém: embora esteja em território palestino, a cidade costuma fazer parte do roteiro dos brasileiros, já que foi lá que Jesus teria nascido. O ideal é fazer um bate e volta saindo de Jerusalém.

Jericó: também na Palestina, é considerada a cidade mais antiga do mundo. Vale incluir no mesmo tour de Belém.

Nazaré: famosa por ser a suposta cidade de Maria, mãe de Jesus, e onde a Sagrada Família teria morado. Aproveite para conhecer a região da Galileia, como Cafarnaum e Acre, e também o Rio Jordão. A gente fez um tour pra lá saindo de Tel Aviv, mas há quem goste de dormir pelo menos uma noite para conhecer bem a região. Veja hotéis por lá com desconto.

Haifa: onde estão os jardins Bahá’í, a cidade também é conhecida por ser a mais tolerante de Israel. Fica a menos de 1h de carro de Nazaré.

Tel Aviv: o centro financeiro do país, é também um local animado, com bons restaurantes e cheio de praias. Vale a pena passar pelo menos dois dias por lá para conhecer Old Jaffa, a cidade antiga, as praias,, o Carmel Market, mercado central, andar pelas ruas e comer em algum restaurante legal. Encontre seu hotel por lá com desconto.

Dicas de Israel (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Tel Aviv (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Eilat: localizada no Mar Vermelho, a cidade é famosa pelos grandes resorts e fica perto da Jordânia. Vale a pena para quem quer descansar um pouco depois de dias fazendo turismo religioso. Veja hotéis com descontos.

Deserto da Judeia: localizado no sul de Israel, muita gente passa uma noite no deserto.

Mar Morto: Geralmente, as pessoas fazem um passeio de um dia pelo Mar Morto passando por Massada, que foi o que fizemos e contamos neste outro post. Mas há também a possibilidade de se hospedar na região.

| ISRAEL É UM PAÍS CARO?

Essa é umas das dicas de Israel mais importantes. Sim! É um país bem caro. Tanto para comer e beber quanto para se hospedar, prepare-se para gastar bastante em Israel. Isso sem falar dos tours e dos táxis, que também costumam ser bem caros.

A boa notícia é que em Jerusalém, por exemplo, praticamente todos os lugares históricos e religiosos são abertos ao público sem que seja cobrado ingresso. Isso dá uma bela economizada. Aproveite para ver nosso post sobre gastos no país.

| QUAL É A MOEDA DO PAÍS?

A moeda de Israel é o Novo Shekel Israelense (NIS em português e ILS em inglês). Fizemos um post explicando direitinho como trocá-lo e quanto ele vale. Quando fomos, levamos dólares e foi bem fácil para comprar shekel.

Dicas de Israel (Foto: Pixabay)

| COMO É PARA SE COMUNICAR?

Entre as dicas de Israel essa é uma das que mais as pessoas têm dúvida. As línguas oficiais do país são o hebraico e o árabe, mas praticamente todo mundo fala inglês. Além disso, as placas das cidades estão todas nas três línguas. Não precisa ficar preocupado com isso porque vai ser bem fácil de se comunicar. Na maioria dos restaurantes, inclusive, tem cardápio em inglês.

| PRECISO DE VISTO?

Israel não exige visto dos brasileiros, mas é importante estar com todos os documentos em dia. Se você visitou algum país árabe antes e tiver com o carimbo no passaporte, prepare-se para responder diversas perguntas no momento da imigração (falaremos mais disso a seguir). Além disso, não esqueça de fazer seu seguro viagem pra lá. Aliás, use o nosso cupom ESSEMUNDOENOSSO5 e ganhe 5% de desconto na Seguros Promo. Faça a sua cotação agora mesmo.

| COMO É A IMIGRAÇÃO EM ISRAEL?

Este é um tópico que merece atenção e é uma das dicas de Israel que mais me ajudaram durante a preparação da viagem. Antes de ir para Israel, muita gente me falou que a imigração do país é uma das mais chatas. E é verdade. Tanto para entrar quanto para sair. Isso foi o que eu achei mais engraçado. Nunca tinha visto um país tão exigente na saída como Israel.

Aeroporto de Tel Aviv (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Aeroporto de Tel Aviv (Foto: Esse Mundo é Nosso)

ENTRADA

A minha entrada em Israel foi bem tranquila. Antes disso, vale uma explicação. Como no meu passaporte havia carimbos de países árabes, como dos Emirados Árabes Unidos, fiz um novo documento para evitar problemas. A oficial era bem simpática. Pediu para ver minha passagem de ida e fez perguntas básicas, como o motivo da viagem, o que eu fiz durante a minha conexão na Etiópia, quantos dias eu ficaria em Israel, se eu estava sozinho e pra onde eu iria depois do país. Após isso, ela já me deu o papelzinho e me liberou.

Já a experiência do Rafa foi um pouco mais chata. Eles também fizeram todas essas perguntas, mas implicaram com a conexão na Etiópia e com o passaporte novo, que estava em branco. Depois de responder todas as perguntas, o oficial chamou um outro homem que fez as mesmas perguntas novamente. Em seguida, veio um terceiro oficial para repetir as perguntas. Neste momento, já com receio de ir para a famosa salinha, o Rafa mostrou todos os papéis com reservas de hotéis, seguro viagem e ingressos dos tours. Depois disso o oficial resolveu liberá-lo.

SAÍDA

A saída do país foi bem mais chata. A dica é chegar com pelo menos 4 ou 5 horas de antecedência para não ter problemas com o voo. Antes de entrar no aeroporto, já é preciso passar pelo raio-x. Eu consegui entrar sem problemas, o Rafa precisou responder algumas perguntas como a razão da viagem, horário do voo, detalhes da viagem pra Israel, por onde havia passado, entre outras coisas.

Antes de despachar a mala, veio mais uma surpresa: mais oficiais para ver o passaporte e fazer muitas perguntas. Questionaram por que o documento estava em branco, o motivo da viagem, se havíamos ido pra Belém, na Palestina, qual era a nossa profissão e onde trabalhávamos no Brasil. Eles pediram até para eu e o Rafa nos separarmos para responder as perguntas sozinhos.

Depois, ainda tivemos que passar por um raio-x mais rigoroso e quando chegamos em casa e abrimos a mala havia um bilhete falando que tinham mexido nela.

Embora seja muito rigorosos, os oficiais israelenses são muito educados e simpáticos. Eles têm bastante paciência e inclusive repetem as perguntas caso você não entenda. No fim, deu tudo certo. É preciso ter calma e saber que não está fazendo nada de errado.

| PRECISO DE SEGURO?

Eu já disse mais pra cima, mas não custa repetir. O seguro viagem não é obrigatório no país, mas essa é uma das dicas de Israel que devemos prestar atenção. Primeiro porque você não sabe quando irá precisar. Segundo porque no caso de Israel ele pode te ajudar bastante no momento da imigração.

A nossa dica é entrar no site da Seguros Promo, que funciona como uma comparadora de seguros. É só colocar os dados da sua viagem que o site irá mostrar as melhores opções de seguros. Como eles negociam em grande quantidade, conseguem valores muitas vezes melhores do que nos sites das próprias seguradoras.

Aproveite e use o nosso cupom ESSEMUNDOENOSSO5 para ganhar 5% de desconto no valor do seu seguro. Se estiver com bastante antecedência da viagem, escolha pagar via boleto e ganhe mais 5% de desconto.

| QUANTO VOU GASTAR NA MINHA VIAGEM PRA LÁ?

Essa é uma pergunta muito difícil de responder porque vai depender muito do seu tipo de viagem. A gente fez um post bem completo com os preços praticados no país. Mas pensando em alimentação (almoço, lanche e jantar), bebidas durante o dia e transporte, o turista irá precisar de no mínimo US$ 100 por dia.

Dicas de Israel (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Temple Mount em Jerusalém (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Claro que esse valor varia muito. Algumas pessoas preferem só jantar ou só almoçar e gostam mais de andar a pé do que ônibus ou táxi. Com isso, acabam gastando bem menos. O contrário também acontece caso os restaurantes escolhidos sejam mais caros e o transporte seja sempre o táxi. O valor pode passar facilmente dos US$ 100 por dia.

| QUANTOS DIAS PRECISO FICAR EM ISRAEL?

Essa também é uma pergunta polêmica, já que varia de acordo com o objetivo de cada um. Nós ficamos 9 dias e achamos pouco. Gostaríamos de ter ficado mais tempo para conseguir conhecer mais lugares.

Tel Aviv (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Tel Aviv (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Embora seja um país pequeno, Israel tem muitas atrações espalhadas. Então, para conhecer tudo com calma, é preciso pelo menos duas semanas no país. Em 10 dias, é possível desbravar bem a parte religiosa e incluir ainda o Mar Morto e Haifa. Em 15 dias, dá para ir até para Eilat.

| ONDE É MELHOR FAZER A BASE PARA A MINHA VIAGEM?

Essa também é uma das mais importantes dicas de Israel. Embora o país seja pequeno, dependendo do objetivo da viagem, vale a pena fazer pelo menos duas ou três bases para a sua viagem. Pra quem quer fazer turismo religioso, ficar em Jerusalém é essencial, já que lá estão os principais pontos da história para os judeus, muçulmanos e cristãos. Nós ficamos hospedados no Leonardo Boutique, que é bem localizado e muito confortável. Aproveite para encontrar mais opções de hospedagem na cidade.

Dicas de Israel (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Jerusalém (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Se quiser conhecer Tel Aviv com mais calma, vale a pena ficar uns dias por lá também. Aliás, a gente fez um post bem completo com dicas de hospedagem na cidade. Nós nos hospedamos no The Rothschild 71, que é um ótimo hotel e super bem localizado.

Tel Aviv (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Tel Aviv (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Eilat, por exemplo, é para quem quer curtir uns dias de descanso em um resort no sul do país.

De toda forma, dá sim para fazer bate-volta saindo de Jerusalém e Tel Aviv e indo para outros pontos do país. A gente fez isso. De Jerusalém, fomos pro Mar Morto e Belém. Já de Tel Aviv visitamos Nazaré, Cafarnaum e o Rio Jordão. Mas lembre-se que dependendo da cidade, o trajeto pode durar de 2h a 3h.

| PRECISO ALUGAR CARRO?

Alugar carro não é essencial, mas pode ajudar bastante durante uma viagem pra Israel. A gente não alugou porque fez como base Jerusalém e Tel Aviv e de lá fizemos dois tours que contratamos com antecedência pelo Get Your Guide. De Jerusalém fizemos um tour para Massada e Mar Morto. De Tel Aviv, o tour foi para Nazaré, Cafarnaum e o Rio Jordão. Fechamos tudo pelo site e foi bem tranquilo.

Entretanto, pra quem gosta de ter liberdade, alugar um carro pode ser uma ótima saída, já que com ele será possível andar por todo o país e parar onde desejar no seu tempo. A nossa dica é alugar o carro na Rentcars, que funciona como um buscador dos melhores preços entre as principais locadoras de veículos. Além de chegar lá com tudo pronto, é possível dividir o valor do aluguel e pagá-lo em reais sem IOF. Dá pra fazer tudo online.

| COMO FAÇO PARA ME LOCOMOVER NAS CIDADES E ENTRE ELAS?

Mais uma das dicas de Israel que muita gente tem dúvida é sobre como se locomover nas cidades e entre elas. Em Jerusalém e em Tel Aviv, é possível fazer muita coisa andando dependendo da localização do seu hotel. Além disso, os ônibus e os trans, que são como bondes mais modernos, também ajudam muito. Não há Uber em Israel, para pegar o táxi o ideal é usar o aplicativo Gett. Desta forma, você evita que os taxistas façam cobranças abusivas pelas corridas.

Dicas de Israel (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Táxi em Tel Aviv (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Já entre as cidades, além dos ônibus, é muito fácil andar de trem. Do aeroporto de Tel Aviv, por exemplo, é possível pegar o trem até o centro da cidade (cerca de 12 minutos de trajeto) ou até Jerusalém (cerca de 20 minutos). É muito rápido e cômodo.

Até mesmo para ir para Belém, que fica na Palestina, saindo de Jerusalém foi muito fácil de ônibus.

| QUAL É A MELHOR FORMA DE CHEGAR A ISRAEL?

A maior parte dos brasileiros que vai para Israel chega de avião em Tel Aviv. Atualmente, há um voo operado pela Latam que é direto saindo de São Paulo e que dura cerca de 13h. As outras companhias também operam a rota, mas fazem conexão em outros países.

Nós fomos pela Ethiopian (já contamos toda a nossa experiência num relato aqui no blog). De São Paulo até lá, fizemos uma conexão de 5h em Adis Abeba. De lá seguimos num outro voo de 4h até Tel Aviv.

Tem também as companhias europeias, como a KLM, a TAP, a Air France, a Alitalia, a Swiss, a Iberia e a Lufthansa. Além da Turkish e de companhias americanas, como a United, a American Airlines e a Delta.

| QUAL É A MELHOR ÉPOCA PRA IR?

O inverno costuma ser rigoroso em Jerusalém com a possibilidade neve. Já o verão, é bem quente. A gente foi em agosto e pegou sensação térmica de quase 50ºC no Mar Morto e suamos muito em Jerusalém e Tel Aviv, mas não foi nada tão absurdo assim. Deu para aguentar bem.

Dicas de Israel (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Verão em Tel Aviv (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Lembre-se também que na Páscoa e no Natal, o país costuma ficar ainda mais cheio de turistas religiosos, além dos feriados judeus.

| EU PRECISO DE GUIA?

Pra quem quer entender bem a história de Israel, é legal sim ter um guia no país. Há até a possibilidade de contratar um guia particular que fala português, mas prepare-se para desembolsar cerca de US$ 300 por dia. Entretanto, se você se preparar bastante antes da viagem, estudar bem a história e ler muitas informações, conseguirá andar pela Cidade Velha de Jerusalém tranquilamente sozinho.

É possível também contratar tours com guias que falam inglês ou espanhol. Nós fizemos isso em Massada e no Mar Morto (veja detalhes do tour) e também em Nazaré com passagem por Cafarnaum, Galileia e Rio Jordão (veja detalhes do tour). Nesses dois casos, reservamos os passeios pelo Get Your Guide. Foi bem tranquilo e mais barato do que se tivéssemos pegado um guia particular.

Cafarnaum (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Cafarnaum (Foto: Esse Mundo é Nosso)

A gente só teve guia nessas duas situações, mas como nos preparamos muito (de verdade! a gente leu muito sobre o país e sobre a história de Jesus), não sentimos falta.

| COMO É A COMIDA DO PAÍS?

A comida de Israel é basicamente árabe. Há alguns pratos típicos do país, como o shakshuka, que são ovos com a gema mole num molho de tomate com muitos temperos. Tem também muito homus e falafel, além dos clássicos schawarmas, que são aqueles sanduíches que lembram muito nosso churrasquinho grego.

Comida árabe em Israel (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Homus e falafel (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Em Tel Aviv e em Jerusalém, é fácil encontrar pratos do mundo todo. Vimos muitos restaurantes de comida italiana, japonesa, mexicana e até brasileira. A maioria deles com certificação Kosher, que obedece a lei judaica. Inclusive o McDonald’s de Jerusalém é um desses estabelecimentos.

Claro que comer no país não é tão barato, mas é possível achar sanduíches clássicos e alguns restaurantes mais baratos, como o Pasta Basta, que é um tipo de fast food italiano, mas bem gostoso.

| É UMA VIAGEM PERRENGUE?

A viagem para Israel não tem praticamente nada de perrengue. Tirando a imigração que é chata, lá é tudo muito bem sinalizado e organizado.

| CONSIGO IR PRA PALESTINA?

Essa também é uma das dicas de Israel que muita gente quer saber. Dá sim para ir pra Palestina. Confesso que antes de viajar ao país, eu não sabia que Belém não fazia parte de Israel. E claro que eu queria muito conhecer a cidade em que Jesus teria nascido. Pesquisamos bastante e vimos que era muito tranquilo ir para lá de ônibus saindo de Jerusalém.

Belém, na Palestina (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Belém, na Palestina (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Foi isso que fizemos. Passamos o dia em Belém e foi uma experiência incrível. Na saída de Israel, perguntaram se havíamos ido pra Palestina, tivemos que falar a verdade. Eles nos encheram de perguntas, como se havíamos feito amigos por lá. Explicamos que tivemos criação católica e gostaríamos de ir no lugar que Jesus teria nascido. Depois disso, não nos perguntaram mais nada. Entretanto, evite falar na chegada ao país que pretende ir para Belém ou qualquer outra cidade da Palestina.

Belém, na Palestina (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Belém, na Palestina (Foto: Esse Mundo é Nosso)

| O SHABAT VAI ATRAPALHAR A MINHA VIAGEM?

O Shabat é o sétimo dia da semana, o dia do descanso. Começa 18 minutos antes do pôr do sol de sexta e vai até 1h depois do sol se pôr no sábado (até as primeiras três estrelas apareceram no sol).

Shabat em Jerusalém (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Ruas vazias em Jerusalém no fim da tarde de sexta-feira (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Em lugares mais religiosos, como Jerusalém, o Shabat pode ser facilmente notado. A cidade praticamente para. Tudo fecha, até mesmo restaurantes e supermercados, e o transporte público para de funcionar (inclusive os trens e ônibus para outras cidades). Por isso, essa é umas mais importantes dicas de Israel. Se você for viajar nesta data, tente chegar antes do início ou depois do fim do shabat. Alguns taxistas trabalham normalmente. Na parte árabe da cidade, o comércio e os restaurantes funcionam normalmente.

Já em Tel Aviv, o shabat não é tão rigoroso como em Jerusalém.

A gente fez um post bem completo mostrando como é passar o shabat em Israel.

| O QUE É IMPERDÍVEL NO PAÍS

Israel é um país imperdível. Tem muitas atrações para todos os gostos. Em Jerusalém, além de todo o básico religioso, vale a pena reservar um final de tarde para curtir o pôr do sol do alto do Monte das Oliveiras.

Pôr do sol no Monte das Oliveiras (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Pôr do sol no Monte das Oliveiras (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Não deixe também de ir ao Muro das Lamentações no início do Shabat, na sexta no horário do pôr do sol, para ver as danças e as músicas dos judeus. Ainda em Jerusalém, vale a pena fazer a Via Dolorosa. Ahh, uma dica é ir ao Santo Sepulcro em um horário alternativo (à noite, por exemplo). Assim, evita filas muitos grandes.

Muro das Lamentações (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Shabat no Muro das Lamentações (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Encontre o melhor preço no Seguro Viagem!
Use o cupom ESSEMUNDOENOSSO5 e ganhe mais 5% de desconto

Não deixe de ir aos mercados centrais de Jerusalém (Mahane Yehuda) e de Tel Aviv (Carmel Market). Eles são ótimos e animados. O de Jerusalém tem bares e restaurantes. Já o de Tel Aviv tem mais cara de feira livre. Falando em Tel Aviv, visite a Old Jaffa e tome um sorvete na Anita. Separe um tempinho para curtir as praias, que são lindas e estruturadas. Aliás, o pôr do sol em algum beach club é incrível.

Pôr do sol em Tel Aviv (Foto: Esse Mundo é Nosso)
Pôr do sol em Tel Aviv (Foto: Esse Mundo é Nosso)

Inclua o Mar Morto no seu roteiro. Vale a pena entrar na água e tirar aquela foto clássica segurando uma revista.

Se quiser fazer uma viagem religiosa além de Israel, dê um pulo em Nazaré, cidade de Maria, e vá a Cafarnaum, lá estão algumas construções da época de Jesus e dos primeiros séculos da Era Cristã. Você ficará emocionado também em Tabgha, onde Jesus teria multiplicado os pães e os peixes, e vendo o Mar da Galileia. Vale a pena ainda passar pelo Rio Jordão. Inclua Belém no roteiro. Além de ser muito interessante conhecer uma cidade da Palestina, lá está o local em que Jesus teria nascido.

| PRECISO ME PREOCUPAR COM AS ROUPAS?

Se você for visitar lugares religiosos, é bom prestar mais atenção nessas dicas de Israel. De toda forma, lá há lenços à venda que poderão ser utilizados por mulheres para entrar em igrejas ou na Temple Mount, onde está o Domo da Rocha. Lá, inclusive, também é exigido que os homens estejam usando calça. A gente viu alguns com bermuda abaixo do joelho. Mesmo assim, acho melhor não arriscar. De toda forma, assim como os lenços, lá também é possível encontrar calças leves à venda.

Quando for arrumar a mala, lembre-se também de evitar estampas que possam ser ofensivas para qualquer uma das religiões presentes no país (muçulmana, judaica e cristã).

| DICAS DE HOTÉIS EM JERUSALÉM E TEL AVIV

A gente já fez um post com dicas de hotéis em Tel Aviv e também falando das principais cidades para se hospedar em Israel, mas vou falar agora dos dois hotéis que nos hospedamos no país e gostamos bastante.

Em Jerusalém, a gente ficou no Leonardo Boutique, que é bem localizado, dá pra ir a pé pra Cidade Velha, e é muito confortável. Além de ter um café da manhã sensacional com pratos típicos e internacionais. Aproveite para ver outros hotéis na cidade com desconto.

Leonardo Boutique (Foto: Divulgação/Booking)
Leonardo Boutique (Foto: Divulgação/Booking)

Já em Tel Aviv, escolhemos o The Rothschild 71, que fica na rua que leva o nome do hotel, uma das mais bonitas e animadas de Tel Aviv. Dá pra ir a pé também até o Carmel Market, mercado central da cidade. O hotel é ótimo, confortável e o atendimento é excelente. Veja também mais opções de hospedagem na cidade.

The Rothschild 71 (Foto: Divulgação/Booking)
The Rothschild 71 (Foto: Divulgação/Booking)

Gostou das nossas dicas de Israel? Ficou com algum dúvida? Deixe nos comentários!

+ Veja todas as nossas dicas do país
+ Mar Morto: O que fazer e como ir
+ Quantos por dólares por dia devo gastar por lá?
+ Nazaré: Conheça a cidade de Maria
+ Onde ficar no pais: Principais cidades
+ Onde ficar em Tel Aviv
+ Moeda: Qual levar e onde trocar
+ Shabat: O que é e como passar no país
+ É seguro viajar pra lá? Dicas

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

Adolfo Nomelini

Jornalista formado pela PUC-SP e pós graduado em Comunicação em Mídias Digitais, é apaixonado por música, coxinha, televisão, seus óculos e internet. Trabalha há 8 anos com conteúdo online e passa boa parte do tempo "jogando o corpo no mundo, andando por todos os cantos e, pela lei natural dos encontros, deixando e recebendo um tanto".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *